Vacina contra HPV

Fique alerta em relação à prevenção da doença e saiba mais sobre a vacina contra o papiloma vírus humano

Escrito por Deborah Busko
Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

O HPV é uma doença transmitida pelo contato sexual sem proteção que infecta homens e mulheres em idade sexualmente ativa. Mesmo sem penetração, apenas com um contato mais íntimo, o vírus pode passar de uma pessoa para outra.

O maior perigo da infecção pelo papiloma vírus humano é que ele age de maneira silenciosa no organismo. Na maior parte dos casos não há sintomas, ou seja, muita gente só descobre a existência do HPV quando já é tarde demais. O vírus pode ficar por muito tempo no organismo sem se manifestar, apesar de poder ser transmitido.

Quando entra em ação, provoca coceira, corrimento ou dor durante a relação sexual. Além disso, o HPV pode causar verrugas ou manchas brancas na área genital, sinais que indicam que a doença se encontra em um estágio avançado.

Ainda não há cura para a infecção por HPV, mas é possível controlar a ação do vírus no organismo. Um dos principais motivos é que a doença pode potencializar a possibilidade de câncer no colo do útero se não receber os cuidados adequados.

Tratamento e prevenção

Mesmo sendo uma doença comum ao sexo feminino e ao masculino, as mulheres são as mais contaminadas. A explicação para isso está nas alterações hormonais que ocorrem ao longo do ciclo menstrual e afetam a imunidade do organismo. Como isso não ocorre com os homens, elas se tornam mais vulneráveis à infecção.

As melhores armas contra a doença são o diagnóstico precoce e, sobretudo, a prevenção. Para evitar a infecção pelo vírus, a principal medida é não dispensar a camisinha nas relações sexuais, o que não elimina a chance de infecção já que o micro-organismo pode entrar no corpo da pessoa pela pele ou por mucosas.

Ter um parceiro fixo ou reduzir o número de parceiros sexuais, manter a higiene íntima e visitar o ginecologista regularmente para exames de rotina também são medidas importantes.

Outra forma de prevenção é a vacina contra HPV, considerada atualmente o tratamento mais eficiente para garantir a imunidade por, no mínimo, dez anos. A aplicação é dividida em três doses: uma aplicação inicial, a segunda após um mês e a última, depois de cinco meses da segunda.

Quem pode tomar a vacina contra HPV?

Não existe nenhuma contraindicação ou efeito colateral, por isso, mulheres entre 9 e 26 anos podem tomar a vacina. Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), aprovou a aplicação da vacina contra HPV para homens na mesma faixa etária.

Desde 2006, a aplicação da vacina era restrita às mulheres. O tratamento do HPV em homens baseava-se apenas no uso de medicação prescrita por médicos. Como existem vários tipos de HPV, mulheres e homens que já tiveram contato com o vírus podem receber a dose para se proteger de novas infecções.

Apesar dos resultados positivos na imunização do vírus, a vacina ainda não está disponível na rede pública, somente em clínica particulares ao custo de cerca de R$ 300 por dose.

Para você