Tomar anticoncepcional direto é correto?

Tire suas dúvidas sobre o uso da pílula anticoncepcional sem intervalos

Escrito por

Publicidade

A pílula anticoncepcional ajuda a manter a menstruação regulada e previne a gravidez indesejada quando tomada corretamente. A maneira correta de tomar o anticoncepcional é começando a partir do primeiro dia do ciclo menstrual e as pílulas devem ser tomadas todos os dias, de preferência no mesmo horário.

Os anticoncepcionais são vendidos em cartelas que podem ter 21 ou 28 comprimidos. Na de 28 pílulas, a nova cartela é iniciada no dia seguinte ao término da anterior, sem interrupções. A menstruação coincide com os últimos comprimidos.

Já na cartela de 21 pílulas, deve ser dada uma pausa de uma semana para que ocorra a menstruação. O recomeço da nova cartela deve ser feito no 8º dia.

Se a mulher se esquecer de tomar o anticoncepcional, a pílula pode ser tomada em até 12 horas sem nenhum problema.

Se ficar sem tomar por dois dias ou mais, o ideal é interromper o uso, esperar a próxima menstruação para só então começar uma nova cartela. Mas a grande dúvida entre as mulheres é se tomar o anticoncepcional direto é correto.

Segundo especialistas no assunto, você pode emendar quantas cartelas quiser sem que a eficácia do método anticoncepcional seja afetada. Tomar anticoncepcional sem intervalos não faz mal, mas há riscos de sangramentos fora do período menstrual que podem durar dias e atrapalhar o ciclo.

O uso de anticoncepcionais sem intervalos é desnecessário, pois se a intenção é não menstruar, existem métodos contínuos de progesterona e implantes hormonais que duram até três anos e ajudam a suspender a menstruação.

Para dar início ao uso de anticoncepcional e fazer o esclarecimento de dúvidas, é preciso buscar a orientação de um médico, pois para cada mulher há um tipo de pílula ideal.

Este conteúdo foi útil para você?
SimNão

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.