Dicas de Mulher Dicas para Mães

17 brincadeiras antigas que seus filhos precisam aprender

Relembre essas brincadeiras super divertidas que vão deixar seus dias mais alegres e te ajudar a tirar as crianças da frente da telinha

em 24/10/2014

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Tem coisa que criança gosta mais de fazer do que brincar? Não importa a idade, se é de dia, de noite, faça chuva ou faça sol, sem dúvida a atividade considerada mais importante pelas crianças é a brincadeira. E é brincando que a criança aprende a ser gente, a viver em sociedade, a contar, a pular, a criar, ou seja, acaba sendo tudo um treinamento para vários aspectos da sua vida.

A diversidade de brincadeiras se faz fundamental e a sorte é que as crianças tem a capacidade de se divertir com pouco. Mas nos últimos tempos, surgiu um grande vilão para as brincadeiras de quintal: a existência maciça de parafernálias eletrônicas que prendem a atenção dos pequenos com luzes, sons e imagens em movimento.

Entretanto, excluir a tecnologia da criança também não é nada indicado. O equilíbrio continua sendo a melhor opção nesses casos.

Vale lembrar que não é só computador que diverte e que nem só o tablet evolui os pequenos. Brincadeiras ao ar livre, lúdicas, que exigem criatividade, movimento físico e interação com outras crianças ajudam muito no desenvolvimento psicológico, social e motor.

De acordo com Sônia Meri Roders, Coordenadora Pedagógica da Escola Barão do Rio Branco de Blumenau (SC), “as brincadeiras antigas são de grande auxílio no desenvolvimento da criança. Além de desenvolvimento corporal, são indispensáveis à saúde física, emocional e intelectual. Através delas, as crianças desenvolvem sua linguagem, o pensamento, a interação social, aprendendo a conviver e respeitar o outro”.

Brincadeiras antigas que as crianças vão amar

Você se lembra de suas brincadeiras de quando era criança e do quanto se divertia com elas? Que tal introduzi-las na vida dos seus filhos e proporcionar a eles toda aquela alegria e magia das brincadeiras tradicionais? Veja a seguir algumas brincadeiras para você relembrar e compartilhar esse grande legado com seus filhos:

Brincadeiras para estimular a coordenação motora

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

1. Batatinha frita: De costas para o resto do grupo, uma criança, que será a batatinha, fala bem alto: “Batatinha frita um, dois, três!”. Durante essa frase, as outras crianças tentam se aproximar da batatinha, mas precisam paralisar assim que ela acabar de falar e virar de frente para elas. Se alguém for pego se mexendo, está fora, e o primeiro que conseguir encostar nas costas da criança batatinha vence.

2. Pular corda: Existem várias modalidades para essa brincadeira, onde as crianças seguem o que é dito pela música. Uma das canções mais clássicas é “Um homem bateu em minha porta e eu abri. Senhoras e senhores ponham a mão no chão. Senhoras e senhores pulem num pé só. Senhoras e senhores deem uma rodadinha e vá pro olho da rua (quando a criança tem que sair da corda sem encostar nela)!”

3. Bambolê: Aquele círculo colorido de plástico tem o poder de divertir por um bom tempo crianças de todas as idades, até mesmo as menores que não conseguem girar bem o aro. Na cintura, com movimentos do quadril, nos pulsos ou pescoço, o bambolê vai ensina muito sobre o corpo às crianças.

4. Amarelinha: Uma brincadeira fácil e que envolve diversos aprendizados. Com um giz de cera ou pedaço de carvão, desenha-se a amarelinha no chão. As casas são numeradas e o “céu” pode ser colorido. Passar por todo o trajeto da amarelinha vai exigir das crianças muito equilíbrio e coordenação motora.

5. Bobinho: É necessária uma bola e ao menos três pessoas. Uma criança será o bobinho e tem que conseguir pegar a bola enquanto os outros a jogam entre si. Quem jogar e tiver a bola apreendida pelo bobinho será o bobinho da vez.

6. Cinco Marias: Com apenas cinco pedrinhas dá para montar um jogo desafiador do tempo das bisavós. A brincadeira consiste em jogar uma das pedras para cima e pegar outra no chão antes que a que foi lançada caia em sua mão. Pode ser jogado de diversas formas com a ideia de que fique cada vez mais difícil.

7. Bolinha de sabão: Uma brincadeira mágica e que incentiva os pequenos a direcionar o ar e controlar o diafragma. E nem é preciso comprar o modelo industrializado – apesar de ser muito barato – um copo com água e detergente e um canudo já resolvem a brincadeira.

Brincadeiras para estimular a criatividade

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

8. Cirandas: São muitas músicas, cada uma com sua origem cultural e com movimentos diferentes que devem ser seguidos pelas crianças. “Brincadeiras cantadas, mesmo sem o uso de materiais, desenvolvem a criatividade, o raciocínio, a memória, a percepção musical, a coordenação motora ampla e favorecem a interação e a sociabilidade”, acrescenta a coordenadora pedagógica Sônia Meri Roders.

9. Massinha: A massa de modelar estimula a criatividade de forma simples e divertida. Quanto mais cores, maior será o interesse da criança de criar diferentes formas e objetos. É indicado para qualquer idade, irá estimular a capacidade de criação e exercitar os movimentos mais detalhados dos dedos.

10. Caça ao tesouro: Esconda um prêmio (pode ser um doce, um dinheirinho, qualquer prenda) em algum lugar da casa ou do jardim. Após escolher o esconderijo, eleja outros lugares da casa para esconder pistas em papeis que levam até o tesouro.

11. Forca: A criança escolhe uma palavra e a representa no papel apenas com risquinhos correspondentes a cada letra. A outra pessoa tenta adivinhar a palavra ‘chutando’ uma letra de cada vez. A cada erro, um pedaço de um boneco aparece na forca até ser totalmente completo ou a palavra ser descoberta.

12. Mímica: Essa brincadeira pode ser feita em qualquer lugar. Uma criança sozinha ou em grupo decide por um objeto, animal, filme ou qualquer outra coisa que será encenada e anotará em um papel. O outro grupo de crianças tem que adivinhar a palavra escolhida.

Brincadeiras para estimular o convívio social

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

13. Queimada: Brincadeira boa para exercitar o arremesso e a velocidade enquanto une as crianças em grupos. Divididos em dois lados de um espaço qualquer, os times tentam arremessar e acertar as crianças do outro time com uma bola. Quando alguém é acertado vai para a ‘prisão’. Ganha o time que acertar todos os integrantes do outro.

14. Pular carniça: As crianças se posicionam em fileiras, agachadas apoiando as mãos no joelho. Uma a uma, as crianças vão pulando pelas costas dos amigos e voltando à posição inicial logo à frente.

15. Pique-bandeira: O grupo divide-se de forma parecida com a queimada, em dois times. Mas dessa vez o objetivo é capturar a bandeira do outro grupo que está protegida no fundo. Se a criança que tentar passar pelo time adversário for tocada pelos rivais, ela ficará congelada no local até que um amigo do mesmo time a descongele.

16. Esconde-esconde: Umas das brincadeiras mais famosas de todos os tempos, o pique-esconde é indicado para todas as idades. Uma criança conta até 10 enquanto os outros amigos se escondem.

17. Passa anel: As crianças sentam em roda e uma delas estará no centro com o anel. As mãos das outras crianças ficam fechadas em formato de concha. A criança que está com o anel fingirá que o coloca dentro das mãos de cada participante. Ao final, tenta-se descobrir quem realmente está com o anel.

O número de brincadeiras que foram inventadas e passadas de geração em geração até chegar às atuais é infinito. É papel dos pais transmitir esse conhecimento para as crianças, incentivando a manutenção de tamanha bagagem cultural que só faz bem à elas.

Comentários
Dicas relacionadas