Curetagem: veja o que é e quando o procedimento é necessário

Para realizar o ato cirúrgico, é necessário buscar bons profissionais para que tudo ocorra da melhor forma possível

Por Juliana Cazarine
Atualizado em 07/06/2013 15:01
curetagem veja o que e e quando o procedimento e necessario Curetagem: veja o que é e quando o procedimento é necessário

Foto: Thinkstock

A curetagem é um procedimento médico ginecológico que possui duas vertentes: uterina e endocervical. A primeira é aplicada em caso de aborto e serve para evacuação uterina, quando é necessário retirar o que não foi expelido espontaneamente; já o procedimento endocervical é feito para coleta de material do endométrio ou endocolo a fim de descobrir uma patologia, como câncer de útero, por exemplo.

O procedimento, que também é conhecido como raspagem, é bastante simples. Para realizá-lo, a paciente submete-se a uma anestesia local, no caso do tipo endocervical, e anestesia geral, quando a curetagem é uterina. Nas duas formas, é necessário dilatar o colo do útero, com instrumentos cirúrgicos próprios, para ter acesso à cavidade uterina e colher o material. Em apenas um dia, mulher pode realizar a curetagem pela manhã e voltar para casa à noite.

No entanto, ela deve ficar atenta aos cuidados posteriores necessários: repouso de um a dois dias e não manter relações sexuais durante um período acordado e definido sob orientação médica. Se após realizar a curetagem, independente do tipo, a mulher sentir cólica abdominal intensa ou duradoura, febre ou sangramento íntimo intenso, é sinal de que ela pode estar com infecção. Nesse caso, a recomendação é buscar um profissional imediatamente.

Depois de realizar o ato cirúrgico, uma nova gravidez só poderá ocorrer em seis meses, já que o útero ainda não estará preparado para receber um bebê. A curetagem deve ser realizada por profissionais de confiança e em clínicas previamente recomendadas por outros profissionais ou por pessoas que já realizaram o ato, que ofereçam estrutura necessária, para que o procedimento obtenha sucesso e não surjam complicações posteriores.

Além da possibilidade de infecção, por se tratar de um ato cirúrgico, a paciente está exposta ao risco de hemorragia ou problemas decorrentes da anestesia. Caso a curetagem não seja feita corretamente, pode ocorrer perfuração uterina ou alteração nas estruturas normais do endométrio, por causa de uma raspagem mais “agressiva”, o que pode fazer com que a menstruação seja interrompida. Fator que reforça novamente a necessidade de buscar bons profissionais e ter acompanhamento médico pré e pós curetagem.

A curetagem endocervical, para que a coleta do material endométrico, pode ser acompanhada da visualização direta da cavidade do útero através de um histeroscópio, um instrumento óptico que permite ao médico identificar as zonas do endométrio que devem ser recolhidas para outros exames. Este exame é recomendado para mulheres que receberam classificação III, IV, V ou NIC 3 no papanicolau.