Saiba como identificar, prevenir e tratar o queloide na orelha

Escrito por
Atualizado em 26.11.20

iStock

O queloide na orelha é um distúrbio de cicatrização, que pode surgir devido a diversos fatores, como a colocação de piercings ou brincos, por exemplo. Para saber mais informações acerca do problema e como tratá-lo, consultamos o dermatologista Leonardo Abrucio (CRM: 66591), da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo. Confira!

Continua após o anúncio

Índice do conteúdo:

O que é queloide e por que aparece?

De acordo com o dermatologista, o queloide é uma lesão elevada, de coloração escura, que normalmente dói ou coça. “O queloide na orelha é uma cicatriz exuberante cujo limite ultrapassa o local da injúria”, aponta Leonardo.

Esse tipo de problema aparece por conta de algum traumatismo local, como ferimentos, cortes, novos furos para brincos ou piercings – o que desencadeia um crescimento anormal do tecido a ser cicatrizado.

5 dúvidas respondidas pelo dermatologista

Há uma série de dúvidas sobre o queloide que aparecem com frequência. Acompanhe os esclarecimentos do dermatologista!

1. Queloide dói?

O queloide, associado ao tamanho da injúria, pode sim doer ou coçar, depende de cada caso.

2. Se tirar o piercing ou brinco, o queloide sai?

Na maioria dos casos, quando retirado o brinco ou piercing há uma diminuição do problema.

3. O queloide pode ser hereditário?

O componente hereditário é importante e pode interferir no aparecimento do queloide. Além disso, se a pessoa apresentou esse problema alguma vez, poderá ter novamente ao passar por uma cirurgia, cortes ou ferimentos”.

4. Qual a diferença do queloide e cicatrizes normais?

A cicatriz hipertrófica é aquela que fica acima da pele normal e tem o tamanho de um corte cirúrgico. Já a cicatriz queloidiana é maior que a cicatriz hipertrófica, apresentando os sintomas de dor e coceira mais exuberantes do que a outra.

5. Como prevenir o queloide?

Para prevenir, deve-se passar por uma técnica cirúrgica adequada, com boa assepsia para não ter infecções. Após uma cirurgia ou a colocação de brincos e piercings, é indicado evitar a exposição solar e não coçar, além de não se submeter a cirurgias desnecessárias, como a retirada de uma pinta sem necessidade, por exemplo, caso haja tendência ao queloide.

Continua após o anúncio

Se você colocou um piercing ou brinco e percebeu alguma irregularidade, não deixe de procurar um especialista para indicar o tratamento mais adequado! A seguir, listamos alguns tratamentos que podem ser considerados. Confira!

Tratamentos para queloide na orelha

Os tratamentos para queloide na orelha podem ser, principalmente de uso tópico ou oclusivo. Veja as explicações sobre os mais indicados!

Tratamentos à base de corticoide

iStock

Os cremes ou pomadas à base de corticoide são indicados para desinflamar a região. Segundo o dermatologista, há os géis de silicone e o Diprogenta. O segundo tem em sua composição o dipropionato de betametasona, que reduz o processo inflamatório e a gentamicina, responsável por combate o processo infeccioso. “Indica-se colocar a medicação no lugar afetado e cobrir para penetrar mais profundamente na pele”, aponta Leonardo.

Há também os tratamentos oclusivos, como o Drenison Oclusivo, que são fitas com componentes antiinflamatórios. Essas fitas atuam diretamente na área tratada, proporcionando alívio e melhora.

Cirurgia para queloide na orelha

iStock

Leonardo esclarece que a cirurgia para queloide deve ser realizada se os tratamentos tópicos com corticoide na forma de creme, como o Diprogenta, os géis de silicone ou o Drenison Oclusivo não forem eficazes.

Indicações para realizar em casa

iStock

De acordo com Leonardo, não há tratamentos caseiros com resultados comprovados no tratamento do queloide na orelha. No entanto, realizar uma compressa gelada ajuda a diminuir o tamanho do queloide na área.

Manter os cuidados e sempre optar por um procedimento adequado na hora de fazer um novo furo na orelha é imprescindível para evitar esse problema, bem como buscar mais informações sobre o histórico da sua família a respeito de inflamações pós-cirurgias. Se você sofre com esse problema, veja também indicações de pomadas disponíveis para queloide.

Continua após o anúncio

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.