Ter fé é importante para você?

A fé, o otimismo e a esperança são fundamentais para enfrentar os problemas do cotidiano

Escrito por Carolina Werneck

Foto: Thinkstock

Acreditar em algo superior à matéria humana é o que nos diferencia dos demais animais, seja uma energia, um Deus, um espírito ou um ser etéreo. Independente de qualquer rótulo religioso, a fé em um futuro melhor é fundamental para que as pessoas não se sintam tão oprimidas pela rotina e pelas dificuldades enfrentadas no dia a dia.

O sucesso de livros como “O Segredo”, que discorre sobre a importância do pensamento positivo para quem deseja atrair coisas boas para a própria vida, corrobora a ideia de que encarar a vida e os problemas do cotidiano com otimismo faz a maior diferença para lidar com situações graves e problemas mais graves. Essa consequência não está relacionada à religião escolhida por determinada pessoa, mas à maneira como essa pessoa se posiciona frente aos desafios, sejam eles de ordem emocional, física ou espiritual.

O efeito placebo

Algumas pesquisas já comprovaram os efeitos benéficos da fé sobre a saúde humana. É por meio da fé, por exemplo, que atuam os medicamentos conhecidos como “placebos”: é preciso que o paciente acredite que está sendo curado para que a cura se dê, de fato. Nesse caso, a fé no tratamento ministrado é, por vezes, tão forte, que basta isso para o sucesso do “medicamento”, dispensando o uso de drogas que realmente atuem no combate do problema.

Um estudo conduzido pelo biólogo Peter Trimmer, da Universidade de Bristol, na Grã-Bretanha, indica que o sucesso do placebo depende muito do contexto em que estamos inseridos durante o tratamento. “Hoje, quando os médicos oferecem um remédio, não estão preocupados só em curar a doença, mas com o ambiente em que a pessoa está inserida”, explica o pesquisador.

Dessa forma, a crença pessoal de que o tratamento será eficaz é fundamental para que ele, de fato, seja. E, naturalmente, esse princípio não se aplica apenas aos tratamentos de saúde.

Segundo uma outra pesquisa, dessa vez conduzida pela Escola de Saúde da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, fatores como a obesidade, o tabagismo e o sedentarismo são tão responsáveis por problemas cardíacos e derrames quanto são o otimismo, a felicidade e a satisfação.

Acreditar faz a diferença

As prateleiras das grandes livrarias estão repletas de livros de autoajuda, assinados por autores renomados ou nem tanto, que se dizem capazes de melhorar a vida daqueles que se dispõem a correr os olhos por eles. Mas a força do pensamento voltado para o bem precisa ser descoberta dentro de cada um. Quando uma dificuldade qualquer aparece, manter-se calma e colocar seu foco na solução, e não no problema, pode ser a diferença entre o sofrimento e o aprendizado.

É claro que há algumas situações tão complicadas que fica difícil não desabar, mas é preciso ter em mente que nenhum problema, por maior que seja, é eterno. Esse pensamento, aliado à força de vontade para superar o sofrimento, é o que dá a força necessária para seguir adiante, mesmo que o futuro pareça incerto.

A fé, o otimismo e a esperança não dependem da igreja que você frequenta, dependem exclusivamente de você – e podem te ajudar em muito mais do que apenas em conseguir o perdão para os seus “pecados”.

Assuntos: Bem-Estar

Dicas pela Web