10 coisas que você precisa saber se quer engravidar (e também se não deseja)

Fazer xixi depois da relação não impede uma gravidez, mas o lubrificante íntimo pode dificultá-la

Escrito por Raquel Praconi Pinzon

Foto: iStock

A possibilidade de gravidez é sempre motivo de expectativa, seja porque a mulher deseja muito ter um bebê ou porque quer evitar uma gestação naquele momento da vida. Em consequência disso, é comum que existam muitas dúvidas sobre esse assunto.

Independente de você fazer parte do time que está tentando engravidar ou do grupo que não pretende estar com um bebezinho nos braços nos próximos meses, estas 10 informações são essenciais para você seguir o seu planejamento com sucesso:

1. Um espermatozoide pode sobreviver por até 5 dias no útero

Foto: iStock

Embora o mais comum seja que os espermatozoides sobrevivam de 48 a 72 horas depois da ejaculação, é possível que alguns mais resistentes sobrevivam por até 5 dias – embora isso seja bem raro. Assim, existem chances de que uma mulher engravide se tiver relações sexuais desprotegidas poucos dias antes do período fértil.

2. Fazer xixi depois da relação não impede a gravidez

Foto: iStock

Ir ao banheiro logo depois de uma relação sexual realmente pode fazer com que alguns milhões de espermatozoides sejam mandados para a privada junto com a urina.

Contudo, como uma ejaculação pode ter de 200 a 500 milhões de gametas masculinos, os espermatozoides perdidos com o xixi não são fator determinante para impedir uma possível gravidez.

3. Ciclos irregulares não inviabilizam totalmente a gestação

Foto: iStock

Quem tem um ciclo menstrual irregular terá mais dificuldades para saber quando é seu período fértil, mas isso não é um fato que proíbe totalmente a fecundação e a gestação. De qualquer forma, querendo ou não engravidar, é sempre recomendado ter um acompanhamento médico.

4. O muco cervical pode ser incompatível com o sêmen

Foto: iStock

Em alguns casos, o muco cervical da mulher pode apresentar características hostis ao sêmen do parceiro, o que reduz as chances de sobrevivência dos espermatozoides. O resultado disso, que pode ser observado por meio de um exame chamado teste pós-coito, é que os espermatozoides serão destruídos.

Para casais que não pensam em engravidar, a camisinha evita qualquer irritação no corpo da mulher. Para aqueles que gostariam de ter filhos, pode ser necessário recorrer a técnicas de fertilização in vitro ou inseminação artificial.

5. É possível engravidar logo depois de suspender a pílula

Foto: iStock

Embora as chances de isso acontecer sejam bastante reduzidas, quem pretende evitar uma gravidez não deve confiar no “efeito protetor” da pílula depois de suspender seu uso. Já para quem está na expectativa de ter um bebê, é melhor segurar a ansiedade por mais dois ou três ciclos, quando as chances aumentam.

6. O estresse pode interferir na ovulação

Foto: iStock

Mulheres que desejam muito engravidar e não conseguem, mesmo depois de várias tentativas, podem desenvolver ansiedade e estresse, o que prejudica a ovulação. Aquelas que enfrentam estresse ou depressão por outros motivos também podem apresentar essa dificuldade, pois nosso sistema emocional interfere na ação dos hormônios sexuais.

7. Alguns medicamentos podem reduzir a ação da pílula

Foto: iStock

Alguns tipos de medicamentos podem afetar o efeito da pílula anticoncepcional e reduzir a proteção oferecida contra uma gravidez indesejada. O principal deles é a rifampicina, um antibiótico que corta o efeito da pílula em até 50%.

Outros antibióticos, anticonvulsivantes e remédios naturais (principalmente a erva-de-são-joão) também podem interferir na eficácia da pílula. Portanto, sempre converse com seu médico ou farmacêutico antes de tomar um medicamento.

8. A dificuldade para engravidar não é igual para todos os filhos

Foto: iStock

Se você enfrentou muitos obstáculos e dificuldades para conceber seu primeiro bebê, saiba que isso não precisa necessariamente se repetir para gerar o segundo filho. Da mesma forma, uma primeira gravidez sem maiores problemas também não é garantia de que a próxima seguirá o mesmo padrão.

9. Não existe consenso sobre colocar as pernas para cima depois da relação

Foto: iStock

Pelo menos de acordo com a Ciência, não há nada que comprove a eficácia de permanecer nessa posição para aumentar as chances de engravidar. Contudo, alguns especialistas defendem que esse truque evita a perda do sêmen, que poderia escorrer, e deixa a mulher mais relaxada, o que favoreceria a gestação.

10. Lubrificantes íntimos podem dificultar a fecundação

Foto: Reprodução / Bonk Lube

De acordo com vários especialistas em fertilidade, os lubrificantes íntimos tendem a “segurar” os espermatozoides mais tempo no ambiente ácido da vagina, que acaba destruindo os gametas. Assim, para quem deseja engravidar, pode ser mais recomendado evitar o uso do produto, facilitando a chegada dos espermatozoides até o muco cervical, que é alcalino.

Lembre-se de que a melhor pessoa para esclarecer suas dúvidas sobre o que pode favorecer ou atrapalhar uma gestação é o médico ginecologista obstetra. Por isso, é essencial que você tenha um profissional em que possa confiar e por quem sinta empatia durante as consultas.

Assuntos: Gravidez

Dicas pela Web
Comentários