Espinha na cabeça: principais causas e tratamentos eficazes

Escrito por
Em 27.09.19

iStock

O desenvolvimento da espinhas na cabeça é originado quando os folículos pilosos – estrutura dérmica que é composta por cabelos ou pelos – estão obstruídos. Assim, é gerada uma inflamação dos folículos pilosos e impede o nascimento e crescimento dos fios.

Continua após o anúncio

Para identificar os sintomas da infecção de pele do couro cabeludo, esclarecer as dúvidas e apresentar os tratamentos mais eficazes, consultamos a médica e docente, Dra. Simone Tavares Veloso (CRM-RJ 552181 | RQE 11249), especialista em Dermatologia, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology.

Causas de espinha na cabeça

iStock

A principal causa da espinha na cabeça é a infecção da bactéria Staphylococcus aureus nos folículos pilosos em ampla quantidade, ocasionando uma inflamação aguda ou crônica da área. “O uso excessivo de produtos cosméticos oleosos e siliconados, aplicados diretamente no couro cabeludo, a má higiene e o suor contribuem para o dano folicular”, explica Simone.

Os sintomas apresentados são pequenas espinhas com pontas esbranquiçadas ao redor dos folículos pilosos, podendo haver dor, sensibilidade, coceira, pus e vermelhidão local. Há alguns fatores de risco que podem tornar determinada pessoa mais suscetível a desenvolver essa condição: “as diabetes, a leucemia crônica, a AIDS, a obesidade e a dermatite seborreia favorecem o desenvolvimento da foliculite, mas não há influência da idade”, afirma.

Como tratar espinha na cabeça

iStock

O tratamento adequado para espinha na cabeça tem variações conforme a causa e gravidade das lesões. Segundo Simone, “geralmente são casos de foliculite superficial em que se auto restabelecem, mas há casos de foliculite profunda que aparecem furúnculos, necessitando do tratamento”. Confira abaixo as indicações:

Leia também: Dor no couro cabeludo: possíveis causas e sintomas associados

  • Consultar dermatologista: o especialista irá examinar fisicamente a área acometida, diagnosticando a causa de maneira correta.
  • Prescrição de antibióticos: regredir a foliculite bacteriana.
  • Prescrição de antifúngicos: para recorrência da foliculite fúngica.

A espinha na cabeça se não tratada poderá gerar muito desconforto, além de complicações, principalmente a perda definitiva dos fios e o aparecimento das cicatrizes.

Como prevenir espinha na cabeça

iStock

Continua após o anúncio

Existem alguns cuidados que são primordiais e que devem ser seguidos para que a prevenção tenha êxito. A seguir, confira as recomendações médicas de acordo com a dermatologista:

  • Usar com moderação os condicionadores e leave in somente nos fios ao invés da raiz.
  • Manter o couro cabeludo limpo e livre das escoriações e/ou irritações.
  • Evitar o uso de chapéus e bonés por tempo contínuo.
  • Usar shampoos específicos à renovação celular e prevenção da obstrução da saída dos fios.
  • Não coçar e/ou espremer.
  • Evitar o uso prolongado de antissépticos e corticoides, pois alteram a resistência da pele à flora microbiana.

Se você está buscando mais dicas sobre o tema, veja também nosso post sobre não espremer espinha.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Assuntos: Pele

Para você