Como fazer a chuca? Sexóloga orienta e tira dúvidas sobre o tema

Escrito por
Em 08.07.19

iStock

A chuca é assunto rotineiro para quem pratica ou deseja fazer sexo anal, especialmente para aqueles que se preocupam com possíveis surpresas desagradáveis. Apesar de popular, a chuca nem sempre é uma prática tratada com o devido cuidado. Há diversas formas de fazê-la, e algumas nem sempre são as melhores para a saúde.

Além disso, as dúvidas em torno dessa prática são muitas, e se informar é a melhor receita para garantir que ela seja efetiva. Por isso, convidamos a sexóloga Alyne Meirelles para nos ajudar a solucionar as questões em torno do tema e indicar a melhor maneira de praticá-la. Mas primeiro, vamos entender no que consiste a chuca?

O que é chuca

A chuca, uma gíria para o termo enema, é uma técnica de limpeza da região anal que foi pensada inicialmente para ajudar pessoas com problemas de intestino. Ela consiste na introdução de água no canal do ânus e por isso também é chamada de ducha.

Sexóloga explica dúvidas sobre a chuca

iStock

A chuca é alvo de muitas discussões médicas e também assunto popular para quem pratica sexo anal. Para ajudar a responder às dúvidas e polêmicas sobre o tema, conversamos com a sexóloga Alyne Meirelles. Acompanhe a seguir:

Leia também: Sexo anal: 6 dúvidas respondidas por especialistas

Quais os riscos da chuca para a saúde?

A sexóloga explica que a chuca pode atrapalhar o funcionamento do intestino e da flora intestinal, pois o jato de água vai muito além do canal do reto, fazendo uma limpeza muito mais profunda e desnecessária para o sexo anal. Além disso, pode prejudicar a mucosa da região, pois nem todos os métodos são seguros ou apropriados para a prática.

Ela reforça que a prática constante da chuca pode trazer complicações para a saúde, e isso deve ficar claro, “pois nem todo mundo conhece os riscos e ter consciência deles é extremamente necessário para fazer escolhas saudáveis” – completa.

Fazer a chuca é realmente necessário?

Segundo a sexóloga, se a pessoa tem uma alimentação boa, come muitas fibras e tem um bom funcionamento intestinal, é bem difícil que fique algum resquício de fezes no canal do reto. Sendo assim, ela diz que a chuca não é necessária, a não ser que você tenha algum problema para evacuar ou em casos médicos onde o enema é recomendado.

Como fazer a chuca de maneira segura?

Para fazer a chuca de maneira segura, a sexóloga recomenda não compartilhar os equipamentos, pelo risco de contaminação, e sempre tomar cuidado para não machucar a mucosa da região anal. Além disso, a pressão da água não deve ser forte e a sua temperatura precisa ser ambiente.

Com que frequência é recomendado fazer a chuca?

Se a chuca for feita antes de todo ato, e a prática de sexo anal for constante, ao longo do tempo isso pode trazer danos sérios para a saúde. Não existe uma regra ou dados médicos seguros que afirmem quantas vezes você pode fazer a chuca. Segundo Alyne, o que se sabe com certeza é que quando as pessoas a fazem com muita frequência, elas costumam ter problemas de funcionamento do intestino.

Leia também: 15 momentos estranhos no sexo que não devem ser levados a sério

É recomendado o uso de laxante?

A profissional é enfática ao dizer que não é recomendado o uso de laxantes, supositórios de glicerina ou variantes. Com o uso desses produtos, você vai estimular o seu corpo a fazer algo que não é normal. O enema não foi feito pensando no sexo anal, e sim na lavagem intestinal de pessoas com problemas de saúde. Laxantes e supositórios não devem ser banalizados, porque forçam o organismo além do necessário.

Deu pra perceber que o assunto não é brincadeira e deve ser tratado com muita seriedade, não é mesmo? Para ajudar, Alyne nos explicou alguns métodos para fazer a chuca. Confira a seguir:

Métodos seguros para fazer a chuca

iStock

Se você sabe de todos os riscos e mesmo assim quer fazer o procedimento de forma responsável, Alyne explica dois métodos que podem ser mais seguros. Confira:

Enemas pequenos e descartáveis

A sexóloga recomenda a compra de enemas menores, sem tanta pressão e descartáveis. Você pode encontrar esses equipamentos em uma sex shop.

  • Encha a “ducha” com água em temperatura ambiente. Nada de água quente, pois ela pode causar queimaduras.
  • Espalhe lubrificante na entrada do ânus.
  • Introduza a ducha de enema com cuidado.
  • Aperte a ducha e fique perto de um vaso sanitário para que a água escorra.

Se no primeiro jato a água já sair limpa, a sexóloga reforça que você deve parar por aí. Se não, repita o procedimento no máximo três vezes.

Leia também: Orgasmos múltiplos: o que são e dicas para chegar lá

Limpeza no banho

Para a sexóloga, a higienização no banho é mais que suficiente. Após evacuar, você fará o seguinte:

  • Tome um banho normalmente. Lave suas genitais como de costume;
  • Ao final, ensaboe um dedo e introduza-o na região anal, com cuidado;
  • Mova o dedo para fazer a limpeza.

Alyne explica que não é necessário colocar o dedo muito profundamente, pois a limpeza deve ser somente no canal do reto. Não esqueça de higienizar o seu dedo antes de colocá-lo dentro do ânus.

Agora que você já sabe como fazer a chuca de forma segura, a sua saúde agradece e até o sexo anal pode ser melhor. Ainda assim, é bom entender por que métodos tão populares como o chuveirinho não são indicados. Vamos descobrir?

Métodos não recomendados para fazer a chuca

iStock

Apesar de populares, alguns métodos podem trazer sérios riscos para a saúde. Confira a explicação da sexóloga e entenda cada um deles:

Chuveirinho do banheiro

Apesar de ser o método mais tradicional, a sexóloga não recomenda utilizar a ducha do banheiro para fazer a limpeza, pois é uma via de contaminação enorme. Por mais que você limpe-o, as bactérias e sujeiras ficam ali, correndo risco de você se contaminar várias vezes e ainda contaminar outras pessoas que usam a mesma ducha.

Leia também: As 12 melhores posições sexuais do Kama Sutra para as mulheres

Além disso, o caninho do chuveirinho tem grande probabilidade de te machucar, porque é um material duro. Por isso, Alyne enfatiza: “descarte completamente essa possibilidade”.

Laxantes ou supositório de glicerina

Como já explicado anteriormente, os laxantes e supositórios de glicerina não foram feitos para a prática da chuca. Por isso, é sempre bom reforçar: se você não tem doenças que exigem o uso destes medicamentos, não os use!

Chuca com garrafa pet

Se utilizar a ducha do banheiro já pode causar ferimentos, imagine com uma garrafa pet? Além de ser extremamente antihigiênica, a garrafa pode ferir a região anal porque é um material duro e de plástico. Evite!

Como deu para perceber, nem sempre o melhor método é o mais popular. É importante entender a melhor forma de fazer a chuca para garantir sua saúde e a de seu parceiro ou parceira.

Depois de tanta informação, não dá mais para correr o risco de fazer a chuca sem segurança. Se você sente a necessidade de fazer o procedimento, certifique-se que está seguindo os métodos mais indicados. Em caso de dúvidas ou complicações, consulte um médico.

Assuntos: Corpo, Sexo

Para você