11 passos fundamentais para uma mudança sem imprevistos

Mudar de casa requer paciência e planejamento para que tudo ocorra da forma mais tranquila possível

Escrito por Tais Romanelli

Foto: Thinkstock

Como quase tudo nesta vida, mudar de casa ou apartamento tem seus dois lados: o positivo – já que mudança é sempre sinônimo de renovação – e o negativo – já que esta é uma decisão que exige muita paciência e organização.

Mas a boa notícia é que, com um bom planejamento, sua mudança pode ocorrer da forma mais tranquila possível e, em alguns casos, você nem precisará contratar uma empresa transportadora para isso.

Claudia Moura, personal organizer pela OZ! Organize Sua Vida e diretora da empresa Claudia Moura Personal Organizer, destaca que o tempo de antecedência recomendado para se começar a planejar a mudança varia muito de acordo com a quantidade de coisas que a pessoa tem e, também, com o número de familiares/amigos que irão ajudar nesta tarefa. “Mas 60 dias é um prazo bom para começar a se planejar”, diz.

A profissional destaca que, se você pode contratar uma empresa de mudança, eles têm embalagens adequadas para cada coisa: roupas, louças, móveis etc. O que facilitará bastante o seu trabalho. Mas caso você opte por fazer isso sozinha e em família, algumas dicas práticas podem ajudar bastante!

Passo a passo para uma mudança sem estresse

Abaixo a personal organizer dá diversas orientações de como planejar uma mudança e executá-la sem imprevistos (ou com o mínimo de imprevisto possível). Vale a pena conferir!

  1. Lista de materiais básicos para fazer uma mudança: plástico bolha, papelão em rolo, caixas de papelão de vários tamanhos, caixas de madeira (se possível, para transportar objetos frágeis), fita adesiva larga e de boa qualidade, suporte para fita adesiva (se possível), papel colorido (sulfite) para identificação das caixas, pincel atômico e sacos plásticos transparentes para peças pequenas (aqueles de congelar alimentos ou tipo Zip). “Você pode comprar a maioria destas coisas em lojas de embalagens e papelarias. Caixas de papelão são caras e uma boa opção é pedir ajuda dos amigos para doarem caixas para você ou pedir em supermercados, que descartam este tipo de material”, diz Claudia Moura.
  2. Documentos, fotos e livros podem ser armazenados em caixas de papelão. “Não utilize caixas muito grandes, pois ficam muito pesadas e difíceis de transportar”, destaca Claudia.
  3. Louças, copos, vasos e outros objetos frágeis devem ser embalados, um a um, com plástico bolha antes de serem colocados em caixas de papelão ou caixas mais resistentes, como madeira. “É muito importante identificar estas caixas informando que contêm objetos frágeis e que devem ser transportados com cuidado”, lembra a personal organizer.
  4. Roupas podem ser levadas em malas ou em caixas de papelão. “Se possível, roupas de cabide podem ser embaladas com o próprio cabide”, diz Claudia.
  5. Os colchões devem ser envolvidos em plástico bolha.
  6. Eletrodomésticos pequenos (como liquidificador, batedeira, secador de cabelo etc.) e eletrônicos (computador, vídeogame, aparelho de DVD e outros) podem ser protegidos com plástico bolha e armazenados em caixas de papelão.
  7. Eletrodomésticos grandes (como geladeira, máquina de lavar, fogão etc.) devem ser envolvidos também com plástico bolha.
  8. Móveis devem ser desmontados e embalados com papelão, “que pode ser comprado em rolo para evitar avarias”, diz Claudia Moura.
  9. Peças pequenas (como parafusos e puxadores de móveis, peças do fogão, peças da geladeira, entre outras) podem ser colocadas em sacos plásticos transparentes e identificados com etiquetas.
  10. Para identificar as caixas você pode usar folhas sulfites coloridas e definir uma cor para cada cômodo. “Na etiqueta faça uma breve descrição do conteúdo da caixa; numere as caixas, assim você sabe quantos volumes você tem, e informe para qual cômodo da casa nova ela deve ir”, diz a personal organizer.
  11. Na hora de solicitar a transferência de serviços como telefone, TV e internet, informe-se primeiramente sobre o prazo destas empresas e avalie também a necessidade de algumas delas. “É possível ficar sem TV por assinatura e sem telefone fixo, mas você pode ficar sem internet? Avalie tudo isto na hora de decidir quando pedir a transferência. E se você vai sair da casa atual, mas por algum motivo, ainda não vai direto para a casa nova, é possível pedir a suspensão temporária de alguns serviços com abatimento financeiro na conta”, destaca a profissional.

Por onde começar a encaixotar?

Foto: Thinkstock

Claudia Moura destaca que o ideal é começar a encaixotar as coisas que você usa menos ou que não irão impactar tanto no seu dia a dia. Algumas sugestões da profissional:

  • Documentos, fotos, CDs, DVDs, objetos de decoração, brinquedos (a maioria, não todos!), roupas de outra estação, acessórios, maquiagem, bolsas, cintos, roupas de cama/mesa e banho;
  • Eletrônicos, como aparelho de DVD, vídeogame, as TVs (se não quiser ficar sem, deixe apenas uma funcionando);
  • Cozinha, lavanderia e despensa: “guarde tudo quanto possível, desde que não te atrapalhe a cozinhar o básico e a lavar o que não pode ser deixado pra depois”, diz a personal organizer.

Nos últimos dias, de acordo com Claudia, a orientação é guardar as roupas da estação atual, as últimas coisas de cozinha, despensa e lavandeira. “Um dia antes, desmonte e embale os móveis”, diz.

“Para o dia da mudança, tenha uma mala pequena que te atenda por um ou dois dias, com trocas de roupa, toalha de banho e produtos de higiene pessoal (desodorante, escova de dente etc.), assim você ganha um tempo para começar a se organizar na casa nova”, explica a personal organizer. “E se você tem criança não se esqueça das fraldas, trocas de roupa de frio e calor e alguns brinquedos”, lembra.

Fazer a mudança sozinha ou escolher uma transportadora?

Claudia Moura explica que alguns produtos da casa podem ser transportados pelos próprios donos da casa para o novo endereço. “Tudo vai depender do tamanho do seu carro e da sua disposição para fazer as viagens. Mas, quase tudo é possível transportar de carro, se ele tiver um porta malas grande”, explica. “Mas, certamente, será necessário um caminhão ou uma caminhonete grande para transportar geladeira, fogão, máquina de lavar roupa, máquina de lavar louça, colchão e móveis grandes”, acrescenta.

A personal organizer destaca que uma boa maneira de escolher uma transportadora é por indicação. “Procure saber, com amigos e conhecidos, se eles já utilizaram alguma empresa de transporte e se a recomendam”, diz.

“Você pode ainda usar as redes sociais para fazer esta pesquisa. Se ainda assim não conseguir nenhuma, faça alguns orçamentos, verifique em sites da internet se a empresa tem muitas reclamações de clientes (Reclame Aqui e Procon) e peça para a própria empresa indicar clientes para que você possa se informar sobre a sua idoneidade e eficiência”, explica Claudia.

A profissional destaca ainda que nem todas as empresas oferecem seguro, por isso, é sempre bom questionar e ter uma cláusula no contrato que discorra sobre isto. “Vale lembrar que existem objetos que têm valor sentimental e que o dinheiro não pode compra (um objeto que foi da sua avó, por exemplo, uma foto antiga etc.). Se for se sentir mais segura, carregue estas coisas com você!”, explica.

Eu preciso mesmo de tudo isso?

Se na hora de fazer a mudança surgir essa dúvida ou ainda, se a nova casa ou apartamento for menor do que o espaço atual, você deve tomar algumas medidas. “A primeira coisa é verificar o tamanho dos móveis que você tem e o espaço disponível na casa nova. Se algum não couber, a dica é doar ou vender, quem sabe até para quem comprou sua casa atual”, destaca a personal organizer.

Ainda de acordo com a profissional, os objetos e roupas podem ser selecionados no momento em que você estiver encaixotando. “Já separe para venda, doação ou lixo coisas quebradas, roupas que não servem ou que você não usa há algum tempo. Na dúvida, para não perder tempo, leve para a casa nova. Quando você tiver arrumando tudo no novo espaço, faça outra seleção”, diz.

“Comece esta nova etapa com as energias renovadas, desfaça-se do que tiver em excesso ou sem serventia,para que coisas novas possam chegar! Esta dica serve não só para quem está se mudando para uma casa ou apartamento menor, mas pata todos”, aconselha Claudia Moura.

Por onde começar a arrumar a nova casa?

Foto: Thinkstock

Toda a mudança está concluída! O próximo passo (fundamental!) agora é começar a arrumar a nova casa. De acordo com a personal organizer Claudia, a dica é começar a se organizar “de trás para frente das coisas que você embalou”, ou seja, do primordial/essencial para o supérfluo. “Gosto de começar pela cama e pela cozinha, afinal precisamos dormir e comer! E se você não tem com quem deixar as crianças para poder ser organizar, comece pelo quarto delas, assim elas podem ficar brincando enquanto você organiza os demais cômodos da casa”, diz.

Todas essas dicas certamente vão te ajudar bastante! Mas tenha consciência de que uma mudança é uma fase trabalhosa e que requer paciência. Contratempos podem acontecer e, talvez, nem tudo saia exatamente como você planejou. Mas o importante é não se desesperar e fazer o possível para curtir cada momento desta nova etapa da sua vida. Devagar as coisas vão chegando aos seus lugares!

Assuntos: Organização

Dicas pela Web
Comentários