5 sintomas da fissura vaginal e como tratar esse incômodo

Escrito por
Em 21.09.21

iStock

Por                                
Em 21.09.21

A fissura vaginal atinge muitas mulheres e é uma das principais queixas de dores durante a relação sexual, entre outros sintomas. Para falar mais sobre o assunto, a ginecologista e obstetra Dra. Ana Paula Mondragon (CRM 134071-SP), explicou o que é, quais as causas, os sintomas e tratamentos indicados. Acompanhe na matéria!

O que é a fissura vaginal

A fissura vaginal causa muito desconforto na entrada da vagina, principalmente durante o sexo e ao urinar. De acordo com a ginecologista, “as fissuras vaginais são pequenos cortes similares a rachaduras que aparecem na mucosa da vulva ou vagina. Geralmente ocorrem durante o ato sexual e podem ter múltiplas causas.”

8 causas da fissura vaginal citados pela ginecologista

  • Doença dermatológica como, por exemplo, o Líquen escleroso;
  • Relações sexuais sem lubrificação;
  • Atrito de preservativos com látex;
  • Reações alérgicas a produtos usados para higiene ou durante o sexo;
  • Infecções fúngicas frequentemente associadas à candidíase;
  • Uso de anticoncepcional, pois altera a concentração de estrogênio levando a maior ressecamento vaginal;
  • A redução do hormônio estrogênio causa perda da elasticidade vaginal e também alteração da flora vaginal predispondo a infecções;
  • Consumo excessivo de álcool, tabagismo, má alimentação e estresse que alteram os níveis de estradiol.

Algumas medidas como evitar o uso de absorvente íntimo interno, papel higiênico com cor ou perfumado, além de roupas apertadas podem prevenir o problema.

5 sintomas da fissura vaginal para se atentar

iStock

A seguir, confira os principais sintomas associados à fissura vaginal apontados pela ginecologista:

  • Dor na entrada vagina: a dor nessa região é muito comum em casos de fissuras vaginais e, segundo a ginecologista pode ocorrer principalmente durante o coito;
  • Ardência no ato sexual: a Dra. Ana Paula informou que “a ardência na vagina durante o sexo é outro sintoma bem característico da fissura vaginal.” O desconforto pode ocorrer durante ou depois da relação sexual sendo um incômodo muito comum nesses casos.
  • Vermelhidão na região da vulva: a ginecologista disse que a vermelhidão na região da vulva pode ocorrer em casos de fissuras e também pode estar associada às infecções fúngicas como a candidíase;
  • Dor durante o sexo: as fissuras são umas das principais reclamações de dor durante o sexo e conforme a Dra. Ana Paula “o atrito de preservativos com látex e a falta de lubrificação podem causar dor durante as relações sexuais”. Além disso, ainda pode ocorrer sangramento durante ao coito.
  • Ardência ao urinar: a médica informou que a fissura vaginal pode causar ardência e queimação durante a micção, devido às lesões na entrada da vulva ou na vagina.

É importante se atentar aos sintomas e buscar ajuda médica quanto antes para iniciar o tratamento.

Como é feito o tratamento

A Dra. Ana Paula explicou que, embora muito incômodas, as fissuras vaginais podem ser tratadas e curadas, porém é fundamental que o médico avalie e verifique a causa para saber a melhor maneira de tratá-las. Mas, normalmente, “o tratamento pode ser feito com cremes vaginais e laser para estimular a cicatrização.” Confira abaixo 3 tipos de pomadas normalmente usadas para tratar o problema:

  • Corticoide: a ginecologista informou que “podem ser usados cremes vaginais à base de corticoide para reduzir a inflamação”;
  • Antifúngicos: em casos de lesões causadas por fungos ou com infecções, o tratamento pode ser feito com cremes vaginais antifúngicos;
  • Antibióticos: a Dra. Ana Paula explicou que se as fissuras apresentarem infecção, o tratamento pode ser feito com pomadas que contém antibióticos em sua composição.

Além disso, a ginecologista citou a importância de manter a higiene vaginal e usar sempre calcinhas de algodão para deixar a região “respirar”. Dessa forma, evita-se a proliferação de fungos.

Fissura vaginal X vaginismo

iStock

Segundo a ginecologista, a fissura vaginal é uma lesão similar a uma rachadura que ocorre na entrada da vulva ou na vagina. Já o vaginismo é a contração involuntária dos músculos da vagina que torna a penetração dolorosa ou em algumas ocasiões impossível de acontecer.

“A fissura vaginal, mesmo após ter a causa identificada e tratada, pode ser uma das causas de vaginismo, pois o cérebro passa a relacionar a penetração com algo doloroso, mesmo não existindo mais a fissura. Neste caso, a paciente precisa realizar tratamento multidisciplinar com psicólogo e fisioterapeuta para melhorar os sintomas”, orientou.

Como visto, é de suma importância cuidar da saúde íntima e quando perceber qualquer alteração, consulte imediatamente um ginecologista. Além disso, a prevenção é sempre o melhor remédio, então realize periodicamente os exames ginecológicos. Aproveite e saiba mais sobre a bartolinite, quais as causas e tratamentos dessa doença que acomete muitas mulheres.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.