7 mulheres empreendedoras brasileiras de sucesso

Escrito por                    
Atualizado em 22.06.22

Envato

Por
Atualizado em 22.06.22

O número de mulheres empreendedoras aumenta a cada ano no Brasil. A economista Ana Alves explica que a pandemia foi um fator importante para que esse número aumentasse ainda mais. De acordo o Sebrae, em 2021 o país possuía 10,1 milhões de mulheres liderando seus próprios negócios. Mas o que significa ser empreendedora em um país como o Brasil?

Publicidade

O que é ser mulher empreendedora?

Empreender significa colocar algo em execução, realizar alguma coisa que tem valor para a sociedade. Nunca foi fácil empreender no Brasil, e durante a pandemia as dificuldades aumentaram de maneira considerável.

De acordo com Ana Alves, que é mestre em economia, “apesar do aumento no número de mulheres empreendedoras ser visto como algo positivo, essas mulheres ainda não estão inseridas em uma realidade tão positiva assim”.

O fato das mulheres começarem a empreender por necessidade pode ser considerado um fator negativo para a obtenção de sucesso profissional. Para começar um negócio, “é essencial começar se especializando no nicho de atuação desejado, para dessa forma diminuir a possibilidade de frustração”.

O perfil da mulher empreendedora

Além de independência financeira, Ana Alves explica que existem diferentes perfis de mulheres empreendedoras no Brasil. A maioria delas começam os seus negócios por necessidade financeira, enquanto uma pequena parte o faz por paixão.

Essa realidade, que às vezes é até romantizada, pode trazer muito mais desafios para essas mulheres. Isso acontece porque “ao abrir um negócio estritamente por necessidade, aquela mulher pode não estar preparada para empreender e pode não possuir ainda o conhecimento técnico necessário para administrar um negócio”.

Os desafios das mulheres empreendedoras

Envato

De acordo com a especialista, a mulher “precisa lidar com uma dupla ou tripla jornada e isso faz com que elas fiquem exaustas e sobrecarregadas”.

Nesse cenário, fica ainda mais difícil explorar todo o potencial dessa mulher empreendedora. Mas “apesar de todas essas dificuldades, o número de mulheres que querem abrir o seu próprio negócio não para de crescer”.

Publicidade

7 mulheres empreendedoras de sucesso para se inspirar

O empreendedorismo feminino ganha cada vez mais espaço na nossa sociedade e o Brasil já possui diversos casos de mulheres de sucesso. Veja a seguir 7 casos de mulheres que fundaram empresas de sucesso e que inspiram outras mulheres diariamente a ter o seu próprio negócio:

Stéphanie Azevedo

Advogada, fundadora do coletivo Advogo para elas, blogueira e Youtuber, Stéfanie Azevedo trabalha junto a uma equipe de advogadas com o objetivo de levar assistência jurídica especializada para mulheres.

Sua equipe atende mulheres de todo o Brasil e também brasileiras que moram no exterior em diversas áreas do direito. Semanalmente, Stéphanie responde dúvidas jurídicas de forma gratuita em seu perfil do Instagram para ajudar cada vez mais mulheres a conseguirem orientação especializada sobre seus direitos básicos.

Além disso, Stéfanie também oferece cursos para outras advogadas que desejam se especializar em direito de família. Seu trabalho tem um grande impacto social ao levar informação de qualidade para o maior número possível de mulheres.

Zica Assis

De família humilde, Heloísa Assis precisou começar a trabalhar ainda criança, com apenas 9 anos de idade. Ela foi faxineira, babá e empregada doméstica. Aos 21 anos, Zica estava cansada de alisar os cabelos e também de sofrer preconceito da sociedade, devido aos seus cabelos crespos e volumosos. Então, ela decidiu fazer um curso de cabelereira e testar alguns produtos em seu próprio cabelo para cuidar dos seus cachos.

A ideia até poderia ter dado errado, mas o resultado foi surpreendente e seus produtos começaram a fazer sucesso rapidamente entre as pessoas que ela conhecia. Em 1993, Zica começou a investir na primeira unidade do Beleza Natural. O sucesso foi tanto que as clientes faziam filas que se iniciavam as 5 da manhã para poder ter acesso aos produtos inovadores. Atualmente, o Beleza Natural é a maior rede brasileira que comercializa produtos para cabelos crespos e cacheados.

Cleusa Maria

Cleusa Maria da Silva é a criadora da marca Sodiê Doces, um negócio de sucesso que teve um começo bem difícil. Cleusa vem de uma família humilde, possuía apenas o ensino médio incompleto e teve que trabalhar como cortadora de cana, empregada doméstica e recepcionista. Ganhava muito pouco exercendo estas funções, menos de um salário mínimo.

Publicidade

Até que ela decidiu investir em doces, com a ajuda de um empréstimo oferecido pelo irmão. Cleusa tinha um grande desafio pela frente, e apesar do cansaço e da exaustão ela não desistiu. Trabalhava em uma indústria, ao mesmo tempo em que fazia bolos em casa, produzindo até mesmo de madrugada.

Depois de dois anos de dupla jornada e muitos desafios, Cleusa conseguiu abrir a primeira loja da Sodiê Doces na cidade de Salto, que fica no interior de São Paulo. Hoje a marca é uma referência no segmento e é a maior franquia de bolos do Brasil.

Maria José de Lima Freitas

Maria José de Lima Freitas é uma empreendedora de sucesso que começou o seu negócio por necessidade. Ela resolveu vender doces após perder o seu emprego de faxineira em um banco. O início da jornada não foi fácil e a sua empresa, a Mazé Doces não fez sucesso rapidamente.

No entanto, após 4 anos de trabalho e com algumas dívidas acumuladas, a empresária participou do Empretec, um programa de capacitação do Sebrae e conseguiu regularizar os seus débitos.

Depois disso, Maria José conseguiu construir a sua primeira fábrica e um ano depois a sua primeira loja. Hoje, a Mazé Doces é um sucesso produzindo toneladas de doces que são vendidos em toda a região sudeste do Brasil. Além disso, a loja é considerada um ponto turístico importante da cidade de Carmópolis em Minas Gerais.

Maitê Lourenço

Psicóloga e fundadora do BlackRocks Startups, Maitê Lourenço busca estimular o protagonismo de empreendedores negros. Tudo começou em 2010 quando Maitê fundou a Cia de Currículos, uma empresa na área de recursos humanos. Maitê começou a participar de eventos da comunidade brasileira de empreendedorismo e começou a perceber que não havia negros além dela nestas reuniões.

Isso fez com que ela sentisse vontade de tomar uma iniciativa para mudar essa situação. A BlackRocks Startups ajuda a capacitar empreendedores negros e a apoiá-los através de iniciativas de investimentos em seus projetos. Por fazer um trabalho de impacto social, Maitê já acumula alguns prêmios e foi considerada como uma das jovens mais inovadoras pelo departamento de Responsabilidade Social da Rede Globo de Televisão.

Mônica Burgos

Monica Burgos

Publicidade

Depois de se divorciar e de abandonar a carreira de advocacia, Mônica Burgos se mudou para o Rio de Janeiro com os três filhos em busca de novas oportunidades. Ela voltou a estudar e conheceu o mundo dos aromas quando o seu professor de História da Moda a convidou para fazer parte de sua equipe de assessoria.

A partir de seu trabalho, que envolvia oferecer uma experiência com foco nos cinco sentidos aos clientes, Mônica percebeu que estava diante de uma grande oportunidade. Quase não havia informações sobre produtos utilizados para perfumar ambientes, então ela começou a comprar aromatizantes artesanais e revender esses produtos nas ruas.

A essa altura ela estava morando em Salvador e as vendas estavam sendo um sucesso. Até que Mônica decidiu criar a Avatim e fabricar seus próprios aromatizantes. Hoje, a sua marca possui mais de 1200 revendedoras ativas e 126 lojas franqueadas, sendo um grande negócio de sucesso.

Márcia Tozo

Marcia Tozo foi mãe aos 16 anos e precisou deixar os estudos de lado por um tempo para exercer a maternidade. Após alguns anos, ela voltou aos estudos e se formou em publicidade, um curso que abriu muitas possibilidades em sua vida.

Depois da graduação, Marcia resolveu criar um curso online ensinando as pessoas a fazerem brigadeiros gourmet e a iniciativa foi um grande sucesso. Ela resolveu criar outros produtos digitais e começou a ficar conhecida por todo o Brasil, à medida que ajudava outras pessoas a conquistarem o seu sucesso e independência financeira. Hoje, a empresária é dona da Escola Tudo de Cake e é uma referência na área de doces finos.

Essas mulheres são uma grande inspiração para quem deseja empreender. E por mais que o caminho possa ser repleto de dificuldades, o empreendedorismo é recompensador para grande parte das pessoas. Mas se você deseja criar a sua própria empresa, não deixe de conferir 6 coisas que você deve considerar antes de abrir o seu próprio negócio.