Tipos de vagina: é hora de conversar sobre suas partes íntimas

Escrito por
Em 09.08.19

iStock

O quanto você conhece do seu próprio corpo? Sabe quais são os tipos de vagina, o que é a vulva ou qual a função do períneo? Sabe que vagina e vulva não são a mesma coisa? Talvez seja hora de dar mais atenção para as suas partes íntimas, pois há muito para se aprender.

Abaixo você descobrirá que, assim como cada mulher, cada vulva é única, com sua forma, sua cor, seu jeito. Além disso, vai conferir algumas curiosidades sobre essa parte tão importante do corpo feminino. Confira.

Vagina x Vulva

iStock

Sabia que a parte que você provavelmente chama de vagina não é a sua vagina? A parte externa do órgão genital feminino, que pode ser vista, é, na verdade, a vulva. Apenas a região que fica dentro do corpo é a vagina propriamente dita.

É na vulva que estão os grandes e pequenos lábios, por exemplo. Confira um pouco mais sobre sua anatomia abaixo.

  • Monte de vênus: trata-se daquela área logo acima do púbis, onde crescem pelos. Em algumas mulheres o monte de vênus é mais gordinho.
  • Grandes lábios: essas dobras de tecido têm como função proteger a abertura da vagina da entrada de bactérias ou fungos. Os grandes lábios são cobertos por pelos pubianos.
  • Pequenos lábios: ficam no interior dos grandes lábios e se constituem de mucosa. Trata-se de uma parte bastante sensível e que pode aumentar de tamanho em momentos de excitação.
  • Clitóris: localiza-se pertinho da junção dos pequenos lábios e é como um iceberg: apenas uma parte fica aparente para fora do corpo. Cheio de terminações nervosas, esse órgão tem uma única função: proporcionar prazer.
  • Uretra: é daqui que sai a urina. Trata-se de um canal que vai até na bexiga, pertencendo ao sistema urinário. A uretra das mulheres é mais curta que a dos homens.
  • Vagina: é ela que leva aos órgãos sexuais que estão dentro do corpo, e é daqui que sai o sangue da menstruação.
  • Hímen: membrana que cobre a entrada da vagina. Essa pelezinha costuma se romper na primeira relação sexual, mas não é em todos os casos que isso acontece.
  • Períneo: é a parte que fica entre a vagina e o ânus. Também conhecido como assoalho pélvico, o períneo faz a sustentação do útero, da vagina, da bexiga e do reto.

Um pouco de conhecimento a mais sobre o seu maravilhoso corpo é sempre bem-vindo, não é mesmo?

Tipos de vulva

Quando o assunto é vulva, não existe um tipo definitivo: cada mulher tem a sua. No entanto, algumas características semelhantes ajudam a defini-las, como o tamanho dos lábios e da região clitoriana. Confira no vídeo abaixo as explicações de Cátia Damasceno e alguns dos tipos de vulva mais comuns.

  • Tipo coração: também pode ser chamada de tipo beijo. Nessa vulva os grandes lábios cobrem o clitóris e os pequenos lábios, deixando-os “guardadinhos”.
  • Tipo borboleta: nesse tipo os pequenos lábios são maiores, podendo até ser mais longos que os grandes lábios. Em alguns casos, o tamanho dos pequenos lábios pode causar incômodos durante o ato sexual em função do atrito causado.
  • Tipo tocha olímpica:aqui o clitóris fica mais aparente, aparecendo para fora dos pequenos e grandes lábios.

Seja qual for o seu formato de vulva, vale lembrar que cada corpo é um corpo, possui sua própria anatomia e particularidades. Nenhum formato é melhor ou mais bonito que outro, certo?

Curiosidades sobre vagina e vulva

Sua vagina está com você todos os dias, mas existem algumas coisas sobre ela que possivelmente você sequer fazia ideia. Confira.

  • De várias cores: existem várias tonalidades para a vulva, de rosa a vermelho e marrom. Durante a idade fértil ela pode ficar mais escura.
  • Odor diferente: assim como a cor da vulva pode se alterar, o mesmo vale para seu cheiro, que pode mudar sutilmente conforme o ciclo menstrual. No período fértil ele pode ficar mais intenso, e também pode variar de acordo com sua alimentação.
  • Elasticidade nota 10: talvez você nunca tivesse pensado nisso, mas a vagina é a parte mais elástica do corpo. Não é por acaso que um bebê passa por ali, certo?
  • O pH da região vaginal é similar ao do vinho: geralmente é inferior a 4,5. Esses níveis são controlados por bactérias e, quando estão altos, podem indicar infecções.
  • Ela é autolimpante: nem pense em passar sabonetes normais ou perfumados nas suas partes íntimas. A utilização de certos produtos pode inclusive prejudicar a flora vaginal. Sua vulva é tão poderosa que se higieniza sozinha, sendo necessário apenas limpá-la delicadamente com água durante o banho – e apenas na região externa.
  • Você pode exercitar a vagina: exercícios como o pompoarismo fortalecem a musculatura da área, o que ajuda a combater incontinência urinária e dá aquele up na hora do prazer.

E aí, se surpreendeu?

Cirurgia íntima

Se o formato da sua vulva prejudica você de alguma forma, seja na sua autoestima ou durante as relações sexuais, vale a pena pesquisar sobre as cirurgias íntimas. Alguns dos procedimentos mais conhecidos são a ninfoplastia ou labioplastia, que visa reduzir os pequenos lábios; a clitoriplasta, que é realizada para reconstituir o clitóris ou remover excesso de pele dele; redução do monte de vênus e enxerto de gordura nos grandes lábios.

Não se esqueça: esses procedimentos devem ser realizados com médicos associados à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Não arrisque sua saúde ou sua vida!

Agora que você já conhece os tipos de vulva e um pouco da sua estrutura, chegou a hora de saber mais sobre a vagina. Tire suas principais dúvidas e veja o que você pode e não pode fazer com esse importante – e delicado – órgão.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Assuntos: