Bebidas eletrolíticas: para que servem os hipotônicos, isotônicos e hipertônicos?

Descubra os diferentes tipos de bebidas eletrolíticas, suas indicações e aprenda receitas caseiras para fazer você mesma suas bebidas

Escrito por Larissa Avelar
Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Hidratação, todo ser humano precisa dela. Há algumas ocasiões, entretanto, em que a boa e velha água não é suficiente para manter o funcionamento normal do corpo saudável. É o caso de quando estamos doentes sofrendo de diarreias e vômitos, por exemplo, ou após fazer esforços físicos intensos e prolongados. Nessas condições o organismo perde sais importantes chamados eletrólitos, como o sódio, o cálcio, o potássio e o magnésio.

Estes sais são responsáveis pela condução de eletricidade entre as células, permitindo assim que informações sejam transmitidas de uma parte para outra do nosso corpo.

Em outras palavras, os eletrólitos são diretamente responsáveis pelo bom funcionamento dos nossos órgãos e participam de processos como a reconstrução de tecidos, contração de músculos e a manutenção da pressão arterial. Portanto, é preciso recompô-los caso haja perda.

As bebidas eletrolíticas são bebidas formuladas para repor esses sais e também carboidratos perdidos após a transpiração intensa ou diarreias e vômitos, evitando assim problemas que vão desde a fadiga, tontura, problemas de pele, passando por câimbras, dores de cabeça, gerando até hipotensão e alterações no ritmo cardíaco.

Nas farmácias geralmente podemos encontrar bebidas eletrolíticas voltadas para atletas e outras voltadas para crianças que sofreram desidratação. Embora ambas sejam bebidas que repõem os eletrólitos, elas não são permutáveis. Ou seja, uma criança desidratada não deve tomar uma bebida para atletas porque além das concentrações de sais serem diferentes, as bebidas para atletas possuem açúcar, algo que não é bom no caso de crianças doentes. Já no caso das bebidas voltadas para quem pratica atividades físicas, é importante lembrar que elas são indicadas apenas no caso de atividades mais longas que uma hora.

Leia também: Erros que aumentam as calorias da sua dieta

Os três tipos de bebidas eletrolíticas

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Há três tipos de bebidas eletrolíticas e embora todas tenham como objetivo a reposição dos eletrólitos, elas são indicadas para diferentes situações. Aprenda um pouco mais sobre elas e saiba qual delas você precisa nos tópicos a seguir.

Hipotônicos

São bebidas que possuem uma menor concentração de sais e carboidratos que o plasma sanguíneo, e por isso são absorvidas mais rapidamente que a água. As bebidas hipotônicas podem ser consumidas antes do treino, entretanto, a nutricionista chama atenção: no caso de exercícios leves a moderados, “não é necessário consumir eletrólitos, já que é suficiente beber água antes, durante e depois do exercício físico, ficando bem hidratado. A água, em combinação com uma dieta equilibrada, já proporciona ao organismo os níveis necessários de eletrólitos”, afirma a nutricionista Thaís Queiroz da clínica Vivace Saúde do Homem. Thaís recomenda:

Opção 1:

  • 100 ml de suco de fruta;
  • água 900ml;
  • 1 -1,5 g de sal (opcional).

Opção 2:

  • 250 ml de suco de fruta;
  • água de 750 ml;
  • 1 a 1,5 g de sal (opcional).

Isotônicos

São bebidas cuja concentração de eletrólitos é igual à do plasma e são também os tipos de bebidas eletrolíticas mais conhecidas. A nutricionista Andréa Marim da clínica Michele Haikal resume: “estas bebidas são uma fonte imediata de energia que auxiliam na hidratação instantânea do corpo desidratado.” Aqui vão duas receitas sugeridas pela profissional:

Leia também: Hábitos pós-treino podem potencializar seu desempenho físico

Opção 1:

  • 1 litro de água filtrada bem gelada;
  • 1 limão tahiti;
  • 60 gramas de açúcar;
  • 1 grama de sal.

Opção 2:

  • 2 litros de água;
  • 1/2 maço de, hortelã;
  • ½ xícara de uvas ou morangos;
  • 1 laranja descascada;
  • 1 xícara de melancia.

“Misture a água com os ingredientes acima nas seguintes combinações: Morango ou laranja com manjericão; melancia com hortelã; uva com estragão. Misturar e deixar em um recipiente à noite para tomar de dia”, recomenda Andréa.

Opção 3:

  • 2 colheres de sopa de açúcar;
  • 1/4 de uma colher de chá de sal;
  • 2 colheres de sopa de suco de laranja ou de limão;
  • 2 copos de água bem gelada.

Hipertônicos

Os hipertônicos têm uma concentração maior que a do plasma sanguíneo, sendo absorvido mais lentamente do que a água. Por possuir uma alta concentração, ele não repõe bem a água perdida, apenas os eletrólitos e carboidratos. “São apropriadas para esforços prolongados realizados em tempo frio, momento em que a perda de suor é pequena e não é necessário repor tanto líquido, mas é preciso ganhar carboidratos (energia)”, indica Thaís. Aqui vão suas receitas:

Leia também: 48 receitas de snacks saudáveis para você fazer na sua casa

Opção 1:

“Podemos misturar sumo de fruta com proteína (Whey Protein por exemplo) e aveia moída com água. Quanto mais proteína e gordura tiver, maior o atraso da absorção dos hidratos de carbono”, indica Thaís.

Opção 2:

  • 200ml de suco de frutas natural;
  • 800ml de água de coco ou chá verde;
  • Meia colher de café de sal;
  • Meia colher de sopa de maltodextrina.

Bebidas alternativas para repor água e sais minerais

Quem faz exercícios mais leves ou sofre com hipertensão ou diabetes, pode se beneficiar dos seguintes substitutos: água; água de coco (isotônico natural); sucos naturais de baixo teor calórico como limonada, suco de maracujá, melão, kiwi ou morango e bebidas hidrotônicas: “similares aos isotônicos, porém com menor dose de sais minerais, ideais para hipertensos”, indica Andréa.

Quem pode e deve tomar?

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Como já falado antes, as nutricionistas lembram que apenas pessoas que praticam atividades de alta intensidade e mais longas que uma hora são candidatos para o uso das bebidas. Ainda assim é necessário consultar um nutricionista para saber se há realmente necessidade e qual a quantidade certa, uma vez que elas são uma ingestão calórica e isso pode fazer o ponteiro da balança subir.

Leia também: Os melhores sucos para antes e depois do treino

A lista de quem não pode tomar é maior. Crianças, por exemplo, não devem tomar a menos que haja indicação de um nutricionista. Hipertensos devem evitar, uma vez que as bebidas contêm sódio e “a dieta do brasileiro já é rica em sódio”, lembra Andréa. Diabéticos também devem evitar devido ao açúcar. Pessoas com problemas renais e gestantes não devem tomar as bebidas eletrolíticas, a menos que haja indicação e supervisão médica.

Por fim, é bom lembrar que mesmo atletas de alto desempenho não devem consumir as bebidas eletrolíticas o tempo inteiro, substituindo o consumo da água e de sucos naturais. As bebidas eletrolíticas foram formuladas para repor sais e energias de forma pontual (antes ou logo após do treino) e rápida, mas não é uma alternativa para a hidratação e alimentação natural que ocorre ao longo do dia.

Bebidas caseiras ou prontas?

As bebidas caseiras são eficazes, “mas contêm apenas um eletrólito, o sal e o carboidrato do açúcar”, diz Andréa. Atletas de alta performance precisam de mais nutrientes e por isso as bebidas disponíveis no mercado podem ser uma opção interessante. Entretanto, mesmo sendo opções geralmente seguras, a composição varia bastante entre as marcas, os carboidratos, por exemplo, podem chegar a 20 gramas por 200 mililitros. É necessário ler os rótulos e decidir em conjunto com seu nutricionista a melhor opção de acordo com suas necessidades.

Seja a sua escolha caseira ou pronta, as bebidas eletrolíticas podem ser um poderoso aliado ao seu treino, ajudando assim a dar maior disposição e melhores resultados. Tal benefício vem apenas com uma boa orientação médica ou de um nutricionista que pode verificar se há necessidade e qual a quantidade, caso contrário você poderá gerar um problema a mais e se distanciar da sua meta de vida saudável.

Assuntos: Alimentação

Dicas pela Web