5 características da acne fúngica para identificar a doença e como prevenir

Escrito por
Atualizado em 07.04.22

Envato

Muitas vezes confundida com a acne comum, a Foliculite Ptirospórica, popularmente conhecida como acne fúngica, é causada pela proliferação do fungo Malassezia Furfur. A seguir, entenda mais sobre o assunto e confira as explicações da médica dermatologista Priscila Daiane Pavezzi.

Publicidade

Índice do conteúdo:

O que é acne fúngica?

A Dra. Priscila, professora da PUCPR, explica que a acne fúngica “é uma erupção que lembra muito a acne vulgar – aquela temida lesão de pele que quase todos os adolescentes apresentam em algum momento – no entanto, é causada pelo supercrescimento de leveduras (fungos) da família Malassezia, inflamando a unidade pilossebácea”.

A presença dos fungos na pele é natural. Entretanto, o desequilíbrio entre o crescimento desses organismos e as defesas da pele humana causam o surgimento da acne fúngica. Segundo a dermatologista, alguns fatores contribuem para a proliferação dos fungos: “clima quente e úmido, condições que levam ao aumento de oleosidade da pele e obstruem os poros, sudorese aumentada e uso de alguns medicamentos (antibióticos, corticóides, imunossupressores)”.

Sintomas da acne fúngica

A seguir, confira algumas características, listadas pela especialista, que te ajudarão a identificar a acne fúngica:

  • Pequenas bolinhas, com pus ou avermelhadas, localizadas próximo à linha do cabelo, laterais do rosto, queixo e na parte superior do tronco e dos braços;
  • As lesões apresentam a mesma forma, isto é, são monomórficas, característica que as diferem da acne vulgar;
  • Na maioria dos casos, a coceira é um sintoma presente;
  • Não responde ao tratamento convencional para acne vulgar;
  • É mais comum em adolescentes.

Se você observar algumas dessas características nas suas lesões, é importante buscar a ajuda de uma dermatologista.

O tratamento

Envato

O tratamento para esse tipo de acne é feito com medicamentos antifúngicos. Existem opções de uso tópico, ou seja, aplicado na pele, ou por via oral, cujo uso depende da gravidade do quadro e do histórico da paciente. A Dra. Priscila destaca que “como são medicamentos que podem prejudicar o fígado, é importante ser avaliado e acompanhado por um médico dermatologista”.

Como prevenir

Para fazer a prevenção do surgimento da acne fúngica, a Dra. explica que é importante evitar o uso de “roupas apertadas e de tecidos sintéticos que ocluem a pele; banhos muito quentes e demorados; cosméticos (protetor solar, cremes, maquiagens etc.) que aumentam a oleosidade; uso de antibióticos e corticóides por longos períodos sem supervisão médica”.

Além disso, para ajudar na prevenção, a dermatologista recomenda “não ficar suado por muito tempo”, trocar as roupas frequentemente, vestir tecidos de algodão e usar sabonetes e gel de limpeza adequados para o seu tipo de pele.

Publicidade

Agora, você já sabe como identificar a acne fúngica. Se os sintomas e o incômodo persistirem, evite o sofrimento, buscando ajuda profissional. Outro problema dermatológico é o surgimento de machas escuras no rosto. Confira a matéria para saber mais.