Dicas de Mulher Dicas de Saúde

Os melhores e piores alimentos para comer quando estiver doente

Saiba quais são os melhores e piores alimentos para consumir em caso de gripes ou de problemas gastro-intestinais

em 10/07/2015

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Não há como escapar disso: o que comemos influencia diretamente na saúde do corpo e a alimentação é importante em todos os momentos da nossa vida, devendo sempre ser levada em consideração. Entretanto, quando estamos doentes, a atenção e os cuidados com ela devem ser redobrados. Afinal, alguns alimentos têm o poder de restaurar a nossa saúde.

“A alimentação saudável fortalece o sistema imunológico: mesmo quando o indivíduo já está acometido por alguma doença, ela é fundamental para que o mesmo se recupere mais rapidamente e também para evitar a progressão da enfermidade”, explica Alice Amaral, médica especialista em Nutrologia.

A escolha dos alimentos para compor as refeições não significa apenas saber quais os melhores itens para o cardápio. Saber o que evitar é uma parte importante do processo, uma vez que vários alimentos comuns do nosso cotidiano contêm componentes prejudiciais que podem retardar a recuperação ou até mesmo piorar o quadro.

Ainda que a alimentação não seja a única responsável pela saúde do corpo, informar-se quanto às propriedades de cada alimento e entender que tipos de nutriente o se necessita para recuperar a saúde pode ser bastante útil. Embora algumas doenças exijam uma consulta médica para a melhor adequação das dietas, enfermidades mais comuns, como gripes e problemas gastro-intestinais, podem melhorar com dicas alimentares simples e fáceis de seguir. Confira!

Alimentação em caso de gripes e resfriados

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Quando o assunto é gripe, a primeira coisa que vem à cabeça é adotar uma alimentação com vitamina C. E, segundo a Dra. Alice, isso não é mito. “A vitamina C não cura a gripe, mas é um excelente alimento preventivo, além de amenizar alguns sintomas da gripe (coriza, mal estar)”, esclarece a nutróloga.

Mas, não são apenas alimentos com vitamina C que podem fazer a diferença: o própolis também é um alimento muito útil nessa fase. “Rico em bioflavonoides, aminoácidos e vitaminas; é um poderoso alimento antioxidante com ação antibiótica, sendo um poderoso aliado no combate ao vírus da gripe”, garante Alice Amaral.

Fora a vitamina C e o própolis, em caso de sintomas de gripe, alguns nutrientes são fundamentais para a recuperação do organismo e fortalecimento do sistema imunológico – é o caso da vitamina A e do zinco. Componentes com ação anti-inflamatória e antioxidante, como flavonoides, também são boas pedidas.

Além disso, se você já está em uma dieta, essa é a hora de repensar o que vai comer. “Nesse momento é preciso investir em alimentos de fácil ingestão, sem se preocupar com a quantidade de calorias consumidas. Como o corpo está lutando contra o resfriado, é hora de abrir mão de dietas muito restritivas”, instrui Mohamad Barakat, médico endocrinologista especialista em metabologia, fisiologia do exercício e qualidade de vida.

Confira os melhores e piores alimentos para a sua dieta em períodos de gripe.

Melhores alimentos

  • Abacate;
  • Abóbora;
  • Acerola;
  • Água de coco;
  • Agrião
  • Brócolis;
  • Caju;
  • Carnes brancas;
  • Castanhas;
  • Cebola;
  • Cenoura;
  • Chá verde;
  • Couve;
  • Espinafre;
  • Feijão;
  • Frutas secas;
  • Grão-de-bico;
  • Laranja;
  • Lentilha;
  • Limão;
  • Manga;
  • Nozes;
  • Ostras;
  • Pimentão verde e vermelho;
  • Própolis;
  • Tomate;
  • Uva rosada;
  • Vegetais no geral.

Piores alimentos

  • Bebidas alcoólicas;
  • Frituras;
  • Gorduras;
  • Glúten.

Alimentação em caso de problemas gastro-intestinais

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Quando o problema é uma doença gástrica, o cuidado com a alimentação é indispensável para a recuperação. Além de atentar-se à hidratação, é preciso consumir fibras, vitaminas e minerais.

Um dos melhores alimentos nesse caso, é o limão. “O limão, ao contrário do que pensam, é um excelente alimento a ser consumido por pessoas com problemas gastrointestinais. Ele acentua a alcalinidade do sangue e tonifica o fígado. É um depurativo por excelência, destoxificando o organismo”, comenta Alice Amaral.

Além disso, também é importante evitar alguns alimentos para a recuperação da saúde do organismo. Deve-se excluir tudo o que que for processado e industrializado, por exemplo, em razão do excesso de sódio, aditivos, corantes e conservantes que irritam a mucosa gástrica e intestinal.

“É preciso evitar alimentos crus e muito gordurosos, e sempre manter a hidratação, com água e água de coco, nunca com sucos ou isotônicos”, complementa Mohamad Barakat.

Confira os alimentos que devem ser consumidos e evitados em caso de doenças gastro-intestinais:

Melhores alimentos

  • Água de coco;
  • Banana;
  • Batata;
  • Cenoura;
  • Limão;
  • Frutas, legumes e vegetais no geral.

Piores alimentos

  • Bolachas industrializadas;
  • Glúten;
  • Linguiça;
  • Mortadela;
  • Nuggets;
  • Pimentas;
  • Presunto;
  • Refrigerantes;
  • Salame;
  • Salsicha;
  • Suco de caixinha;
  • Temperos industrializados.

7 dicas para alimentar-se bem quando se está doente

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

“É importante se alimentar correta e balanceadamente a vida toda, para evitar o surgimento de doenças. Caso isso não tenha ocorrido e a doença tenha se instalado, procure um médico nutrólogo que possa lhe orientar corretamente com relação às suas carências nutricionais e te auxiliar no processo de remissão dessas doenças”, aconselha a nutróloga Alice Amaral.

Para além da ajuda específica na dieta para cada tipo de enfermidade, algumas dicas podem ser adotadas na maior parte dos casos para a recuperação da saúde o organismo. Confira:

1. Evitar alimentos que contenham glúten

De modo geral, evitar alimentos com glúten é um bom passo para ajudar na melhora de um enfermidade – mesmo que você não tenha alergia ao componente. “O glúten forma uma cola no intestino, impedindo que os nutrientes sejam devidamente absorvidos e causando uma baixa no sistema imunológico”, explica a médica.

2. Evitar bebidas alcoólicas

O álcool interfere no sistema imunológico e pode acabar fazendo com que os sintomas piorem. Além disso, ele pode neutralizar ou reagir negativamente com o medicamento que está sendo tomado.

3. Manter-se bem hidratado

Esta é uma dica importante tanto quando se está saudável quanto quando doente – especialmente em caso de gripes. “Hidratar-se é fundamental em qualquer fase da vida e, quando se está gripado, a hidratação é muito importante para limpar as mucosas e drenar as secreções”, lembra a Dra. Alice.

4. Conciliar a alimentação com outros hábitos saudáveis

Lembre-se que apostar todas as fichas na alimentação não é o suficiente para garantir seu bem estar! “A saúde é reflexo da manutenção de outros fatores, juntos com a alimentação. É preciso ter um estilo de vida saudável, com controle do stress, atividades físicas e um sono reparador”, comenta Mohamad Barakat.

5. Não consumir embutidos

Alimentos embutidos, como a salsicha, são bastante prejudiciais para o organismo. “Embutidos contêm muitos aditivos, conservantes e corantes, entre eles o nitrato. A química desses alimentos é desconhecida pelo nosso sistema digestivo e pode fazer muito mal a ele, sobrecarregando o fígado e irritando a mucosa gástrica”, alerta Alice Amaral.

6. Evitar refrigerantes

“Não existe um só motivo que justifique o fato de beber refrigerante. Ele não tem nenhum nutriente, é desidratante, rico em açúcar e sódio”, pontua a nutróloga. Além disso, o refrigerante pode causar desconforto abdominal e aumentar a produção de suco gástrico, levando a possíveis doenças gástricas.

7. Priorizar alimentos orgânicos

“Quando estamos lutando contra algum risco de doença, a dieta deve ser totalmente voltada para isso, portanto, esteja atento aos alimentos orgânicos, que são os mais benéficos”, reforça o Dr. Barakat.

As dicas podem contribuir muito para a manutenção e recuperação da saúde do seu organismo. Porém, lembre-se sempre que os casos e sintomas são diferentes e variam de indivíduo para indivíduo. Por isso, se estiver com dúvidas, o melhor a fazer é consultar um médico e investigar o seu quadro separadamente.

Comentários
Dicas relacionadas