Tratamentos de infertilidade

Conheça as diferentes técnicas que dão esperança à casais que sofrem com a dificuldade de gravidez espontânea

Escrito por Andressa Dias

Atualmente a medicina já oferece várias alternativas para casais com problema de infertilidade. A infertilidade costuma ser considerada após 1 ano de tentativas de gravidez espontânea sem sucesso em mulheres com até 35 anos.

Os tratamentos de infertilidade são feitos a partir da verificação das causas de infertilidade que podem ser observadas por meio da pesquisa básica de fertilidade. Essa investigação deve ser feita pelo especialista em reprodução humana e pode ter a colaboração de um ginecologista e urologista.

Em alguns casos, o simples tratamento de algumas complicações na saúde do casal já resolve o problema. Porém, alguns casais precisam fazer outros tratamentos em clínicas de reprodução humana, como as técnicas de concepção assistida. Veja quais tratamentos podem ajudar casais com dificuldades para engravidar:

Indução da ovulação

Se a investigação indicou problemas na ovulação ou síndrome dos ovários policísticos, é necessário que seja feita a indução da ovulação. Nesse tratamento, a administração de medicamentos estimula a produção de óvulos pelo ovário no período certo. Esse tratamento faz parte das técnicas de fertilização in vitro, ICSI e inseminação intrauterina e deve ser controlado para que não haja gestação múltipla.

Fertilização in vitro

Essa técnica de concepção assistida, também conhecida como FIV e antigamente conhecida como “bebê de proveta”, consiste na remoção de óvulos do ovário e obtenção de espermatozoides por meio de masturbação para fecundação in vitro. Após a formação dos embriões, faz-se a transferência de no máximo três para a cavidade uterina.

ICSI

A ICSI é uma variação da FIV e hoje é ainda mais utilizada que a fertilização in vitro, pois seus resultados são melhores. Essa técnica consiste na injeção de um espermatozoide dentro de um óvulo por meio da micromanipulação. A transferência dos embriões para o útero ocorre da mesma maneira que na FIV.

As principais vantagens da ICSI são as grandes chances de sucesso, que podem chegar a 60% em mulheres até 35 anos e que ela é uma alternativa para homens que teriam poucas chances de engravidar uma mulher. Afinal, neste tratamento, o espermatozoide é injetado no óvulo, o que praticamente garante a fecundação. Enquanto na FIV, o espermatozoide fecunda o óvulo por meio natural.

Inseminação intrauterina

Neste tratamento de reprodução assistida, faz-se uma inserção de espermatozoides vivos dentro do útero após observar-se a ovulação. Essa inserção deve ser feita no máximo dentro de 36 horas após a ovulação, que pode ser natural ou por meio de indução da ovulação.

Essa técnica é recomendada para casos de distúrbios de ovulação, obstrução das trompas ou tubas uterinas (endometriose) ou nos casos de infertilidade de causa desconhecida.

As chances de sucesso em um tratamento de infertilidade

As chances de gravidez com tratamentos de infertilidade aumentam muito e em alguns casos são maiores que as chances de gravidez espontânea em casais com fertilidade normal. Confira os índices por tratamento:

  • Fertilização in vitro: aumento de 20% de chances a cada tentativa.
  • ICSI: aumento de 56% a cada tentativa.
  • Inseminação intrauterina com indução de ovulação: 20% de chances com aumento de 80% a cada tentativa.

Vale lembrar que as possibilidades de gravidez diminuem com o passar do tempo em mulheres com mais de 35 anos. Além disso, é importante que o casal se mantenha tranquilo e que não haja pressão, pois o estresse pode ser considerado um fator que dificulta a fluência natural dos processos de fertilização e a cobrança de ter um filho pode gerar problemas no relacionamento do casal.

Infográfico – Infertilidade em números

Infográfico: Infertilidade em números

Assuntos: Gravidez

Para você