Emoliente: saiba o que é e quais são os principais tipos

Escrito por
Em 03.07.20

iStock

Geralmente, os cremes são formulados com pelo menos um emoliente, que podem ser óleos vegetais, ácidos graxos (ômega 6 e 3) ou lipídios não gordurosos. Mas você sabe qual a função e quais os tipos de emolientes? A esteticista e cosmetóloga Beatriz Berna esclareceu dúvidas e orientou sobre como usá-los. Acompanhe na matéria!

Continua após o anúncio

Índice do conteúdo:

O que é emoliente?

iStock

“O emoliente é um composto oleoso e lipídico não gorduroso, que hidrata e restaura a oleosidade da pele ressecada. Ele impede a evaporação de água através da formação de filme oclusivo, gerando a ativação da circulação local”, explica a cosmetóloga.

Segundo Beatriz, “o emoliente preenche os ´espaços´ nas células da pele, assim o produto é facilmente espalhado.” Já os umectantes retêm cerca de 70% da água, sendo ideal usá-los quando a pele estiver úmida, para não perder a umidade facilmente. Os hidratantes por agentes oclusivos, por sua vez, formam uma camada que retarda a perda de água e deixa a aparência da pele mais brilhante e pegajosa.

Tipos de emolientes

A seguir, você confere quais os principais tipos de emolientes e para que são indicados. Veja só:

  • Óleo de uva: é muito usado em formulações cosméticas para flacidez e prevenção de estrias em gestantes, nas concentrações de 2 a 10%.
  • Manteiga de karité: é um agente emoliente natural que protege a pele, proporcionando sensação aveludada e suavizante. É usado nas concentrações de 1 a 5%.
  • Vaselina: tem propriedade emoliente, suaviza e lubrifica a pele com ação protetora.
  • Óleo de macadâmia: possui ação emoliente, hidratante e propriedades regenerativas e é usado na faixa de 0,5 a 5% em produtos cosméticos.
  • Óleo de rosa mosqueta: é utilizado para amenizar rugas e linhas de expressão, hidratar a pele, prevenir o envelhecimento precoce e o desenvolvimento de estrias na gravidez. É usado nas concentrações de 2 a 10%.

Cada vez mais, as pessoas estão adquirindo os cosméticos que possuem esse ativo em sua formulação. Os emolientes proporcionam uma textura melhor que os demais tipos de hidratantes.

Como usar emolientes

iStock

Além de hidratar e restaurar a oleosidade da pele ressecada, os emolientes também podem ser usados como demaquilante ou loção pós-sol. Alguns deles possuem ação antioxidante, que previne e ajuda a diminuir os sinais de envelhecimento. Outros emolientes, de origem natural, são usados no tratamento de acnes, pois ajudam a controlar a oleosidade excessiva da pele.

Normalmente, os cremes, shampoos, condicionadores e máscaras hidratantes possuem propriedades emolientes para hidratar os fios e deixá-los mais macios e com textura mais leve. Os emolientes naturais mais indicados para esse fim são os óleos e manteigas vegetais, como jojoba, rícino e abacate. Eles nutrem e restauram as escamas capilares, penetrando nos fios do cabelo.

Continua após o anúncio

Emolientes caseiros

iStock

De acordo com a cosmetóloga, existem emolientes naturais, principalmente os vegetais. “A amêndoa é muito usada para hidratar a pele, prevenir estrias na gravidez e também pode ser utilizada como demaquilante.” Outra opção é o óleo de gérmen de trigo: muito útil na cicatrização de queimaduras e lesões e para hidratar joelhos e cotovelos ressecados. “Já o óleo de jojoba auxilia no tratamento da acne e pele inflamada”, acrescenta Beatriz.

Agora que você já sabe para que serve e quais são os principais emolientes, é só aproveitar os seus benefícios. Aproveite e saiba mais sobre o óleo vegetal, um poderoso aliado para a sua saúde e beleza.

Assuntos: Como usar, Pele