9 coisas que você precisa saber sobre a síndrome do túnel do carpo

Se você sofre com dormência e dores nas mãos e nos punhos, saiba como é possível tratar esse problema

Escrito por Raquel Praconi Pinzon

Foto: iStock

Imagine que há centenas de agulhas muito finas espetadas em seus dedos, punhos e braços: essa é uma das formas como os pacientes descrevem a síndrome do túnel do carpo, que também pode causar formigamento, dormência, dor e queimação nessas partes do corpo.

Felizmente, existem tratamentos bastante eficientes para essa condição, tanto para amenizar os sintomas quanto para eliminar a causa do problema em si. Se você foi diagnosticada com essa síndrome ou está apresentando alguns sintomas, aqui estão 9 coisas que vão te ajudar a entender melhor o que está acontecendo:

1. Todo o problema se resume a apenas um nervo

Foto: iStock

Mesmo que a síndrome do túnel do carpo possa atingir vários dedos, a raiz do problema é a compressão de apenas um nervo, conhecido como mediano. Esse nervo vem desde o antebraço e passa por dentro de um canal estreito localizado no punho – chamado justamente de “túnel do carpo”.

Essa compressão ocorre pelo espessamento do túnel ou pelo crescimento anormal (inchaço) das estruturas que se localizam na região. Em consequência, há uma redução do fluxo de sangue para o nervo, dando origem aos sintomas.

2. O uso do computador não é a principal causa da síndrome

Foto: iStock

Embora o uso constante do computador possa causar algumas lesões, a síndrome do túnel do carpo não costuma ser uma delas. Esses movimentos repetitivos até podem favorecer o surgimento do problema, mas apenas se você já tiver uma predisposição.

Leia também: Tendinite é a inflamação do tendão e gera dor em diferentes partes do corpo

Na verdade, o espessamento do túnel do carpo não tem uma única causa específica e pode inclusive ter origem genética. Ainda, a síndrome pode ser resultado de uma inflamação, da retenção de líquidos e até mesmo de um ganho significativo de peso, além de condições como a gestação, a menopausa, a diabetes e a artrite reumatoide.

3. Sem tratamento, pode haver uma lesão permanente do nervo

Foto: iStock

Os sintomas da síndrome do túnel do carpo aparecem e somem, podendo incomodar o paciente em diferentes graus cada vez que eles surgem. Quando o problema é causado por algo pontual, como um ganho de peso ou a gestação, ele vai desaparecer por completo quando o paciente emagrecer ou der à luz.

Porém, em outros casos, a síndrome costuma piorar com o tempo e danificar o nervo mediano de forma permanente se o paciente não receber o tratamento adequado. Dessa forma, caso você esteja apresentando esses sintomas, é essencial buscar atendimento médico e identificar corretamente as causas que estão por trás do problema.

4. Anti-inflamatórios comuns oferecem alívio momentâneo

Foto: iStock

Os anti-inflamatórios não esteroides (como ácido acetilsalicílico, ibuprofeno e piroxicam, entre outros) ajudam a reduzir o inchaço do túnel do carpo, o que vai diminuir a compressão do nervo e aliviar os sintomas momentaneamente. Porém, esses medicamentos não devem ser utilizados como uma solução de longo prazo, pois eles não tratam a raiz do problema.

Assim, é sempre recomendável consultar um médico para conhecer as melhores opções de tratamento para o seu caso e curar a síndrome de uma vez por todas. Não custa lembrar que a automedicação pode trazer uma série de efeitos colaterais indesejados.

Leia também: Chega de sofrer! Aprenda como amenizar as dores durante o trabalho

5. Compressas frias podem ajudar a reduzir os sintomas

Foto: iStock

Fazer uma compressa fria pode diminuir a inflamação ao redor do nervo mediano e aliviar as dores e outros sintomas relacionados à síndrome do túnel do carpo. Para isso, você pode aplicar uma bolsa de água gelada na região por 10 a 15 minutos, descansar por 30 a 40 minutos e repetir a compressa.

6. Pode ser necessário usar uma tala para dormir

Foto: iStock

Passar algumas horas com os punhos dobrados pode machucar o túnel do carpo e fazer você acordar com muita dor. Por isso, pode ser recomendável utilizar uma tala quando você for dormir, garantindo que seus punhos estarão imobilizados. Converse sobre essa possibilidade com o seu médico.

7. Talvez você precise injetar um medicamento direto no punho

Foto: iStock

Quando as outras opções de medicamentos não surtem efeito, o médico pode indicar que seja feita uma injeção de corticosteroides ao redor do túnel do carpo. Para um maior conforto do paciente, essa injeção é feita com uma agulha bem fina.

Para os casos menos graves da síndrome, esse tratamento pode até mesmo promover a cura completa; e mesmo os casos mais avançados podem se beneficiar, pois o efeito dos corticosteroides dura meses.

8. A cirurgia é a última opção de tratamento e ela funciona muito bem

Foto: iStock

Se não for possível aliviar os sintomas ou curar completamente o paciente com os tratamentos menos invasivos, pode ser necessário fazer uma cirurgia para aumentar a abertura do túnel do carpo. Seria algo como afrouxar um orifício de uma cinta que está muito apertada, o que alivia a pressão exercida ao redor do nervo mediano.

Leia também: A importância do alongamento

A cirurgia pode ser feita tanto da forma tradicional, com uma incisão de cerca de 5 cm, quanto por via endoscópica, que requer uma incisão bem menor para a inserção do instrumento. Essa escolha depende da severidade da síndrome e, muitas vezes, da cobertura dos planos de saúde. Ambas são cirurgias que duram cerca de 30 minutos.

9. Existem algumas formas de prevenir essa síndrome

Foto: iStock

Mesmo que o teclado não seja o grande vilão, vale a pena fazer pausas de 5 a 10 minutos depois de passar uma ou duas horas fazendo qualquer trabalho repetitivo manual, inclusive a digitação. Aproveite esse tempo para fazer estes exercícios, sempre com os braços bem esticados para frente:

  • Dobre a mão para cima, como se você estivesse fazendo um sinal de “pare”. Flexione e relaxe o punho diversas vezes;
  • Ainda na posição de “pare”, use a outra mão para empurrar gentilmente seus dedos para trás. Segure por 10 segundos, solte e repita;
  • Feche os dedos, segure e solte-os completamente, repetindo os movimentos.

Além disso, é fundamental que seu ambiente de trabalho seja equipado com cadeira e mesa ergonômicas, suporte para os pés e apoio para os braços. Todo o seu corpo precisa estar bem alinhado para evitar que alguma parte seja sobrecarregada.

Tenha em mente que, se você já apresenta sintomas da síndrome do túnel do carpo, a prevenção não será suficiente. A melhor forma de evitar uma piora do quadro é buscando atendimento profissional.

Leia também: Massagem relaxante para as mãos

Dicas pela Web