Noz da Índia é usada para perda de peso, mas pode oferecer riscos à saúde

Não há estudos que comprovem este benefício, além disso, ela pode ser facilmente confundida com outra semente tóxica

Escrito por Tais Romanelli
Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Há algum tempo a Noz da Índia vem chamando a atenção das pessoas pelo seu suposto poder de emagrecimento. Pouca gente, porém, para para investigar o que é exatamente esta semente, quais benefícios pode oferecer e se há riscos em seu consumo.

“A Noz da Índia (em inglês Candlenut) é a castanha da árvore Nogueira da Índia. O seu nome científico é Aleurites Moluccana. Faz parte da culinária da Indonésia e da Índia utilizá-la como uma especiaria. No Brasil, vem sendo comercializada, principalmente pela internet, com a promessa de ser um emagrecedor milagroso”, diz Camila Secches, endocrinologista titulada pela SBEM, especialista em Nutrologia pela ABRAN e professora de Endocrinologia da Faculdade de Medicina de Itajubá.

Vivian Talarico, nutricionista clínica da L&L Espaço Vida ao Corpo, especialista em atendimento nutricional, nutrição esportiva e nutrição funcional, diz que a Noz da Índia tem em sua composição carboidratos, proteínas e gorduras.

Possíveis benefícios do consumo de Noz da Índia

Há uma forte crença popular de que a Noz da Índia contribui para o emagrecimento, porém, ainda não existe nenhum estudo que comprove este benefício.

“O extrato da folha da Nogueira da Índia, segundo alguns estudos, pode inibir a lipase, enzima responsável pela absorção de gorduras e, por isso, levaria à possível diminuição dos níveis de colesterol e discreta perda de peso, assim como é observado em medicamentos com mecanismo de ação semelhante. Outros estudos mostram que em algumas pessoas, possui efeito anti-inflamatório e analgésico. É importante reforçar que os estudos foram realizados com o extrato da folha da planta e não com a semente, que é a Noz da Índia”, explica Camila.

Leia também: 10 alimentos saudáveis que deixam você satisfeita

A nutricionista funcional Maria Luiza S. Moura explica que a Noz da Índia é composta por ácidos graxos como Ômega-3 e Ômega-6, o que pode relacioná-la à redução dos níveis de colesterol. “Tem alta concentração de fibra. Então, se consumida junto com água, poderia causar sensação de saciedade e reduzir o apetite”, acrescenta.

A nutricionista Vivian destaca como benefícios do consumo correto da semente:

  • Auxílio na perda de peso;
  • Ajuda na redução do colesterol;
  • Ajuda no combate à celulite;
  • Redução da fome e combate à vontade de comer doces;
  • Combate à prisão de ventre.

Para a nutricionista Maria Luiza, porém, é difícil falar em reais vantagens do consumo da Noz da Índia, já que não há nada comprovado cientificamente. “O que se sabe com certeza é do seu efeito laxativo, mas a verdade é que a venda da semente é proibida no Brasil, ela não é autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Assim, não pode ser destacada como aliada segura na perda de peso. Não há nada também que a isente de ser tóxica ao organismo”, explica.

Camila ressalta que não existe estudo científico na literatura que comprove efeito de emagrecimento associado à Noz da Índia.

Como consumir Noz da Índia

De acordo com Vivian, a semente pode ser consumida da seguinte maneira:

Leia também: 24 receitas de suco verde para adicionar ao seu cardápio

  • Na primeira semana, divida uma semente em oito partes iguais, e consuma um pedaço por dia, no período da manhã. Não se esquecendo de consumir bastante líquidos.
  • Na segunda semana, faça a divisão em quatro partes iguais, e consuma uma parte conforme a semana anterior.

“É proibido consumir mais do que esta quantidade, por conta de efeitos desagradáveis, como desarranjo intestinal”, orienta Vivian.

Camila comenta que, aqui no Brasil, existe uma sugestão de consumo da Noz da Índia crua, diluída em água quente, divulgada pela internet, com o objetivo de perda de peso. “Essa recomendação, porém, não tem embasamento científico”, destaca.

Maria Luiza ressalta que a semente deve ser consumida somente se houver indicação nutricional ou médica.

Contraindicações, precauções e efeitos colaterais

Vale lembrar sempre que nenhum alimento ou substância deve ser consumido em excesso, ainda mais com o propósito de emagrecer de forma rápida.

“Tudo que se consome em excesso pode causar prejuízos. Os possíveis efeitos colaterais da Noz da Índia incluem: cólicas, diarreias, náuseas, gases, dor de cabeça, desidratação”, diz Maria Luiza.

Vale lembrar que a Noz da Índia não tem venda autorizada pela ANVISA…

A Noz da Índia pode fazer mal, especialmente quando consumida exageradamente, destaca a nutróloga Camila. “Uma das propriedades da Noz da Índia é seu efeito laxativo. A diarreia crônica atrapalha a absorção de nutrientes importantes para a saúde, como vitaminas e minerais. E não existe respaldo científico que comprove a segurança do consumo da Noz da Índia conforme tem sido recomendado através da internet”, diz.

O produto é contraindicado para crianças até 15 anos, grávidas, lactantes, maiores de 65 anos, alérgicos, pessoas com problemas de úlcera, pressão alta ou problemas de coração.

“Como não há estudos ainda em humanos, o que temos hoje em dia são puramente da observação. No caso de algum dos efeitos colaterais, deve-se suspender imediatamente o consumo da semente”, destaca Vivian.

Vale lembrar que a Noz da Índia não tem venda autorizada pela ANVISA, mas, apesar disso, é facilmente encontrada em algumas lojas de produtos naturais e até na internet.

Noz da Índia X Chapéu de Napoleão

Devido à grande procura pela Noz da Índia para perda de peso, algumas pessoas estão comercializando a semente de outra planta, o Chapéu de Napoleão, como se fosse a Noz da Índia. “O Chapéu de Napoleão é uma planta comum e facilmente cultivada e, por isso, encontrada com preço bem abaixo do preço da Noz da Índia”, destaca Camila.

Muita polêmica tem girado em torno da venda da Noz da Índia e da semente Chapéu de Napoleão, algumas vezes, chamadas de “noz verdadeira” e “noz falsa”, respectivamente. Ambas podem ser encontradas em lojas de produtos naturais e a segunda é a que mais preocupa, pois é comprovadamente tóxica e, muitas vezes, vendida como se fosse Noz da Índia.

…o principal cuidado é verificar de estar comprando corretamente, fugindo do Chapéu de Napoleão que é altamente tóxico.

Cristiane Braga, nutróloga pela ABRAN, e especialista em Clínica Médica, Dermatologia, Medicina Estética e Cabelo, destaca que a erva Chapéu de Napoleão tem efeito tóxico pelas grandes quantidades de glicosídeos cardiotônicos. “Isto é, pode aumentar o esforço cardíaco”, diz.

O Chapéu de Napoleão pode ser tóxico para o ser humano, especialmente quando consumido em grande quantidade. “Há relato de pacientes que precisaram ser internados com quadro de intoxicação causado por esta planta”, ressalta a endocrinologista e nutróloga Camila.

Nem a Noz da Índia nem o Chapéu de Napoleão são autorizados pela ANVISA. “Assim, caso decida comprar mesmo assim a Noz da Índia, o principal cuidado é verificar de estar comprando corretamente, fugindo do Chapéu de Napoleão que é altamente tóxico”, lembra Maria Luiza.

“A Noz da Índia é branquinha, deve-se tomar bastante cuidado, pois o interno do Chapéu de Napoleão é bastante parecido”, destaca Vivian.

É bem difícil diferenciá-lo da Noz da Índia, mas, no geral, a semente do Chapéu de Napoleão costuma ser um pouquinho maior e tem a casca um pouco mais quebradiça e menos “peludinha”.

Para evitar problemas, o melhor é adquirir a Noz da Índia de fornecedor confiável. Além disso, apostar no consumo somente se houver indicação de um profissional. Lembrando que não há comprovação de que a semente ajude mesmo a emagrecer.

“Não recomendo o uso de nada que promete ser milagroso. Atingimos bons resultados com atividades físicas e uma boa reeducação alimentar”, finaliza a nutricionista Vivian.

Assuntos: Alimentação

Dicas pela Web