Estrela do tênis e ativista social, conheça a japonesa Naomi Osaka

Escrito por                    
Atualizado em 21.06.22

Naomi Osaka

Por
Atualizado em 21.06.22

Após vencer a multicampeã do tênis, Serena Williams, Naomi Osaka ganhou o mundo faturando seu primeiro título de Grand Slam, em 2018, aos 21 anos. Com uma personalidade discreta e saques poderosos, a tenista multiétnica chama a atenção nas quadras. A seguir, conheça a jornada esportiva dessa grande atleta.

Publicidade

Índice do conteúdo:

Quem é Naomi Osaka?

Naomi Osaka nasceu na cidade de Osaka em 16 de outubro de 1997. Filha de mãe japonesa e pai haitiano, a família se mudou para os Estados Unidos quando ela tinha 3 anos. A tenista tem uma irmã mais velha, Mari, que também foi jogadora de tênis. Inspirado por Richard Williams, que treinou as filhas Serena e Venus Williams, o pai de Naomi foi técnico das duas filhas durante a juventude, optando por não as inscrever em competições das categorias juniores.

Naomi chegou às competições profissionais aos 14 anos, e com 16 anos já disputava torneios classificatórios para entrar na WTA (Associação de Tênis Feminino). Seu primeiro título foi o Master de Indian Wells em 2018. No mesmo ano, posteriormente, ela ganhou o US Open. Naomi foi a primeira japonesa a ganhar um Grand Slam.

O efeito Naomi Osaka no esporte

A questão da saúde mental ainda não é muito discutida no esporte. Diversos atletas se afastam ou desistem por questões pessoais. Muitos adiantam a aposentadoria por dores incuráveis. Naomi, aos 23 anos, no auge de sua carreira, decidiu não falar com os jornalistas após uma partida no Roland Garros em 2021.

Como norma da competição, todos os jogadores são obrigados a falar com a imprensa. Por isso, Osaka recebeu uma multa de 15 mil dólares e uma enxurrada de críticas. A tenista desistiu da competição e desabafou em suas redes sociais sobre as crises de depressão e ansiedade que vinha sofrendo.

Naomi tem uma personalidade tímida e discreta, possui o hábito de usar fones de ouvido e, raramente, é vista fora das quadras. Em 2020, ela participou ativamente do movimento Black Lives Matter e, no ano seguinte, colocou em debate a saúde mental no esporte.

Em uma entrevista para a revista Time, Naomi diz que está tudo bem em não estar bem, e ressalta a importância de criar alternativas para proteger as atletas. Assim, a tenista fez uma pausa na carreira para cuidar de si. Seu retorno aconteceu no Australian Open de 2022, com a declaração de que ela estava em paz consigo.

10 curiosidades sobre a Naomi Osaka

Para conhecer melhor a vitoriosa tenista, confira 10 curiosidades inspiradoras:

Publicidade

1. Primeira asiática a ser líder do ranking WTA

Naomi é a primeira asiática a liderar o ranking mundial de tênis feminino, o WTA. Em 2019, ela venceu a russa Anastasia Pavlyuchenkova na final do Australian Open.

2. Ganhou 4 Grand Slams

A tenista venceu seu primeiro Grand Slam aos 21 anos contra uma das maiores tenistas de todos os tempos, Serena Williams. Durante sua carreira, ela já conquistou duas edições do US Open (2018 e 2020) e duas edições do Australian Open (2019 e 2021).

3. Acendeu a pira olímpica das Olimpíadas de Tóquio 2020

A primeira tenista a protagonizar o ato simbólico de acender a pira olímpica e encerrar a cerimônia de abertura de uma edição de Jogos Olímpicos. Naomi chegou em Tóquio como uma das promessas para vencer os jogos, porém foi eliminada na terceira rodada.

4. Tem a própria marca de cosméticos

Chamada “Kinlò”, a marca de cosméticos celebra a biculturalidade da tenista, filha da mãe japonesa e pai haitiano. Kin e Lò significam ouro em japonês e em criolo haitiano. A linha de produtos de skincare é voltada às peles com melanina elevada.

5. Atleta feminina mais bem paga do mundo em 2021

Em um levantamento feito pela revista Forbes, Naomi embolsou cerca de 57,3 milhões de dólares, entre salários e patrocínios, na temporada 2021/2022. Ela ultrapassou as vitoriosas tenistas Serena e Venus Williams, que ficaram, respectivamente, em segundo e terceiro lugares.

6. Foi apresentadora do Met Gala 2021

Ao lado do ator Timothée Chalamet, da cantora Billie Eilish e da poeta Amanda Gorman, Naomi foi co-presidente do Met Gala, baile de gala anual que angaria fundos para o Museu de Arte Metropolitana de Nova Iorque. Escolhidos por Anna Wintour, organizadora do evento e diretora-chefe da Vogue, os astros deixaram sua marca na moda e representaram a Geração Z.

7. Trouxe um debate importante sobre saúde mental no esporte

Naomi Osaka

Publicidade

Após desistir do Roland Garros em 2021, Naomi revelou sofrer com crises de depressão desde a final do US Open em 2018. Ela decidiu se afastar das quadras, após os Jogos Olímpicos, para cuidar da sua saúde mental. “Vou passar um tempo fora das quadras agora, mas quando for a hora certa, eu gostaria de discutir maneiras de tornar as coisas melhores para as jogadoras, para a imprensa e para os fãs. Espero que todos estejam bem e seguros. Amo todos vocês”, anunciou em seu twitter.

8. Ativista dentro e fora das quadras

A onda de manifestações antirracistas teve uma grande repercussão nos Estados Unidos em 2020. Em forma de protesto, a tenista usou máscaras com os nomes das pessoas negras assassinadas pela polícia norte-americana durante as partidas do US Open.

9. Mattel lança Barbie inspirada em Naomi

Naomi é uma inspiração para crianças do mundo inteiro. Em 2021, a Mattel lançou uma Barbie inspirada na tenista. Segurando uma raquete Yones, uniforme de tênis da Nike e uma viseira branca, a boneca faz parte da série Barbie Role Model e esgotou logo após o lançamento.

10. Ganhou três vezes o prêmio Laureus

Considerado o “Oscar do esporte”, o prêmio Laureus consagra os melhores esportistas do ano. Naomi Osaka ganhou o prêmio de Atleta Revelação em 2019. Além disso, ganhou o prêmio Melhor Atleta Feminina em 2020 e 2021.

A maior tenista japonesa da atualidade não cansa de fazer história e tornar o tênis um esporte mais inclusivo e discutido. Aproveite e confira a história de outra jovem atleta que está batendo recordes e ganhando prêmios, a skatista brasileira Rayssa Leal.

Assuntos: Esportes