Dicas de Mulher Dicas de Saúde

Tudo sobre mamografia

Saiba como funciona o exame capaz de diagnosticar o câncer de mama precocemente

em 02/04/2014

Foto: Thinkstock

Conciliar a rotina atarefada feminina com a necessidade de cuidar da saúde é um grande desafio para a mulher. Namorado ou marido, filhos, afazeres profissionais e domésticos sempre são colocados como prioridades, deixando o check-up esquecido ou adiado.

A consequência desta postura de muitas mulheres pode ser grave, já que doenças perigosas, como o câncer de mama, podem ser diagnosticadas através de exames preventivos simples, como a mamografia.

A mamografia é a radiografia das mamas, um exame que utiliza radiação para revelar possíveis alterações, como nódulos e tumores. Muitas mulheres acreditam que fazer o autoexame das mamas através do tato é suficiente, mas segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o autoexame não substitui a mamografia, pois este método permite que alterações sejam detectadas antes mesmo de serem percebidas pela palpação.

Quando fazer a mamografia

Há informações divergentes entre o Ministério da Saúde e os ginecologistas. Segundo o Ministério da Saúde a mamografia dve ser feita de dois em dois anos a dos 50 aos 69 anos.

Já os ginecologistas, recomendam a realização da mamografia anualmente a partir dos 40 anos, podendo iniciar mais precoce para as mulheres com histórico familiar de câncer de mama: aos 35 anos ou cerca de 10 anos antes do parente de primeiro grau, mãe ou irmã, que teve câncer de mama antes da menopausa.

Mulheres muito jovens que necessitarem investigar nódulos devem fazer junto com a mamografia um exame de ultrassom, pois a o mamógrafo muitas vezes não consegue detectar lesões em mamas muito jovens e muito densas. Nestes casos a glândula mamária fica opaca, não ficando clara a imagem do exame. Outra opção é fazer uma mamografia digital, que permite a manipulação da imagem durante o exame pra torná-la mais evidente.

A mamografia comum é eficaz sozinha a partir dos 35 anos, pois nesta fase parte do tecido mamário se transforma em gordura é possível analisar melhor o tecido gorduroso.

Outras indicações de realização deste exame são: antes de iniciar terapia de reposição hormonal, durante a reposição e antes de cirurgias plásticas.

Como se preparar para uma mamografia

  • Procure realizar o exame uma semana após a menstruação, para evitar dores devido às alterações hormonais;
  • Use uma roupa de duas peças, para facilitar o manuseio;
  • Não use desodorante, talco, perfume, cremes nas mamas ou axilas no dia do exame, pois essas substâncias podem deixar resíduos que interferem nos resultados;
  • Informe o técnico se já fez cirurgias ou biópsias, se usa silicone, se está amamentando ou se suspeita que esteja grávida.

Como é realizado procedimento

Durante a mamografia, um técnico especialmente qualificado posicionará as mamas em uma plataforma especial e esta será comprimida, gradualmente, por uma placa transparente e haverá exposição a raios X.

Para que se obtenha um exame completo é necessário mudanças de posição entre as imagens. O exame só será concluído após a verificação da qualidade das imagens pelo técnico que está executando o procedimento. O processo dura, em média, 15 minutos.

Mamografia e próteses de silicone

Mulheres que tenham colocado uma prótese de silicone nas mamas podem realizar a mamografia normalmente. Contudo, ela deve avisar ao técnico que possui silicone nas mamas, para que ele modifique alguns parâmetros no aparelho. Algumas manobras de posicionamento, para separar o tecido mamário da prótese, podem ser feitas para alcançar o melhor diagnóstico.

Estudos comprovam que o uso do silicone pode diminuir a capacidade de diagnóstico precoce do câncer de mama em até 30%, por isso se o médico achar que a imagem gerada é duvidosa, poderá requisitar uma mamografia digital, um exame de ultrassom mamário ou uma ressonância magnética para esclarecer as dúvidas.

Mamografia convencional x digital

De acordo com o Dr. Yoon Seung Chang do Departamento de Imagem (Grupo de Mama) do Hospital Israelita Albert Einstein na mamografia convencional a imagem é produzida diretamente no filme (como as câmeras fotográficas antigas), enquanto na digital a imagem é gerada de forma eletrônica, o que possibilita que ela seja manipulada no computador e que seja arquivada digitalmente. O especialista alerta, ainda, que alguns estudos recentes concluíram que a taxa de detecção da mamografia digital é superior à convencional, principalmente em mulheres com mamas densas.

É importante proteger a saúde das mamas, não abrindo mão de realizar este exame quando o ginecologista indicar em sua consulta anual, pois sem o diagnóstico precoce não há como cuidar-se e se livrar do câncer de mama, doença que mais mata mulheres no Brasil.

Comentários
Dicas relacionadas