Dicas de Mulher Dicas de Saúde

Óleo de alho: conheça os benefícios deste produto e como usá-lo corretamente

Apesar de possuir benefícios à saúde e a beleza, são necessários certos cuidados para que este óleo não seja contaminado com as bactérias causadoras do botulismo

em 17/05/2017

Foto: iStock

Atualmente, a busca por produtos naturais que tragam benefícios para a beleza e saúde se tornou uma tendência, utilizando compostos retirados da natureza e explorando todo o seu potencial benéfico.

Como um belo exemplo desta prática, é possível citar o óleo de alho, conhecido cientificamente como Allium sativum, o qual contém uma substância chamada alicina, um princípio ativo que garante seu aroma característico e possui grandes propriedades antibacterianas e antioxidantes.

Conhecido por proporcionar benefícios variados tanto para a saúde quanto à beleza, pode ser ingerido ou ainda aplicado através do uso tópico no local que necessita de tratamento.

O alho em si pode ser considerado um poderoso antibiótico natural. Muitos estudos indicam a Ásia como origem provável desta planta, com mais de 6.000 anos de história, temperando refeições e sendo utilizada na naturopatia.

9 benefícios do óleo de alho para a saúde

Foto: iStock

Segundo a nutricionista Andrea Marim, é comum descrever a ação do óleo de alho como um tratamento para o organismo que age de dentro para fora. Já no caso de seu uso tópico, é capaz de auxiliar no combate a bactérias que causam a acne, por exemplo. Confira alguns dos benefícios do óleo de alho conforme informações da profissional:

1. Previne doenças cardiovasculares: devido às altas doses de alicina, este óleo contribui para o bom funcionamento cardiovascular, evitando doenças cardíacas como aterosclerose, acidentes vasculares e até o infarto.

2. Combate o envelhecimento: “Ele possuiu compostos chamados sulfurados, zinco e selênio, os quais auxiliam na eliminação de toxinas, com uma vantajosa ação antioxidante, combatendo o envelhecimento precoce”, revela.

3. Melhora da capacidade cognitiva: o alho possui adenosina, uma substância capaz de causar um estímulo na atividade dos neurônios, melhorando a capacidade cognitiva de quem o consome.

4. Auxilia no controle do peso: segundo a nutricionista, este óleo pode ajudar no controle do peso, já que tem ação regulatória na formação das células adiposas (de gordura). Já sua ação anti-inflamatória, possui resposta inibitória na conversão de calorias em novas células de gordura.

5. Garante cabelos mais bonitos e saudáveis: sua ação busca promover crescimento, além de garantir uma textura mais macia aos fios. Já as doenças comuns ao couro cabelo são evitadas, devido a presença de elementos como a vitamina E, enxofre, vitamina C, vitamina B6 e vitamina B1, tornando os fios de cabelo mais fortes.

6. Ajuda no combate ao câncer: por possuir diversas vitaminas e sais minerais, este óleo fortalece o sistema imunológico. A ação dos antioxidantes se faz novamente presente ao combater toxinas e lutar contra os radicais livres, sendo um coadjuvante no combate à doença.

7. Facilita o controle do diabetes: “Se consumido em jejum, possui a capacidade de aumentar a liberação de insulina no sangue, regulando a glicemia em portadores de diabetes”, destaca Andrea.

8. Coadjuvante na regulação do colesterol: ao consumir este óleo, os níveis de colesterol tendem a se equilibrar, aumentando o HDL, conhecido como colesterol bom e reduzindo o LDL, o colesterol ruim.

9. Garante uma pele mais saudável: devido sua ação antibacteriana, doenças como micose e eczemas podem ter sua cura mais rápida com a utilização deste recurso. No caso da acne, a aplicação tópica proporciona cicatrização e pode até amenizar as cicatrizes deixadas na pele.

Como utilizar o óleo de alho

Foto: iStock

Este óleo é extraído a partir de alhos esmagados através do processo de destilação a vapor, em uma forma altamente concentrada, ou ainda através da imersão de alhos picados em um óleo vegetal de sua preferência, configurando uma versão menos concentrada. Confira outras opções para utilizar este óleo:

Em cápsulas: “Encontrado em lojas de produtos naturais. Para uma posologia mais correta é indicado a busca por orientação profissional”, ressalta a nutricionista. Normalmente é utilizado em uma ingestão diária, com uma cápsula antes do almoço e outra antes do jantar.

Em cremes industrializados: segundo Andrea, os “produtos fabricados pela indústria de cosméticos direcionados ao tratamento de acne também possuem este óleo em sua composição”, sendo necessário o acompanhamento de um dermatologista para a indicação correta.

Como uma infusão: apesar de possuir menor quantidade de seu princípio ativo, também traz seus benefícios. Pode ser preparada com óleo vegetal quente, ideal para temperar refeições e saladas, ou com óleo frio, para fins medicinais.

Em todos os casos, é preciso reforçar a importância de uma indicação médica para que o uso seja apropriado para as suas necessidades e os efeitos sejam positivos.

Como fazer seu óleo de alho caseiro

Foto: iStock

Apesar de existir a possibilidade de comprar o óleo de alho pronto, é possível ainda confeccionar a sua própria versão facilmente em casa. Confira a receita:

Ingredientes

  • 1 cabeça de alho já maduro (com coloração branca-amarelada)
  • 1/2 xícara de azeite de oliva extra virgem

Modo de preparo

Se for a opção fria, basta fazer uma mistura de azeite de oliva com o alho picado, deixando-o descansar por dois dias antes de utilizá-lo. No caso da opção quente, é necessário aquecer o azeite em uma panela em fogo baixo, adicionando o alho descascado até dourá-lo e então coar o alho, separando somente o óleo. Deve ser armazenado na geladeira, em garrafa de vidro.

Efeitos colaterais e contraindicações

Foto: iStock

Segundo a profissional, o óleo de alho não possui efeitos colaterais, porém, se consumido em excesso, pode causar vômitos, diarreia, náuseas e mal-estar, sendo recomendável buscar atendimento médico nestes casos.

Uma das suas poucas contraindicações seria para mulheres em fase de amamentação, já que pode modificar o sabor do leite materno, e para crianças de até 3 anos.

Um dos alertas da profissional é a relação do óleo de alho com o botulismo. A explicação mais aceita para esta relação está presente no fato de os esporos de bactérias que causam o botulismo normalmente se instalarem sobre o alho e, se este ficar coberto com o óleo, não haverá a presença de oxigênio, favorecendo a ação nociva de tais bactérias. Por isso, é indicado o consumo do óleo de alho imediatamente após o seu preparo, além de sempre armazená-lo sob refrigeração.

Com grande poder antibacteriano, capacidade de fortalecer o sistema imunológico e facilidade em seu preparo ou compra, o óleo de alho se torna um coadjuvante na busca para uma melhor qualidade de vida. Experimente seus benefícios e comprove sua eficácia!

Comentários
Dicas relacionadas