Teste da Linguinha: entenda a importância do exame

Conheça o teste que passará a ser obrigatório em hospitais e maternidades.

Escrito por Suzane Werdt

Foto: Thinkstock

A partir do segundo semestre de 2014, entra em vigor a Lei 13.002 que determina a realização obrigatória do Teste da Linguinha em todos os hospitais e maternidades em crianças nascidas em suas dependências. A lei exige que instituições de saúde públicas e particulares estejam preparadas para oferecer o exame até daqui a seis meses.

A obrigatoriedade do teste é tema controverso entre especialistas. Alguns médicos consideram a lei exagerada e o teste ineficiente. O Dr. Manoel Antonio da Silva Ribeiro, membro do Comitê de Neonatologia da Sociedade de Pediatria do RS, aponta que o exame é um teste sem valor científico comprovado e que não tem sido recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria e nem por outras entidades pediátricas internacionais.

“A suposição de que ele detectaria problemas de ‘língua presa’ é totalmente controversa, uma vez que não é um teste validado para tal diagnóstico”, completa.

Ele ainda afirma que os pediatras comumente realizam o exame do freio lingual e da mobilidade da língua desde o nascimento, durante a avaliação das mamadas ao longo da internação no pós-parto e nas consultas subsequentes de puericultura.

Já a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia defende a importância da realização do teste o mais cedo possível para que sejam detectados problemas que podem acarretar em deficiências na fala e outras funções da língua. Um diagnóstico tardio poderia atrapalhar ou até impedir futuras tentativas de correção.

Apesar de polêmica, a lei está aprovada e o exame será obrigatório em breve. Entenda a seguir como ele é feito.

Foto: Thinkstock

Para que serve?

O Teste da Linguinha tem como objetivo detectar características na língua e no frênulo lingual que podem dificultar a amamentação e levar a problemas na fala, na mastigação e na sucção. Os principais problemas encontrados são a chamada “língua presa” e dificuldades na amamentação.

De acordo com o diagnóstico, pode ser prevista a necessidade de uma cirurgia no frênulo (membrana que liga a língua à parte inferior da boca), para evitar futuras complicações.

Quando deve ser realizado?

O teste pode ser realizado no momento do nascimento ou ainda na maternidade, e deve ser feito até o sexto mês de vida do bebê. O exame será obrigatório a partir da data em que a lei entra em vigor e será oferecido em todas as maternidades e hospitais.

Como é o exame?

O teste promete ser rápido e indolor. O médico irá levantar a língua do bebê e examinar o freio lingual, além de algumas características da língua. Também se observa os movimentos da língua durante o choro.

Será verificada a forma da sucção, a respiração e os batimentos cardíacos durante a mamada. Problemas na forma como o bebê suga o leite pode fazê-lo se cansar mais rápido, desistindo de mamar sem estar satisfeito.

Como é realizada a cirurgia de correção?

Se alguma deformação for constatada, a criança pode ter que passar por uma pequena cirurgia de correção do frênulo, a frenectomia ou “pique”. O procedimento é simples e trata-se de um pequeno corte no local.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, a cirurgia de correção deve ser feita bem cedo para que aconteça de forma correta. O procedimento tardio poderia não resolver problemas na fala e não ser eficiente para problemas de amamentação, por exemplo.

Qual especialista deve realizar o exame?

O exame deve ser feito por um fonoaudiólogo até o sexto mês de vida do bebê. Pediatras e outros profissionais de saúde treinados também estarão aptos a realiza-lo, já que o teste é bastante simples.

Assuntos: Bebês

Dicas pela Web
Comentários