Estômago alto: como aliviar e prevenir este problema

Nutricionista e cosmetóloga listam quais os melhores alimentos, exercícios e tratamentos para este transtorno

Escrito por Mariana Bueno

Foto: iStock

O estômago alto é um transtorno geralmente causado pela distensão abdominal, que faz com que essa parte da barriga fique com um volume maior. Além da questão estética, essa é também uma questão de saúde.

O problema pode ter diferentes causas, tanto relacionadas ao aumento de peso, quanto à genética, já que uma pessoa magra também pode ter estômago alto.

A nutricionista Haline Dalsgaard, idealizadora do projeto online “Saúde no prato”, e a cosmetóloga Lia Mezzomo, do salão Jacques Janine Rio Sul, no Rio de Janeiro, explicam que o mais importante é conhecer bem o funcionamento de cada organismo e, assim, identificar o que pode estar acontecendo.

A seguir, elas explicam algumas situações comuns para quem tem esse problema, falam dos alimentos mais e menos indicados, além de dicas para ajudar a evitar ou reduzir o estômago alto.

Quais as possíveis causas?

Foto: iStock

A má digestão ou a formação de gases, causadas pela forma como comemos, podem influenciar o surgimento do estômago alto. Veja algumas causas mais comuns:

Leia também: 10 exercícios que ajudam a perder a barriga

  • Consumo excessivo de alimentos, o que sobrecarrega e lentifica a digestão.
  • Intolerância a algum tipo de alimento, que pode causar fermentação e produção de gases.
  • Problemas gastrointestinais como flatulência excessiva, inchaço abdominal, diarreia, constipação ou síndrome do intestino irritável.
  • Situações que levam ao acúmulo de gordura na região abdominal.
  • Questões genéticas, independente do tipo físico ou da alimentação.

Para cada caso, a forma de lidar com o problema deve ser diferente. Você deve consultar um(a) nutricionista ou gastroenterologista para te ajudar a identificar o que precisa ser feito.

Como tratar?

Com relação ao tratamento do estômago alto, a alimentação é o principal ponto, já que, a forma como comemos e os alimentos consumidos, fazem a diferença por agravarem ou atenuarem o problema. Atividades físicas e outros tratamentos também podem ajudar. Confira:

Alimentação adequada

Foto: iStock

De acordo com a nutricionista Haline, a primeira medida é reduzir a quantidade dos alimentos nas refeições e aumentar o número de refeições ao dia. “Ao invés de simplesmente tomar o café da manhã, almoçar e jantar, é mais interessante reduzir a quantidade de comida no prato e ‘quebrar’ o intervalo da manhã e da tarde com pequenos lanchinhos”, explica.

Comer do jeito certo

Foto: iStock

A forma de comer também pode influenciar a produção de gases, devido à deglutição de ar ou má digestão, que provocam flatulências. “Comer rápido demais ou falar enquanto se alimenta pode ser um grande inimigo da digestão”, alerta a nutricionista.

Evitar alimentos que fazem mal

Foto: iStock

Haline também lista alguns alimentos que devem ser consumidos com moderação, como: açúcares, mel, xarope de milho; farinhas refinadas (por não possuírem fibras); leites e derivados, quando a lactose causa fermentação e desconforto; adoçantes como xilitol, manitol e sorbitol, muito usados em balas e chicletes dietéticos; verduras como couve, repolho, couve-flor e chicória, legumes como beterraba e cenoura, frutas como melancia, caqui e manga, e grãos como feijões e ervilhas.

Leia também: Como afinar a cintura com os exercícios, alimentos e looks certos

Exercícios físicos

Foto: iStock

Outra dica importante é apostar em exercícios localizados, pois eles ajudam a fortalecer a musculatura e isso irá dar sustentação aos órgãos na cavidade abdominal.

Tratamentos estéticos

Foto: iStock

A cosmetóloga Lia Mezzomo diz que o tratamento estético mais indicado para estômago alto é a criolipólise. “Procedimento em que as células de gordura são congeladas até serem destruídas”, explica.

É importante deixar claro que os transtornos de digestão são muito individuais e o que vale para uma pessoa pode não ser bom para outra. O importante é saber identificar que tipo de alimento pode estar dificultando a digestão e que medidas funcionam melhor em cada caso.

Dicas e hábitos simples para aliviar o estômago alto

Foto: iStock

Para além dos tratamentos, algumas medidas podem te ajudar a aliviar as sensações de estômago alto. Veja as dicas dadas pelas especialistas:

  • Antes de cozinhar feijões e ervilha, coloque os grãos de molho em água por cerca de 30 minutos, depois despreze a água e use outra para cozinhá-los. Esse procedimento ajuda a reduzir a produção de gases gerada por estes alimentos.
  • Aumente a ingestão de água ao longo do dia. Água é fundamental para auxiliar a ação das fibras dos alimentos na melhora da digestão, além de evitar a prisão de ventre.
  • Reduza o consumo de bebida alcoólica, pois o álcool aumenta a permeabilidade intestinal e colabora para a produção de gases.
  • Aposte em alimentos ricos em fibras, que aumentam a saciedade, e em chás digestivos, como chá verde, hortelã, menta, hibisco, psilium, erva cidreira, boldo e cáscara sagrada, que são diuréticos e podem facilitar a queima de calorias, além de combaterem o inchaço.
  • Comece o dia com um suco verde digestivo. A dica da nutricionista Haline Dalsgaard é bater no liquidificador 1 fatia de abacaxi, 6 folhas de hortelã, raspas de gengibre, 200ml de água de coco e gelo.

Mesmo seguindo todas as orientações corretamente, as profissionais afirmam que, assim como qualquer outro problema estético, o estômago alto pode sumir e voltar, dependendo da dieta e do estilo de vida da pessoa.

Leia também: Hábitos que você deve ter para evitar o intestino preso

Dicas pela Web
Comentários