5 benefícios da reposição hormonal e como funciona

Escrito por                    
Atualizado em 22.06.22

Envato

Por
Atualizado em 22.06.22

A menopausa é um período de grandes mudanças na vida da mulher. Muitas vezes pode causar sintomas desagradáveis, afetando a qualidade de vida. A reposição hormonal é uma alternativa para aliviar esses sintomas e ajudar a mulher a passar por essa fase. O ginecologista Dr. Fábio Broner (CRM 155215), do Hospital Albert Sabin de SP, comentou sobre os benefícios, riscos e como funciona. Confira!

Publicidade

O que é a reposição hormonal?

Segundo o ginecologista, a reposição hormonal é uma terapia realizada com estrógenos, um grupo de substâncias derivadas da aromatização de andrógenos precursores e progestógenos. Ele explica que “em certo número, advém da progesterona sinteticamente alterada, associações usadas no controle de manifestações vasomotoras (fogachos ou calorões) e urogenitais decorrentes do decréscimo de produção de esteroides”.

Além de repor os níveis dos hormônios femininos e aliviar os sintomas comuns da menopausa, a terapia hormonal “também auxilia no rejuvenescimento da pele, na manutenção da libido, melhora a qualidade de vida e atua como adjuvante no controle da depressão associada à menopausa”, completou.

Quando e para quem é indicado o tratamento

Envato

O Dr. Fábio apontou que, segundo as diretrizes da Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia (2008), a hormonioterapia deve ser indicada para o tratamento de sintomas da menopausa mediante o diagnóstico clínico do climatério. Ele explica que “a indicação da terapia hormonal (TH) deve ser considerada como uma decisão individual, levando-se em consideração os sintomas, os fatores de risco, as preferências e necessidades específicas de cada paciente”.

Segundo o especialista, a TH não é indicada para pacientes que sofrem com cancros hormonodependentes, doenças cardiovasculares, hepáticas e trombopatias em geral. Por isso, “é de grande valia destacar a necessidade de investigação de histórico de tromboembolismo, mastopatia funcional, fatores relacionados à obesidade, períodos pós-cirúrgicos”. Vale lembrar da “exclusão de hábitos, como o tabagismo, miomas e cistos de ovários”.

5 benefícios e 5 riscos da reposição hormonal

A reposição hormonal pode melhorar a qualidade de vida da mulher, mas também há certos riscos. Para isso, o ginecologista citou os principais benefícios, mas também apontou os riscos. Confira:

Benefícios

Envato

  • Alivia os sintomas: O Dr. Fábio informou que a reposição hormonal é indicada para amenizar os sintomas vasomotores, ou seja, sintomas como calores ou fogachos comuns na menopausa. “Segundo pesquisas publicadas pela Cochrane Library, 75% das mulheres envolvidas na pesquisa mostrou redução das ondas de calor”.
  • Melhora o ressecamento vaginal: Outro benefício comprovado da terapia hormonal é que ajuda no “tratamento do ressecamento das mucosas vaginais e dispareunia na menopausa”, citou o ginecologista.
  • Manutenção da líbido: O especialista informou que a reposição hormonal pode melhorar a libido quando é “combinada terapia de estrógeno com fitoterapia e algumas práticas com homeopatia”.
  • Melhora a lubrificação: Conforme apontou o profissional, “a aplicação de estrógenos locais durante o ato sexual melhora a lubrificação vaginal”.
  • Melhora o fluxo sanguíneo: Outro benefício mencionado pelo especialista, é que a reposição hormonal ajuda a elevar o fluxo sanguíneo na região vaginal e melhora a dor na região genital durante a relação sexual.

Riscos

Envato

Publicidade

  • Trombopatias: O ginecologista mencionou que as trombopatias, em geral, são fatores de risco e “por conta disso, é de grande valia destacar a necessidade de investigação de histórico antes de inciar o tratamento”.
  • Câncer: O médico explicou que a reposição hormonal em “pacientes com pré-disposição pode aumentar a incidência de câncer de mama ou do endométrio, além do uso indiscriminado dessas substâncias”.
  • Doenças cardiovasculares: Outro fator de risco destacado pelo profissional é utilizar a terapia hormonal em pacientes acometidos com doenças cardiovasculares, como infarto agudo ou cerebrovasculares AVC (acidente vascular cerebral).
  • Efeitos colaterais: Além dos riscos mencionados, ele destacou que a terapia hormonal pode causar efeitos colaterais desagradáveis, como “sangramento irregular, náusea, cefaleia, retenção de líquido e ganho de peso”.
  • Estilo de vida: O Dr Fábio mencionou que “fatores relacionados à obesidade, períodos pós-cirúrgicos e hábitos como o tabagismo também oferecem riscos”.

Por isso, antes de iniciar qualquer tipo de terapia hormonal é sempre importante conversar com o seu médico. Dessa forma, ele avaliará o seu histórico e indicará o melhor tratamento.

Como funciona o tratamento para reposição hormonal

O ginecologista disse que existem dois tipos principais para reposição hormonal, sendo elas: terapia com estrogênio e progesterona ou terapia com estrogênios. O tratamento não pode ser prolongado e deve ser sempre com acompanhamento médico para avaliar possíveis riscos e reações adversas.

Segundo o especialista, “apesar das vantagens, cerca de 70% das mulheres param com a terapia após o primeiro ano. Uma das principais causas da baixa aderência à TRH (terapia de reposição hormonal) é o sangramento irregular, além de outras razões, como mastalgia, náusea, cefaleia, ganho de peso e retenção hídrica e medo de câncer”.

Reposição hormonal natural realmente funciona?

Envato

O ginecologista comentou que “a literatura leiga tem reservado grande espaço para os fitoestrogênios (isoflavonas), ou seja, substâncias obtidas a partir do metabolismo da soja e que comprovadamente têm ação nos receptores estrogênicos”. Mas, “apesar da heterogeneidade dos estudos, alguns apresentam resultados de 10 a 15% superiores ao placebo no alívio dos fogachos”.

O profissional informou não haver resultados conclusivos em relação à sua eficácia na prevenção da osteoporose ou doença cardiovascular. “Portanto, até o momento, não existe consenso científico de que a ingestão de compostos à base de fitoestrogênios possa tratar de forma eficaz os sintomas climatéricos ou prevenir as consequências da menopausa a longo prazo”, completou.

Agora que você já conhece os benefícios, potenciais riscos e como funciona a terapia hormonal, converse com o seu ginecologista e veja se esse tratamento é adequado para você. Aproveite e saiba mais sobre como lidar com os sintomas da menopausa e tenha mais qualidade de vida nesta fase!

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.