13 truques para aliviar as crises de sinusite

Lavar as narinas com solução fisiológica 0,9%, em abundância, todos os dias, é uma orientação muito importante

Escrito por Tais Romanelli
Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Obstrução e secreção nasal, uma sensação de que a face ou a cabeça está “mais pesada do que o normal”. Esses podem ser alguns dos sintomas relatados por quem sofre de sinusite, ou, mais corretamente: rinossinusite, que é, resumidamente, uma inflamação que envolve os seios da face.

Estes últimos são cavidades ósseas localizadas ao redor do nariz, das maçãs do rosto e dos olhos. Para entender melhor, é preciso saber que existe um fluxo contínuo de secreção nesta região, o que ajuda a eliminar organismos estranhos para o corpo. Porém, quando esse processo é interrompido (por diferentes motivos), vírus, bactérias ou fungos conseguem se concentrar e se multiplicar no local, resultando na sinusite e causando sintomas bastante desagradáveis.

Flávia Silveira Amato, otorrinolaringologista da Amato Instituto de Medicina Avançada, comenta que a rinossinusite pode ser classificada pelo tempo de duração: “como aguda, quando tem duração inferior a 12 semanas e resolução completa dos sintomas, e como crônica, quando tem mais de 12 semanas e não tem resolução completa dos sintomas”.

No inverno, os casos de sinusite costumam aumentar muito, especialmente em função do aumento das gripes e resfriados. Além disso, o ar mais seco e a possível aglomeração de pessoas em ambientes menos arejados também são fatores agravantes.

Quem sofre com o problema sabe o quanto ele é incômodo. Mas algumas dicas podem ajudar a pessoa a lidar melhor com a sinusite, sem que ela prejudique sua qualidade de vida.

Leia também: 15 medicamentos que você usa sem prescrição mas podem ser perigosos

Truques para aliviar as crises de sinusite em casa

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Abaixo você confere algumas ideias de “tratamentos naturais” que podem ser aplicados no dia a dia, ajudando a aliviar as crises de sinusite. Vale destacar que as dicas a seguir não substituem o tratamento médico orientado por um profissional de sua confiança.

1. Vinagre de maçã. Misture vinagre de maçã com água quente e mel e beba uma xícara (de chá) diariamente.

2. Menta. Misture água e menta e ferva esta solução. Respire o vapor, o que provavelmente ajudará a descongestionar a mucosa nasal.

3. Extrato de semente de uva. Esse extrato é conhecido por ser um potente antibiótico natural. Pode ser comprado em forma de spray nasal ou ainda, feito em casa (basta espremer as sementes com um espremedor caseiro e depois gotejar com um conta-gotas o líquido dentro do nariz).

4. Água e gengibre. Ferva um pouco de água com uma raiz de gengibre. Depois molhe uma toalha com o líquido, e cubra o rosto com ela. (Certifique-se antes de que ela não está mais muito quente).

Leia também: 5 maneiras de desentupir o nariz

5. Espinafre e hortelã. Faça um suco contendo espinafre e hortelã (pode conter ainda água de coco e mel), pois estes são alimentos conhecidos pelas propriedades anti-inflamatórias e descongestionantes.

6. Cenoura. Beba sucos que contenham cenoura.

7. Eucalipto. Tome o chá feito com folhas de eucalipto, que possui propriedades antissépticas e ajuda a evitar a inflamação das cavidades nasais.

8. Solução com sal. Misture uma colher (chá) de sal para 1 litro de água. Inale a solução salina ou pingue em seu nariz, isso ajudará a dissolver as secreções nasais.

9. Faça lavagem nasal. Flávia explica que, primeiramente, é necessário ver o tipo de rinossinusite e a provável causa. “Mas, no geral, o hábito de lavar as narinas com solução fisiológica 0,9%, em abundância, todos os dias, previne a estase de secreção e, consequentemente, previne também as crises de rinossinusite”, diz.

Leia também: Ar seco pede cuidados redobrados com a saúde

10. Aumente a ingestão diária de água. Esta medida hidratará seu corpo, ajudando a reduzir os bloqueios dos seios paranasais. Para ser ter uma ideia da quantidade mínima de água que deve ser ingerida, multiplique seu peso por 30. (Por exemplo, se tem 70 quilos, multiplicados por 30, têm-se 2100, que é a quantidade aproximada de ml de água que você deve consumir ao longo do dia).

11. Fique longe do cigarro. Ele é altamente irritante para o nariz. Sua fumaça dificulta a limpeza e favorece a concentração de secreções. O fumo passivo (ficar perto de pessoas que fumam) também é prejudicial, fique atenta!

12. Evite ao máximo o acúmulo de poeira em sua casa e/ou nos locais em que você fica com mais frequência.

13. Tome cuidado com o ar condicionado. Isso porque, além de retirar a umidade do ar e deixar o ambiente frio, ele pode favorecer a concentração de poluentes (se não for submetido à limpeza regular).

Causas da sinusite

Flávia explica que as rinossinusites agudas são as mais comuns e suas causas principais são: infecções virais (resfriados) e infecções bacterianas.

As rinossinusites crônicas, de acordo com a otorrinolaringologista, são mais raras, e são definidas como um processo inflamatório infeccioso bacteriano crônico persistente.

Há também rinossinusites fúngicas, em que os fungos são os agentes causadores, conforme destaca a médica.

“Como a sinusite é uma doença multifatorial, os prováveis fatores contribuintes podem ser infecções, alergias e variações anatômicas da cavidade nasal e dos seios paranasais”, acrescenta Flávia.

A gripe, por exemplo, é um problema que, por baixar a imunidade, abre caminho para bactérias. Um ambiente com ar-condicionado ou um clima muito seco também ajudam a disseminar fungos. Choque térmico, determinados cheiros, tabagismo e excesso de pó também são alguns agravantes.

Tipos de sinusite

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

A sinusite é dividida em diferentes tipos, dependendo dos seios nasais afetados, da duração dos sintomas e da causa.

Levando em conta a região dos seios em que se manifesta, pode se classificar em:

  • Maxilar (maçãs do rosto)
  • Etmoidal (entre o globo ocular e o nariz)
  • Frontal (testa)
  • Esfenoidal (provoca dor na lateral ou no vértice da cabeça ou, às vezes, na altura do dente canino).

Já quando se fala em duração dos sintomas, de acordo com Flávia, a sinusite pode ser:

  • Aguda: quando tem duração inferior a 12 semanas e resolução completa dos sintomas.
  • Crônica: quando tem mais de 12 semanas e sem resolução completa dos sintomas.

Quando se avalia a sinusite pelas causas, pode ser classificada como:

  • Sinusite viral, se for provocada por vírus.
  • Sinusite bacteriana, se causada por bactérias.
  • Sinusite alérgica, se for causada por uma alergia.
  • Sinusite fúngica, se for causada por fungos.

Sintomas e diagnóstico da sinusite

Flávia destaca como principais sinais da sinusite:

  • Obstrução e secreção nasal;
  • Gotejamento de secreção pós-nasal (atrás do nariz, engolindo a secreção);
  • Dor ou pressão na face;
  • Dor de cabeça;
  • Perda de olfato.

Vale destacar que a sinusite crônica e a sinusite aguda têm sintomas bem semelhantes, mas esta segunda é uma infecção temporária dos seios (associada muitas vezes a um resfriado, por exemplo). Já a crônica, possui duração prolongada (maior que 12 semanas) e a obstrução nasal ou secreção nasal podem estar associadas a mais alguns sintomas, como: dores no maxilar superior e dentes, tosse, garganta inflamada, fadiga, irritabilidade.

Cada caso é único e deve ser avaliado por um especialista para que o melhor tratamento seja indicado após descoberta a causa do problema.

“O diagnóstico é clínico, através da história e exame físico. Exames de imagem somente são necessários quando há suspeita de complicações”, destaca Flávia.

Como prevenir a sinusite?

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Confira as principais dicas que podem ajudar você a evitar a sinusite:

  1. A lavagem nasal, de acordo com a otorrinolaringologista, contribui bastante na prevenção. As narinas devem ser lavadas com solução fisiológica 0,9%, em abundância, diariamente.
  2. “Também devemos considerar o controle dos possíveis fatores causais, como tratamento da rinite alérgica e correção de possíveis alterações anatômicas nasais”, destaca Flávia.
  3. Procurar um médico para acompanhar gripes e resfriados também é uma medida interessante.
  4. Seguir uma dieta equilibrada (com todos os grupos alimentares) é fundamental para fortalecer a imunidade.
  5. Manter-se bem hidratada (tomando cerca de 2 litros de água por dia) ajuda a prevenir a ocorrência de infecções.
  6. Não passar muitas horas sem se alimentar é um hábito importante, pois, caso contrário, o organismo prioriza a manutenção das funções vitais e, com isso, o combate à infecção torna-se secundário.
  7. Lavar bem as mãos, especialmente antes de manusear alimentos ou levá-las à boca, já que elas estão sempre propensas a entrar em contato com o vírus da gripe e outros agentes alergênicos.
  8. Tomar cuidado com o excesso de pelos de animais, poeira domiciliar, insetos etc.
  9. Evitar cheiros fortes como, por exemplo, velas, sprays aromatizadores.
  10. Proteger-se do frio utilizando, por exemplo, cachecol, lenços, além de agasalhos.
  11. Não fumar e evitar ficar perto de pessoas que estejam fumando.
  12. Praticar exercícios físicos, pois estes promovem a melhora do sistema cardiorrespiratório, além de fazerem bem para o organismo em geral.

O mais importante, no caso de quem já teve sinusite, é seguir à risca as orientações passadas pelo profissional que o acompanha.

Tratamentos e cirurgia

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Flávia explica que, para a rinossinusite aguda viral, o tratamento é sintomático e local, com a lavagem nasal. “Já na bacteriana, necessitamos usar antibióticos”.

“Para a rinossinusite crônica, na maioria das vezes, se faz necessário o tratamento cirúrgico e medicamentoso tópico e oral (lavagem nasal, antibióticos orais)”, acrescenta a otorrinolaringologista.

Abaixo você confere as principais considerações e exemplos de tratamentos que podem ser recomendados para ajudar a aliviar os sintomas da sinusite:

  • Lavagem nasal é importante tanto na prevenção como no tratamento da sinusite.
  • Corticoides nasais podem ser indicados.
  • Corticosteroides orais ou injetáveis podem ser indicados pelo médico para aliviar inflamações de sinusite grave. Quando usado por longos períodos podem causar sérios efeitos colaterais, por isso são recomendados somente para tratar sintomas graves.
  • Descongestionantes podem ser encontrados em forma de comprimidos, líquidos ou sprays nasais. Também só devem ser utilizados com indicação médica.
  • Os antibióticos costumam ser indicados no caso da sinusite bacteriana.
  • Cirurgia: “indicamos a cirurgia quando há alterações na anatomia do nariz que predispõem a rinossinusite, geralmente nos casos crônicos e nos agudos de repetição. A cirurgia também é indicada nos casos em que há complicação da rinossinusite (por exemplo, quando a infecção atinge o olho)”, explica a otorrinolaringologista Flávia.

Vale destacar que o melhor tipo de tratamento deverá ser indicado por um médico de sua confiança, afinal, a automedicação é muito perigosa e pode agravar o caso em vez de melhorar os sintomas.

Dicas pela Web