A força feminina no esporte: mulheres para torcer e acompanhar

Escrito por
Em 08.04.22

Pexels

As barreiras colocadas contra mulheres do esporte foram derrubadas. As atletas não cansam de quebrar recordes, provando a cada dia o quanto merecem ser prestigiadas. Entre essas mulheres, existem aquelas que se destacam. Veja a seleção a baixo e entenda quais são as conquistas dessas mulheres!

Publicidade

Índice do conteúdo:

A importância da presença feminina no esporte

O esporte é uma ótima ferramenta no desenvolvimento de criança e adolescentes. Quando uma menina tem a chance de ver uma mulher se destacando em determinada modalidade, o exemplo a impulsiona a desenvolver habilidades que, um dia, podem a levar ser como a ídola.

A representatividade feminina no esporte é muito importante para que todas as meninas, sem exceção, possam se identificar e sonhar em estar no lugar mais alto do pódio.

As mulheres se destacam cada vez mais no meio esportivo, mas a equidade de gênero nos esportes, termo que se refere a busca por oportunidades iguais a partir de suas diferenças, ainda está caminhando a passos lentos.

Uma conquista alcançada foi a aprovação do projeto de lei, que premia homens e mulher de modo igualitário nos esportes. Mas, em contrapartida, as modalidades praticadas por mulheres ocupam somente 4% dos espaços midiáticos.

Em 2019, a Copa do Mundo feminina teve sua primeira exibição em TV aberta e cerca de 20 milhões de brasileiros assistiram a transmissão da final da competição vencida pela seleção norte-americana. Cerca de um bilhão de pessoas assistiram a competição, segundo relatório da FIFA.

Foi neste contexto que a skatista Rayssal Leal foi a pessoa mais citada no Twitter globalmente durante a realização das Olimpíadas de Tóquio 2020.

10 mulheres no esporte que você deveria acompanhar

Descubra mais sobre as atletas que representam seus países em seus esportes e compartilham suas rotinas em suas redes sociais:

1. Maria Carolina Gomes Santiago

mulheres no esporte

Maria Carolina Santiago

Publicidade

Maria Carolina Gomes Santiago fez história nas Olimpíadas de Tóquio 2020 ao subir em cinco dos seis pódios que disputou. A atleta paraolímpica de 36 anos faturou 3 medalhas de ouro, 2 de prata e um bronze nas provas de natação para deficientes visuais.

Mesmo com o início tardio como atleta profissional aos 27 anos, Maria Carolina sempre foi apaixonada pelo esporte e quer se preparar ainda mais para os Jogos de Paris em 2024.

2. Rebeca Andrade

A ginasta Rebeca Andrade encantou o Brasil com seu solo ao som de Baile de Favela. Com a belíssima apresentação, ela conquistou duas medalhas nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Ela foi a primeira brasileira a conquistar uma medalha olímpica na ginástica artística e ainda foi campeã mundial no salto no mesmo ano. Aos 22 anos, Rebeca promete trazer ainda mais alegrias ao esporte brasileiro.

3. Rayssa Leal

A skatista maranhense conquistou sua primeira medalha olímpica aos 13 anos e foi vice-campeã mundial duas vezes consecutivas. Para saber mais sobre Rayssa Leal, leia sobre a história e os feitos da fadinha do skate.

4. Beatriz Ferreira

A baiana Beatriz Ferreira é uma das maiores representantes do boxe brasileiro. Campeã mundial em 2019, foi a segunda mulher a conquistar uma medalha olímpica brasileira pelo boxe. Adriana Araújo faturou o bronze em Londres 2012 e Beatriz a prata em Tóquio 2020. Ela ainda foi campeã mundial militar em 2021.

5. Chloe Kim

mulheres no esporte

Chloe Kim

Publicidade

A norte-americana de origem sul-coreana coleciona troféus e recordes desde os 13 anos, ao ser vice-campeã no superpipe, uma categoria do snowborard, nos X Games de Inverno. Ela é seis vezes campeã da competição. Aos 18 anos conquistou sua primeira medalha olímpica na classe halfpipe e repetiu o feito em 2021, tornando-se a primeira mulher a obter dois ouros nessa prova.

6. Luisa Stefani

Luisa Stefani é a primeira tenista brasileira a atingir o top 10 do ranking de tênis feminino na Era Aberta. Conquistou a primeira medalha olímpica brasileira no tênis ao lado de Laura Pigossi. Junto a canadense Gabriela Dabrowski, faturou seu primeiro maior título, o WTA 1000 de Montreal.

7. Yulimar Rojas

Os feitos de Yulimar Rojas a elevam ao patamar de uma das maiores atletas venezuelanas da história.

A atleta do salto triplo foi campeã mundial em todas as edições entre 2017 e 2022, além do ouro olímpico em Tóquio 2020 e a quebra do recorde mundial que pendia desde 1995. Rojas é a primeira mulher a ganhar um ouro olímpico representando a Venezuela.

8. Elaine Thompson-Herah

A mulher mais rápida do mundo é a jamaicana Elaine Thompson-Herah. Bicampeã olímpica em duas categorias, 100 e 200 m rasos, Elaine é acostumada a subir ao pódio e costuma dividir com suas compatriotas Shelly-Ann Fraser-Pryce e Shericka Jackson.

9. Carissa Moore

A cinco vezes campeã de surfe conquistou o primeiro ouro olímpico da modalidade ao derrotar a sul-africana Bianca Buitendag. Carissa Moore nasceu no Havaí e começou a surfar aos 5 anos com o pai. Em 2011, tornou-se a atleta mais jovem entre homens e mulheres a conquistar o circuito mundial de surfe aos 18 anos.

Publicidade

10. Irene Schouten

A holandesa mais bem-sucedida em uma edição de Jogos Olímpicos de inverno é a patinadora de velocidade Irene Schouten. Entre seus feitos estão às três medalhas de ouro e uma de bronze em Beijing 2022, além do recorde olímpico na prova de 5000 m.

Muitas mulheres ficaram de fora dessa seleta lista, mas nada que as impeçam de colecionar mais títulos e chamar a sua atenção. Que tal conhecer a jovem tenista Naomi Osaka que brilha dentro e fora as quadras?