Óleo vegetal: o que é, quais são os benefícios e como utilizar

Escrito por
Em 26.07.19

iStock

Muitas pessoas têm, hoje, o óleo vegetal como um aliado nos cuidados com a beleza. Há ainda óleos vegetais indicados para a ingestão, que, quando bem utilizados, em meio a uma alimentação equilibrada, podem oferecer benefícios para a saúde; e também aqueles que são bem utilizados na aromaterapia.

Continua após o anúncio

De forma geral, todos os óleos vegetais têm bom potencial para hidratação da pele e dos cabelos, mas cada um costuma ter seus benefícios específicos. Conheça abaixo os principais óleos vegetais e esclareça suas dúvidas sobre o assunto.

O que é óleo vegetal?

iStock


A Dra. Camila Moulin (CRM: 761427), dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que óleo vegetal é uma espécie de “gordura” extraída de plantas, geralmente da semente delas.

São inúmeras as sementes que servem para extração desse tipo de óleo. “Esses óleos são formados por triglicerídeos, que seria a união de três ácidos graxos a uma molécula de glicerol. É necessário, porém, ficar bastante atento a quais óleos vegetais são para uso de cosméticos naturais e quais não podem e são danosos ao corpo humano”, orienta Camila.

Leia também: 10 benefícios do óleo de pequi que irão te surpreender

A diferença entre óleo vegetal e óleo mineral está, então, exatamente na origem. “O óleo vegetal é extraído das plantas; e o óleo mineral é derivado do petróleo incolor e inodoro. Os dois têm poder hidratante, porém, cada um com qualidades específicas”, explica a dermatologista.

Tipos de óleo vegetal e seus benefícios

Sara Bragança (CRM-RJ: 646547), médica pós-graduada em Dermatologia e membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, ressalta que diversas plantas (especialmente suas sementes) podem servir de matéria-prima para extração de óleo vegetal.

Conheça abaixo alguns exemplos de óleo vegetal e seus benefícios mais relevantes:

Continua após o anúncio

Óleo de alecrim

iStock

O óleo de alecrim é bastante apreciado pelos benefícios que oferece, tanto no que diz respeito ao consumo dele, quanto à aplicação do óleo diretamente na pele ou nos cabelos. Confira suas principais vantagens:

  • Beleza dos cabelos: Camila comenta que o óleo é excelente para cuidados com os cabelos, sendo, inclusive, aliado para ajudar a combater a caspa.
  • Aliado da beleza da pele: a dermatologista Camila acrescenta que este é um dos óleos mais populares com propriedades como fitonutrientes, antioxidantes e ácidos essenciais. Os antioxidantes ajudam a neutralizar rugas, flacidez e manchas, mantêm os níveis de colágeno, matam bactérias, fungos e vírus na pele. Ajudam ainda a tratar estrias e celulites.
  • Melhora das funções cerebrais: Camila comenta que pesquisas mostram até, mais recentemente, que o óleo vegetal de alecrim pode aumentar o potencial de crescimento dos nervos, auxiliando na cura do tecido neurológico e melhorando funções cerebrais.
  • Melhor digestão: quando inserido na alimentação, pode auxiliar no processo digestivo, trazendo alívio de sintomas como flatulência, dores de estômago, constipação, inchaço.
  • Higiene bucal: devido às suas propriedades antissépticas, o óleo de alecrim pode, entre outros benefícios, melhorar a saúde bucal, prevenindo cáries.
  • Melhora de dores: com propriedades analgésicas, o óleo de alecrim pode auxiliar no tratamento de dores musculares, cãibras, além de ser usado na aromaterapia para aliviar dores de cabeça.

Esses são apenas alguns dos benefícios do óleo de alecrim, que é considerado um dos óleos essenciais mais ricos do planeta.

Leia também: 30 dicas e receitas ayurvédicas para cabelo e pele impecáveis

Óleo de Rosa Mosqueta

iStock

Camila comenta que o Óleo de Rosa Mosqueta é proveniente das sementes da planta silvestre de mesmo nome. Ele oferece benefícios que vão além da hidratação, como, por exemplo:

  • Regeneração: Camila explica que o óleo de rosa mosqueta é um ótimo regenerador e emoliente sobre a pele, rico em ácidos graxos como o ácido oleico, linoleico e linolênico, além de vitamina A. “Ou seja, ajuda bastante a reduzir estrias, queloides, cicatrizes e rugas, assim como linhas de expressão”, diz.
  • Mais firmeza para a pele: a dermatologista Camila acrescenta que o óleo é capaz de reforçar a síntese do colágeno e elastina, fortalecendo e dando firmeza para a pele.
  • Nutrição e hidratação: o óleo nutre a pele e é ideal para ser usado em peles ressacadas ou que estejam descamando. “A utilização é feita com a aplicação de algumas gotas sobre a pele, sempre massageando em seguida em movimentos circulares, por cerca de 5 minutos, deixando a pele absorver o máximo do óleo”, orienta Camila.

Não por acaso, o óleo de rosa mosqueta é muito utilizado para fins cosméticos, sendo, inclusive, indicado em processos pós-operatórios para ajudar na cicatrização da pele.

Óleo de abacate

iStock

O óleo de abacate tem seus benefícios destacados quando ingerido e quando usado diretamente na pele ou cabelos. Conheça os principais deles:

  • Prevenção de doenças: Camila explica que o óleo de abacate pode ajudar a evitar doenças cardiovasculares, câncer de próstata e diabetes.
  • Ajuda no emagrecimento: o óleo de abacate pode ser aliado no processo de emagrecimento especialmente por proporcionar saciedade, isso quando inserido em uma alimentação equilibrada. Além disso, por ser estável em altas temperaturas, pode ser usado em receitas saudáveis variadas.
  • Crescimento e beleza dos cabelos: além de ser um ótimo hidratante para os fios, Sara comenta que o óleo de abacate proporciona brilho e maciez, e ajuda no fortalecimento e crescimento dos cabelos, diminuindo ainda a queda capilar.
  • Beleza da pele: Camila lembra que o óleo é rico em vitaminas A e E, potássio e lecitina. “Ele suaviza manchas, ajuda a prevenir rugas e o envelhecimento precoce, além de aliviar coceiras”, diz.

Camila acrescenta que o óleo de abacate pode ser utilizado como hidratante, massageando a parte desejada no banho; e no couro cabeludo, com gotinhas.

Continua após o anúncio

Óleo vegetal de jojoba

iStock

Camila comenta que boa parte da composição do óleo de jojoba é de ceramida, um tipo de lipídio encontrado naturalmente entre as escamas dos cabelos. Fora isso, ele também é rico em vitamina A, vitaminas do complexo B e vitamina E. Sendo assim, oferece benefícios como:

Leia também: 9 formas de usar o óleo de coco nos cabelos e usufruir dos seus benefícios

  • Hidratação: a dermatologista Camila explica que o óleo serve tanto para a hidratação dos cabelos como da pele (combatendo a pele seca).
  • Cura de feridas e inflamações: Camila acrescenta que o óleo acelera o processo de cura de feridas, auxiliando no tratamento de lesões, e tem ação antioxidante, diminuindo inflamações.
  • Beleza dos cabelos: além da hidratação, o óleo, de acordo com Camila, é benéfico para a estrutura dos fios, tratando o couro cabeludo seco e combatendo a caspa. Ajuda também a eliminar o frizz de maneira natural.

Camila ressalta que esse produto não pode ser ingerido, pois contém um composto chamado ácido erúcico que pode causar reações adversas, como danos ao coração. “É somente para aplicação com gotas na pele e no cabelo, massageando por cinco minutos”, diz.

Óleo de girassol

iStock

O óleo de girassol é bastante popular na cozinha, mas você sabia que ele também pode ser usado para fins cosméticos? Seus principais benefícios são:

  • Hidratação e nutrição da pele: como a maioria dos óleos, destaca Camila, pode ser usado para a pele com o objetivo de hidratação e nutrição, e tem efeito reparador dos tecidos, ajudando no processo de cicatrização.
  • Beleza da pele: previne o envelhecimento precoce, trata a pele seca, protege contra a radiação solar e funciona como um “óleo de limpeza”, combatendo a acne, explica a dermatologista Camila.
  • Hidratação e nutrição dos cabelos: o óleo de girassol também pode ser usado para hidratar os cabelos e é rico em nutrientes para os fios, proporcionando fios mais disciplinados, brilhantes e com aspecto saudável, conforme comenta Sara.

“O óleo de girassol é bastante rico em minerais como cobre, fósforo, zinco e magnésio. A diferença dele para outros é que é considerado um dos mais saudáveis óleos disponíveis”, destaca Camila.

Óleo de amêndoa doce

iStock

Camila comenta que este também é um bom óleo para os cuidados com a pele e os cabelos, além de poder ser usado para massagem. Conheça abaixo seus principais benefícios:

  • Previne estrias: a dermatologista Camila comenta que esse é um óleo bastante utilizado por mulheres no período da gravidez porque auxilia na prevenção de estrias; podendo ser usado também com este intuito por mulheres que não estejam grávidas.
  • Beleza e saúde da pele e dos cabelos: reduz a inflamações na pele, ajuda na hidratação da pele e dos cabelos. É rico em vitaminas A, B1, B2 e B6, além da vitamina E (que o torna um poderoso antioxidante). É ainda, um ingrediente excelente para máscaras capilares.

Além da massagem tradicional, comenta Camila, o óleo de amêndoa doce pode ser utilizado em hidratantes ou apenas com algumas gotas na pele. “Ele também pode auxiliar na hora de retirar a maquiagem. Nos cabelos, deixe algumas gotas e massageie levemente; depois de 30 minutos, lave com shampoo e condicionador normalmente”, orienta.

Continua após o anúncio

Óleo de semente de uva

iStock

A uva que é utilizada para vinhos, sucos e alimentos é também fonte para a extração deste óleo vegetal que apresenta inúmeros benefícios, dentre os quais:

  • Saúde e beleza da pele: Camila comenta que o óleo de semente de uva é ótimo para a hidratação e um excelente antioxidante. Trata celulite e estrias, protegendo a pele da degeneração e perda celular. É também um rejuvenescedor natural, ajudando a evitar aquele aspecto “cansado” e envelhecido da pele.
  • Saúde e beleza dos cabelos: além de proporcionar hidratação, Camila explica que o óleo de semente de uva atua na prevenção de queda de cabelo e evita que os fios se tornem quebradiços.
  • Bom para massagens: Sara comenta que, como é fino, o óleo é rapidamente absorvido pela pele, sem criar oleosidade. Exatamente por isto, é uma boa opção de óleo para massagens.
  • Aliado da saúde: quando ingerido, em meio a uma alimentação equilibrada e saudável, o óleo de semente de uva ajuda a diminuir o colesterol, melhora a saúde do coração, é anti-inflamatório e antiviral.

A dermatologista Camila comenta que, para utilizar o óleo no corpo, basta pingar algumas gotas e massagear. “No cabelo, pode-se aplicar uma colher de chá junto a um creme ou no shampoo, sempre massageando o couro cabeludo”, acrescenta.

De fato, existem vários óleos vegetais que podem ser muito benéficos para a beleza e saúde. Porém, eles devem sempre ser utilizados com consciência e, preferencialmente, com orientação de uma dermatologista (no caso dos cuidados com a pele e os cabelos) ou nutricionista (no caso de ingestão alimentar).

Especialistas esclarecem mais dúvidas sobre óleo vegetal

iStock

Resolva suas questões sobre óleo vegetal com as perguntas e respostas abaixo:

Quais os benefícios dos óleos vegetais? Camila comenta que, de forma geral, os óleos vegetais têm a vantagem de oferecer maior hidratação. “Eles previnem e reduzem a perda de água, criando uma barreira hidrofóbica. Aumentam a proteção da pele, permitem a respiração cutânea e assimilam bem a luz solar. Também auxiliam em peles rachadas e que necessitam de restabelecimento, normalizando a estrutura do tecido. São biodegradáveis, não poluem e nem agridem o meio ambiente. Alguns possuem propriedades bactericidas, antissépticas e anti-inflamatórias”, acrescenta.

O que levar em conta na hora de escolher entre óleo vegetal e óleo mineral? Segundo a especialista, apesar de ambos terem função hidratante, é preciso tomar cuidado com os efeitos adversos do óleo mineral aplicado à pele, como obstrução dos poros e acne. “O vegetal hidrata, por exemplo, toda a estrutura capilar, com mais eficácia e durabilidade; já o mineral proporciona a hidratação dos fios por um período menor (isso em relação ao tratamento do cabelo). Porém, os óleos vegetais apresentam uma coloração e também um cheiro característico, exigindo um cuidado maior ao serem usados. A questão hoje de comparar óleo vegetal com mineral está muito voltada ao ecossistema. Como o mineral é derivado do petróleo, quando usamos, seja para propriedade hidratante, acaba sendo muito danoso ao meio ambiente”, comenta a dermatologista Camila.

Óleo vegetal pode fazer mal? Camila explica que alguns componentes dos óleos precisam ser vistos de pessoa a pessoa, porque podem causar alergias.

É possível usar óleo vegetal em bebês? Sim. “A massagem com óleo nos bebês é bastante relaxante. A decisão de qual óleo usar depende de como é a pele do bebê. Se a criança tem alguma dermatite, é melhor se restringir a uma pomada ou creme hidratante recomendado. E existem alguns óleos que devemos evitar, como ‘óleo de mostarda’, que pode causar irritação, e ‘óleo de amendoim não refinado’, por conter proteínas que podem causar alergias ao bebê. Agora, óleos vegetais como o de semente de uva, podem ser mais adequados para o bebê, protegendo e ajudando a pele. A orientação é não aplicar óleos em áreas mais suscetíveis à inflamação, como nariz, umbigo e orelhas. E utilizar o óleo sempre com movimentos leves, com uma temperatura agradável e enxaguar bem durante o banho para eliminar resíduos”, orienta a dermatologista Camila.

Agora você já sabe que os óleos vegetais podem ser bons aliados da sua saúde e beleza, e têm ainda a vantagem de não serem prejudiciais ao meio ambiente. Aproveite todos os benefícios que eles podem te oferecer!

Assuntos: Cabelos, Pele

Para você