COLUNA

Será que você realmente sabe escolher um bom pão?

CANVA

Pães multigrãos de pacotes são mais saudáveis que o pão francês? A indústria alimentícia quer que você acredite que sim

Atualizado em 12.07.22

Certa blogueira diz na internet que pão francês é um “veneno” para quem deseja emagrecer. Na semana seguinte, ela posta foto tomando café numa varanda glamorosa com sua torrada multigrãos. A embalagem do produto aparece na mesa. Você pode nem perceber inicialmente, mas ela recebe para fazer publicidade da marca.

Publicidade

Talvez ela mesma até evite essa torrada por saber que é um alimento ultraprocessado. Na lista de ingredientes, observamos vários nomes esquisitos e o destaque na embalagem frontal dizendo “fonte de fibras”. Então, a torrada e o pão de pacote multigrãos ultraprocessados são mais saudáveis que um pão francês?

A resposta é: depende. Se esse pão francês foi feito com farinha, água, sal e fermento, SIM! E quando o pão leva algum cereal integral, como aveia ou farinha de trigo integral, melhor ainda. As fibras naturalmente presentes nesses alimentos trazem várias benefícios à saúde e ainda aumentam a saciedade. Isso quer dizer que você vai demorar mais para ter fome e fazer a próxima refeição. Isso é especialmente interessante para quem deseja controlar ou perder peso.

Embora a indústria de alimentos invista em produtos com o apelo “rico em fibras”, já se sabe que os benefícios das fibras adicionadas não são iguais aos das fibras naturalmente presentes nos alimentos. Além disso, torradas e pães de pacote ultraprocessados costumam levar açúcares ou substâncias que realçam o sabor. Isso induz o consumo exagerado e confunde o seu paladar, que passa a se atrair cada vez mais por sabores adocicados e artificiais. Conclusão: a sensação de saciedade nunca será a mesma!

O pão de verdade, que leva ingredientes que eu reconheço na minha cozinha, pode perfeitamente integrar uma refeição saudável como o café da manhã. Para tornar a alimentação mais atraente e variada, posso substituir o pão por cuscuz, tapioca ou outros alimentos da nossa cultura alimentar que contribuem para começar o dia com mais energia e disposição.

Mas e o glúten do pão? Se você não possui uma condição clínica diagnosticada que exija a exclusão do glúten, como a doença celíaca, fique atenta às dietas da moda. Elas nada mais são que instrumentos de venda e publicidade de alimentos ultraprocessados. Afinal, faz sentido deixar de comer um pão saudável para trocá-lo por um ultraprocessado sem glúten? Para a indústria faz!

* Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Dicas de Mulher.

Nutricionista doutora em Ciências e defensora do Guia Alimentar para a População Brasileira. Adora cozinhar, explorar novas culturas alimentares e fazer conexões com a natureza e as pessoas.