Entretenimento

Como uma leoa, Amanda Nunes mudou a história do UFC

Amanda Nunes

Em 05.08.22

A primeira mulher a conquistar dois cinturões no UFC! Amanda Nunes saiu do interior da Bahia e entrou para a história das artes marciais mistas. Sua jornada é de muita garra, sonhos, lutas e conquistas. Conheça a história da leoa brasileira.

Publicidade

A baiana de Pojuca

Pojuca fica a 67 km de Salvador, capital da Bahia. Nessa cidade com um pouco mais de 40 mil habitantes, nasceu Amanda Lourenço Nunes, em 30 de maio de 1988. Quando criança, era atrevida, agitada e foi incentivada pela mãe a praticar esportes. Por influência da irmã mais velha, começou a lutar jiu-jitsu aos 16 anos. Ela era a única mulher em meio aos homens na academia, porém não desistiu de se tornar uma grande lutadora.

Amanda foi embora para Salvador e começou a treinar na melhor escola de jiu-jitsu e judô do estado. Ela tinha a intenção de morar com a irmã, Vanessa, mas a localização dificultava seu treinamento. Então, mudou-se para a academia: acordava às 4h30 e limpava o ambiente antes da primeira aula, às 6h. Nessa época, começou a lutar judô, pois seu mestre exigia que todos os alunos aprendessem as duas lutas. Logo ganhou o apelido de leoa: ela era a única mulher em uma academia cujo símbolo trazia a imagem de dois leões.

Carreira

A atleta venceu diversos campeonatos de jiu-jitsu. Entretanto, o esporte não fornecia auxílio financeiro e ela precisava pagar para competir. Inspirada no tio, José Alves, praticante de luta vale-tudo, Amanda migrou para o MMA (Artes Marciais Mistas). Em sua primeira luta, foi derrotada pela brasileira Ana Maria. Mudou-se para os Estados Unidos e começou a treinar na academia filial de seu mestre.

Em 2013, Amanda foi convidada para ser a primeira mulher brasileira a subir no octógono do UFC. Com seis lutas, ela ganhou o cinturão do peso-galo. Em 2018, tornou-se a primeira campeã em duas categorias do UFC – ao vencer a brasileira Cris Cyborg. O cinturão do pena-pena, que era da rival há 13 anos, passou a ser de Amanda.

Família

Após sair de Nova Jérsei e ir para a Flórida, em 2012, Amanda Nunes conheceu a lutadora norte-americana Nina Ansaroff. Ela também disputa no MMA, mas em categorias inferiores. Em 2014, as duas começaram a namorar. Em 2018, ficaram noivas e, em 2020, Nina deu à luz a primeira filha do casal, Raegn Ann Nunes. Tanto Amanda quanto Nina compartilham a rotina da família nas redes socias. Raegn aparece em fotos de divulgação de lutas e até em festas à fantasia. A Leoa é a primeira lésbica assumida do UFC.

Primeira brasileira a assinar com o UFC

Em diversas entrevistas, Amanda Nunes é questionada sobre como chegou ao topo. A baiana contou ao Ag Fight, agência de notícias do UFC no Brasil: “mantenho a pessoa que sou, porque já sonhava e almejava tudo isso. Quando cheguei até aqui, administrei numa boa, com os pés no chão, que o mais importante é viver esse momento, que é tão lindo. É manter o foco, se manter campeã, que é o mais importante”. Sua motivação é criar um legado e memórias para a filha aproveitar. Seja dos bastidores, da pesagem ou da luta, Amanda quer que a pequena entenda tudo o que as mães fazem e tanto amam. Os cinturões não são um peso, mas um sonho que ela vive todos os dias. Um sonho de ser a primeira brasileira a assinar com o UFC até se tornar a primeira mulher com dois cinturões.

10 curiosidades sobre a leoa do octógono

Além dos dois cinturões conquistados, Amanda Nunes coleciona muitas vitórias. A fama de leoa não a torna uma pessoa arisca e antipática. Pelo contrário, é toda sorridente e tem até a própria boneca. Abaixo, conheça dez curiosidades sobre a lutadora brasileira de Pojuca:

1. Foi jogadora de futebol

Amanda Nunes

Publicidade

Antes de conhecer as artes marciais, Amanda era jogadora de futebol. Ela jogava como atacante e sonhava em se profissionalizar. A atleta começou em um time de sua cidade, depois foi para um time de Salvador e chegou a fazer teste no time do Vitória. Entretanto, precisou desistir do campo para se dedicar aos ringues. Atualmente, quando possível, visita sua cidade natal e aproveita para participar de jogos beneficentes.

2. Campeã panamericana e mundial de jiu-jitsu

Amanda é faixa preta em jiu-jitsu. Ela conquistou medalha de ouro no Pan-Americano de jiu-jitsu em 2008 e no Campeonato Mundial em 2009. Além disso, é faixa marrom em judô, ou seja, ninguém mexe com essa mulher!

3. Tem a própria boneca

Os maiores campeões do UFC foram homenageados em uma coleção de bonecos articulados. É claro que Amanda Nunes está entre eles. Seja para colecionar ou para presentear, a boneca da maior lutadora da história do Brasil é muito legal, com movimentos realistas e detalhes impressionantes, como as tatuagens, o cinturão e as luvas.

4. Recebeu 550 mil dólares no UFC 239

Realizado em Las Vegas, o UFC 239 contou com grandes estrelas do MMA e com altas premiações. Ao vencer a norte-americana Holly Holm com um nocaute no primeiro round, Nunes faturou 550 mil doláres. Trezentos mil pela luta, duzentos mil pela vitória e cinquenta mil pela performance da noite. Até o norte-americano Jon Jones recebeu menos que ela, faturando meio milhão.

5. Precisou de menos de um minuto para escrever seu nome na história

Dois momentos foram cruciais na carreira de Amanda no MMA: o primeiro, quando defendeu o cinturão do peso-galo contra a lenda do MMA, a norte-americana Ronda Roussey, e venceu por nocaute técnico em 48 segundos. O segundo, ao conquistar o cinturão do peso-pena contra a brasileira Cris Cybord em 51 segundos. Amanda Nunes precisou de menos de um minuto para se tornar uma das maiores da história.

6. Recorde feminino de defesas de cinturão

Ela possui o recorde de defesas do cinturão na categoria feminina com 12 vitórias. Seu recorde foi quebrado em 2021 após perder para a norte-americana Julianna Peña. Amanda já disputou 26 lutas, sendo 21 vitórias e 5 derrotas.

7. Já brigou em fogueira de festa junina

Quando criança, a atleta aprontava muito. Ela contou ao Canal Combate que os vizinhos sempre precisavam chamar sua mãe para ‘resolver’ as situações. Em uma festa junina, Nunes brigou com um menino, ela nem lembra o motivo, e os dois foram parar na fogueira, rolando no meio das chamas. O incrível dessa história é que nenhum dos dois sofreu queimaduras, mas o menino mordeu a bochecha dela, que ficou inchada por uma semana. Não precisa nem dizer que os vizinhos chamaram a mãe dela, né?

Publicidade

8. Forbes 30 de esportistas mais influentes

Em sua votação tradicional de pessoas mais influentes em diversos segmentos, a revista Forbes elegeu Amanda Nunes como uma das trinta maiores influências do esporte em 2017. Seu nome apareceu ao lado de grandes mulheres, como a tenista Sloane Stephens, a nadadora Jessica Long e a saltadora Tori Bowie.

9. É amiga íntima da Adriana Lima

Amanda Nunes e Adriana Lima possuem mais coisas em comum do que você imagina. As duas são baianas, inclusive, carinhosamente se chamam de irmãs de Salvador. Vivem na Flórida há muito tempo e são apaixonadas por artes marciais. A modelo sempre posta seu apoio pela lutadora nas redes sociais. E sempre que pode, Amanda dá umas aulas à ex-angel da Victoria’s Secret.

10. Dana White considera Amanda a melhor de todos os tempos

Após Amanda Nunes vencer o UFC 232 em Los Angeles, Dana White exaltou o desempenho da baiana e declarou: “ela é a melhor de todos os tempos. Como negar? Esta era a luta para descobrir isso, quem era a melhor. Se você olhar para o seu currículo, as pessoas que ela venceu, não tem como negar. Ela é a melhor de todos os tempos”.

Quer aprender a lutar como uma garota? Beatriz Ferreira é outra lutadora brasileira que levou o nome do país aos pódios mundiais. Entretanto, diferentemente de Amanda, suas luvas são de boxe. Conheça a medalhista olímpica!