Trabalho de parto: conheça as fases para identificar os sinais

Escrito por
Em 29.01.19

iStock

Contrações uterinas capazes de provocar a dilatação do colo uterino. De acordo com Domingos Mantelli (CRM-SP: 107.997), ginecologista e obstetra, esta é a melhor definição de trabalho de parto. “São contrações do útero que cominam com a dilatação do colo uterino e, consequentemente e posteriormente, com o parto”, reforça o médico que é também o autor do livro “Gestação: mitos e verdades sob o olhar do obstetra”.

Continua após o anúncio

É comum, especialmente entre as “mães de primeira viagem”, ter dúvidas sobre este momento tão importante. E conhecer os sinais e as fases do trabalho de parto é importante exatamente para evitar “pânico” e para que a gestante e as pessoas que a acompanham saibam que “tudo está correndo conforme o esperado”.

Índice do conteúdo:

As fases do trabalho de parto

Dicas de Mulher

Mantelli explica abaixo que o trabalho de parto divide-se em: pródromo de trabalho de parto, fase latente do trabalho de parto e fase ativa de trabalho de parto.

Pródromo de trabalho de parto

“No pródromo, a mulher tem contrações uterinas, porém, são contrações que ainda não promovem a dilatação do colo do útero. Mas que acabam gerando um determinado desconforto pélvico. São contrações em que o útero está se preparando para, efetivamente, entrar em trabalho de parto, fase latente”, explica Mantelli.

Leia também: 5 coisas que toda mulher que teve um parto normal gostaria de te dizer

Fase latente de trabalho de parto

A fase latente, destaca o ginecologista e obstetra, é marcada pelas contrações e por uma dilatação muito lenta e gradativa do colo do útero. “Geralmente, em torno de uns quatro centímetros de dilatação”, acrescenta.

Fase ativa de trabalho de parto

“Na sequência, vem a fase ativa do trabalho de parto que é marcada por uma dilatação do colo, maior que quatro/cinco centímetros e que tende a evoluir, em média um centímetro por hora. Mas obviamente isso não é uma regra”, explica Mantelli.

E o mesmo vale para o encaixe do bebê na pelve. “A mulher pode ter a cabeça do bebê encaixado na pelve até mesmo antes do desencadear do trabalho de parto; ou, às vezes, só no final, no período expulsivo”, diz Mantelli.

Continua após o anúncio

O período expulsivo é, aliás, o último período do trabalho de parto. “É quando a mulher já tem a dilatação total e esse bebê agora começa a descer em direção ao canal de parto para o nascimento”, destaca Mantelli.

Entender quais são as fases do trabalho de parto é importante para poder conhecer “todo o contexto” e então, poder identificar da melhor forma cada um dos sinais possíveis dentro do trabalho de parto.

Leia também: 10 corpos de mulheres após a gravidez para você observar, admirar e respeitar

6 sinais do trabalho de parto para ficar atenta

iStock

Confira quais são os principais indicadores de que uma mulher está entrando em trabalho de parto.

1. Contrações ritmadas (contrações por minuto)

Mantelli destaca que o trabalho de parto é caracterizado por contrações ritmadas, que possuem uma certa frequência. “A contração começa de meia em meia hora, de 20 em 20 minutos, de 15 em 15 minutos, de 10 em 10 minutos, de 5 em 5 minutos. Ela vai afunilando e tem um ritmo”, explica.

“Geralmente, nesses momentos, a barriga fica dura e essa rigidez demora em torno de 30 a 40 segundos para passar. E a cada 5 ou 10 minutos, a gestante tem a contração. Depende do ritmo que esteja. Isso é a caracterização de um trabalho de parto”, acrescenta o ginecologista e obstetra.

2. Dilatação

Mantelli explica que, com as contrações, consequentemente vai ocorrendo a dilatação do colo uterino – o que culmina com o parto.

3. Diarreia

Com as contrações e consequente dilatação do colo uterino, podem ocorrer episódios de diarreia. Mas isso, destaca Mantelli, não é uma regra, a diarreia pode ou não estar presente durante o trabalho de parto.

Leia também: 7 exercícios que ajudam a se preparar para um parto normal

Continua após o anúncio

4. Desconforto abdominal

Mantelli explica que, juntamente com as contrações ritmadas, costumam surgir desconfortos abdominal e pélvico, com uma pressão no baixo ventre.

5. Perda do tampão mucoso

Na maioria das vezes, destaca Mantelli, ocorre a perda do tampão mucoso. Com isso, é possível notar uma saída de laivos de sangue (um “jorro” de sangue, que é o próprio tampão mucoso que fechava o colo do útero).

6. Ruptura da bolsa amniótica ou rompimento da bolsa

Este é um dos sinais do trabalho de parto mais conhecidos. Acontece quando popularmente as pessoas dizem que “estourou a bolsa”.

O rompimento da bolsa, destaca Mantelli, pode se dar a qualquer momento, mesmo antes do início do trabalho de parto (ou, às vezes, no final do trabalho de parto, por exemplo).

Além disso, a quantidade de líquido amniótico que “escapa” da bolsa pode ser bem “discreta” (um pingo, por exemplo) ou mais significativa; isso varia muito de mulher para mulher.

A orientação para a mulher que está entrando em trabalho de parto, de acordo com Mantelli, é que ela monitore as suas contrações. “E, eventualmente , se tiver sangramento vaginal ou rompimento da bolsa de liquido amniótico, observar se esse líquido sai em uma coloração esverdeada ou sanguinolenta”, diz.

“É preciso observar se ela não apresenta sangramento vaginal. E sempre que as contrações se iniciarem, ou que seja rompida a bolsa, a gestante deve comunicar o seu médico obstetra, para que ele possa orientá-la adequadamente. E, também, para que ele possa indicar o momento exato que essa paciente deve ir para o hospital para a internação”, ressalta o ginecologista Mantelli.

Relatos de trabalho de parto em vídeo

Você já deve saber que o trabalho de parto nunca é igual de uma mulher para outra. E os relatos abaixo são prova disso.

Sinais de quando entrei em trabalho de parto

Fernanda Machado fala sobre os sinais que seu corpo deu para avisar que o trabalho de parto estava por vir. E compartilha também algumas maneiras simples e naturais de induzir o parto para quem já está com 40 semanas.

Continua após o anúncio

Exercícios e massagem para trabalho de parto

No vídeo, Juliana Goes, com as orientações de sua doula, compartilha dicas de exercícios com a bola suíça e massagens para gestantes e para os momentos do trabalho de parto.

18 horas de trabalho de parto

No vídeo, Naná mostra todo o processo do trabalho de parto, inclusive os momentos em que ela achou que já era a hora de o bebê nascer, mas acabou voltando pra casa.

Trabalho de parto normal e natural

No vídeo, Talita Scoralick mostra todas as etapas do seu trabalho de parto, a partir do momento em que começou a sentir as primeiras contrações até o nascimento da Clara (por meio de parto normal).

Entrando em trabalho de parto

Cristiane Alves conta como começou a sentir as contrações do trabalho de parto e o vídeo mostra até o momento do nascimento do bebê, Mateus.

Quando o trabalho de parto realmente “engrenou”

O vídeo mostra o momento em que Thiara Vilete começa a sentir as contrações do trabalho de parto e é levada do shopping (onde estava) ao hospital para o nascimento do bebê (por meio de parto normal).

O que eu senti com o trabalho de parto

Thaís Bergamo conta, entre outros pontos, que, 15 dias antes do parto, ela já começou a notar alguns sinais, como, por exemplo, intestino mais preso, desconforto na barriga. No vídeo você confere o relato completo.

Vale ressaltar que o trabalho de parto nunca é igual de uma mulher para outra. Manter-se calma, buscar somente informações seguras e seguir as orientações do seu médico são as medidas essenciais para garantir um trabalho de parto seguro e o mais tranquilo possível! Aproveite e tire todas suas dúvidas sobre parto normal.

Este conteúdo foi útil para você?
Sua opinião é importante para identificarmos onde podemos melhorar.
Sim
Não

Assuntos: Gravidez

Para você