Cauterização no útero: tire suas dúvidas sobre esse tipo de procedimento

Escrito por                    
Atualizado em 24.06.22

iStock

Por
Atualizado em 24.06.22

A cauterização no útero é utilizada para tratar as “feridas do colo do útero” – como são popularmente chamadas –, que podem ser provenientes de alterações fisiológicas ou de lesões causadas pelo vírus HPV, por exemplo. Saiba como é feito o procedimento, como costuma ser a recuperação da paciente e o esclarecimento para as principais questões sobre o tema.

Publicidade

O que é cauterização no útero

Maura Azzi Tassi (CRM 5298909-6), ginecologista e obstetra do Instituto Maieve Corralo, explica que a cauterização é um procedimento que gera uma queimadura de profundidade e intensidade controladas em área do colo uterino, destruindo aquele epitélio mais frágil e tornando o tecido regenerado mais resistente.

“Pode ser realizada com agentes químicos ou físicos, seja para o tratamento de alterações fisiológicas, porém muito sintomáticas (como, por exemplo, sangramento rotineiro na relação ou corrimento abundante, após excluídas causas patológicas) ou de lesões pelo vírus do HPV”, acrescenta a ginecologista.

Como é feita?

A cauterização do colo uterino pode ser feita no consultório do ginecologista com ou sem anestesia local. “O procedimento é pouco doloroso, relatado com mais frequência por algumas mulheres como uma cólica. Em posição ginecológica, é passado o espéculo, e realizado o procedimento”, explica Maura.

“A cauterização pode ser, por exemplo, química, quando realizada por meio da aplicação de ácido; ou eletrocauterização, quando feita com um aparelho que emite ondas elétricas (eletrocautério)”, acrescenta Maura.

Recuperação

Maura explica que a mulher pode voltar a casa sem precisar ficar internada e realizar normalmente suas atividades, evitando apenas exercícios muito intensos.

“Deve ser orientada que pode apresentar cólica, pequenos sangramentos e que deve evitar relação sexual, uso de dispositivos intravaginais, tampões e duchas”, destaca a ginecologista.

Médica esclarece dúvidas sobre a cauterização no útero

A ginecologista Maura responde abaixo as principais questões relacionadas à cauterização no útero:

1. Em quanto tempo a paciente pode retomar as atividades normais?

No dia seguinte a paciente já pode retornar às suas atividades laborativas, evitando apenas esforços excessivos, conforme destaca Maura.

Publicidade

2. O que causa a ferida no colo do útero?

“O termo ‘ferida’ é usado para se referir a uma condição fisiológica da mulher (mais comum em adolescentes, usuárias de anticoncepcional e gestantes), e que se resolve espontaneamente. O colo do útero apresenta o revestimento de células mais externo (epitélio escamoso – mais resistente ao trauma, acidez vaginal e a infecção por vírus e bactérias) e um mais interno (epitélio glandular). Em algumas situações, de maneira fisiológica por ação do hormônio estrogênio, a parte interna se desloca para fora (o que damos o nome de ectopia) e, ao exame especular (bico de pato), o colo do útero fica mais avermelhado. Esse epitélio glandular, gera um aumento na produção de secreção vaginal, é mais sensível e, por vezes, a paciente apresenta sangramento na relação sexual e está mais suscetível à exposição por agentes infecciosos (por exemplo pelo vírus do HPV)”, explica Maura.

“Muitas vezes o termo ‘ferida’ também é utilizado para se referir aos condilomas (verrugas) ou a lesões causadas pelo vírus HPV, vistos após realização de colposcopia (exame que visualiza o colo uterino por meio de uma câmera) em mulheres com preventivo alterado”, acrescenta a ginecologista.

3. Pode-se ter relação sexual após a cauterização do útero?

“Por no mínimo 15 dias a paciente não deve ter relação sexual, e o retorno à mesma será liberado pelo médico após avaliar a cicatrização completa do colo uterino”, esclarece Maura.

4. É possível engravidar depois de uma cauterização?

A cauterização do colo uterino não dificulta a gestação e nem aumenta a taxa de abortamento ou parto prematuro, conforme destaca Maura.

5. Qual o tempo da cicatrização?

“O procedimento em geral é simples e o tempo de recuperação dependerá de cada pessoa. No geral varia de 15 a 40 dias”, responde a ginecologista Maura.

6. Corrimento após a cauterização é normal?

É normal a paciente apresentar corrimento após o procedimento. “Porém, se o mesmo vier associado de febre, cheiro fétido ou aumento do sangramento, deve ser imediatamente comunicado ao médico”, destaca a ginecologista.

7. Sangramento após a cauterização é normal?

“Pequenos sangramentos vaginais podem ocorrer no decorrer dos dias e é muito comum as pacientes observarem uma descamação maior entre 10 a 15 dias após. Isso porque o tecido do colo do útero vai se regenerando após a lesão térmica causada pela cauterização”, explica Maura.

De toda forma, diante de qualquer sinal incômodo após o procedimento, é importante que a mulher converse com seu ginecologista a fim de evitar possíveis complicações. Aproveite e esclareça suas dúvidas sobre HPV, para que você possa se cuidar e prevenir a doença.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.