Opinião

Alimentação saudável é muito mais que ingestão de nutrientes

Cozinhar, investir em produtos de origem vegetal e reservar tempo para saborear as refeições são atos de autocuidado

PEXELS

Por
01.06.22 às 10:00

Você consegue se alimentar de forma saudável no dia a dia? Se a sua resposta foi NÃO ou se ficou em dúvida, você faz parte do grupo de milhões de brasileiros que não conseguem acessar uma alimentação saudável. Os motivos podem ser muitos, por falta de tempo, informação, renda ou outros obstáculos presentes nos ambientes em que residimos e trabalhamos.

Publicidade

Alimentar-se de forma saudável em 2022 exige, em primeiro lugar, a disposição e a batalha para superar uma série de empecilhos. Tais como: informações por todos os lados (quais são realmente confiáveis?), preço dos alimentos, tempo para cozinhar e planejar as compras, publicidade sedutora de produtos vendendo a praticidade como forma de libertação da cozinha, a falta de habilidade para cozinhar de forma prática e a dificuldade para encontrar comida e ingredientes frescos e saudáveis a um passo de casa ou do trabalho.

Nos últimos anos, estudos têm demonstrado que o brasileiro vem se afastando das suas tradições culinárias saudáveis, como o arroz com feijão do dia a dia, a galinhada e a macarronada compartilhada com a família no domingo, para se aproximar cada vez mais de alimentos ultraprocessados.

Esses alimentos que passam por muitos processamentos, que nem deveriam se chamar alimentos, são na verdade produtos feitos pela indústria com nada ou quase nada de comida de verdade, sendo adicionados de substâncias químicas que viciam o paladar, te fazem comer em excesso e prejudicam a saúde.

Talvez você até consuma esse tipo de produto acreditando ser uma alternativa saudável na sua rotina e “dieta”. Um exemplo é o pão integral de pacote feito pela indústria no lugar do pão francês fresquinho preparado pela padaria apenas com farinha de trigo, água, sal e fermento.

Mas, então, como consumir comida de verdade no dia a dia? A resposta é: cozinhe mais! Incorpore em sua rotina o planejamento das refeições. Com o tempo e a prática, essa dedicação fará naturalmente parte da sua rotina, assim como escovar os dentes, tomar banho ou qualquer outra atividade de autocuidado.

Quando não for possível cozinhar, opte por estabelecimentos que ofertem variedades de alimentos frescos como arroz, feijões, legumes, verduras e frutas. Dê preferência a alimentos de origem vegetal aos de origem animal. Será que realmente precisamos consumir carnes, ovos e leite diariamente? Afinal, alimentação saudável é aquela que promove a nossa saúde e também protege o meio ambiente.

Invista no momento da refeição, comendo em companhia quando possível, organizando o ambiente e reservando um tempo para mastigar devagar e reconhecer se está saciada.

Por fim, leia o rótulo dos alimentos que você compra e procure a lista de ingredientes para saber como eles são feitos. Se você não reconhecer os ingredientes como aqueles que você utiliza para cozinhar, fique atenta porque, muito provavelmente, trata-se de um alimento ultraprocessado.

Para evitá-lo, é claro que não basta nosso esforço pessoal, o Estado precisa se mobilizar para que consigamos acessar mais facilmente uma alimentação saudável. Mas esse é assunto para uma outra coluna!

Publicidade

* Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Dicas de Mulher.

Nutricionista doutora em Ciências pela FSP/USP e defensora do guia alimentar para a população brasileira.