Novidade! Baixe nosso app em seu smartphone Android iPhone

Dicas de Mulher Dicas de Comportamento

Dependência emocional

A dependência emocional é como qualquer outra: existe uma recuperação, mas não uma cura. Confira qual o melhor caminho a seguir para se recuperar.

em 07/06/2013

“Se quisermos mudar nossa vida, é mais importante mudarmos as atitudes do que as circunstâncias. A menos que mudemos as atitudes, é improvável que as circunstâncias, realmente, possam mudar um dia.” Robin Norwood do Livro Mulheres que Amam Demais.

Como todos sabem tudo o que é demais faz mal e não seria diferente em relação ao amor. A dependência emocional funciona da mesma forma que as outras dependências (álcool, drogas, comida, etc.) e por isso deve ser tratada com a mesma importância.

A mulher dependente emocional tem medo da liberdade e se caracteriza por comportamentos submissos, falta de confiança, dificuldade em tomar decisões, dificuldade de expressar seus pensamentos, medo da separação, de ser abandonada e principalmente da solidão. A dependência emocional não se manifesta apenas no comportamento afetivo, mas em toda a vida da mulher (sexual, profissional, social e econômico).

A dependência surge na infância, quando a criança não tem suas necessidades emocionais supridas, ela cresce com a sensação de vazio, que lhe falta algo e vai em busca de algo que a complete (relacionamentos, comida, sexo, drogas, etc). Por se sentir incompleto tende a se tornar um adulto com pouca auto-estima, com necessidade excessiva de aprovação pelos demais.

Na dependência emocional a mulher normalmente é extremamente prestativa, criando a falsa sensação de controle nos seus relacionamentos (Exemplo: “faço tudo, ele não conseguiria viver sem mim”). Como está acostumada com a falta de amor tende a se envolver com homens problemáticos para se sentir necessária (dependentes químicos, por exemplo), e tem a esperança de que ele mude, por isso o agrada cada vez mais. Com medo de ser abandonada, faz qualquer coisa para impedir o fim do relacionamento.

É preciso deixar claro que existe uma grande diferença entre carência e dependência. Na dependência emocional a necessidade do companheiro, do amigo, filho, etc. é realmente uma dependência, como se produz nas pessoas que usam drogas,o que gera no outro um sentimento de ser invasão.

Como qualquer outra dependência, a recuperação é difícil e não se pode falar em cura, pois podem haver recaídas. Infelizmente, algumas mulheres não têm forças para querer mudar e tendem a continuar procurando algo que as complete (amor, drogas, etc). Aparentemente é mais fácil continuar procurando a felicidade fora de si do que construir recursos internos para preencher o vazio de dentro.

Para quem aceitar o desafio, o primeiro passo é procurar ajuda, como qualquer outra dependência, dificilmente a mulher conseguirá se recuperar sozinha. Procurar e compartilhar com outras pessoas suas dificuldades facilitará o processo de independência. Podemos encontrar por todo o Brasil diversos grupos de ajuda, dentre eles está o Grupo MADA – Mulheres que amam demais anônimas, baseado no livro Mulheres que Amam demais da psicóloga Robin Norwood.

Uma grande caminhada começa com um pequeno passo. Boa Sorte!

Andreia Mattiuci

é colunista do Dicas de Mulher e especialista em Coaching

Receba nossas melhores dicas diretamente em seu e-mail

Assine nossa newsletter para receber nossas novidades sobre os assuntos do momento.

Nós odiamos spam. Nunca usaremos seu e-mail para outros fins.

Comentários
Dicas relacionadas