Fique atenta: remédios proibidos no exterior ainda são vendidos no Brasil

Três medicamentos de uso comum são proibidos no exterior por oferecerem riscos à saúde

Escrito por Mariana Bueno

Foto: iStock

As normas que definem se um remédio pode ou não ser comercializado variam em cada país, de acordo com o órgão responsável, que é quem avalia e aprova ou não determinados medicamentos. Por isso há uma variação nos diferentes lugares.

Assim, alguns remédios que no Brasil são facilmente encontrados em qualquer farmácia e costumam ser usados por muita gente, em outros países são proibidos devido a riscos que podem oferecer à saúde.

O médico Lucas Fustinoni, do canal do YouTube Éclaire, listou alguns e explicou as razões pelas quais eles não são vendidos fora do país.

Dipirona

Analgésico e antitérmico muito usado em casos de dores, gripes e febre, é proibido nos Estados Unidos e também em alguns países da Europa. De acordo com órgão americano responsável pelo controle de remédios, o consumo desse tipo de medicamento oferece risco de choque anafilático e pode levar ao surgimento de anemia plástica, que é como se fosse um câncer que se desenvolve na medula, inclusive de crianças.

Um remédio bastante comum e que inclusive é receitado por muitos médicos pode não estar fazendo tão bem assim à sua saúde. A indicação é sempre se consultar com um médico de sua confiança e sempre verificar se realmente há a necessidade de tomar este medicamento

Leia também: 15 medicamentos que você usa sem prescrição mas podem ser perigosos

Diane 35

O anticoncepcional, que é bem conhecido e está entre os mais tomados por mulheres no Brasil, é um item proibido na França. Sua fórmula, além de levar à contracepção, também contém substâncias que combatem a acne, reduzem a oleosidade da pele e controlam a oleosidade do cabelo. Porém, apesar de todos esses benefícios, ele pode engrossar o sangue e causar doenças sérias como a trombose.

Mais uma vez, pesquise muito antes de começar a tomar qualquer tipo de pílula anticoncepcional. Uma alternativa interessante é conversar com mulheres que já fazem o uso do medicamento em questão.

Sibutramina

Um dos remédios mais famosos para quem quer emagrecer, a sibutramina é ingerida para que a pessoa perca o apetite e, claro, isso não faz bem à saúde. Já foram provados diversos efeitos colaterais, o que fez com que fosse proibido nos Estados Unidos e em vários países.

No Brasil, embora todos esses medicamentos ainda sejam vendidos e liberados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), é necessário ter prescrição médica antes de começar a consumir, pois só um profissional saberá indicar a dose certa para cada caso sem que haja riscos à saúde. De qualquer forma, se o seu médico prescrever algum desses medicamentos, é recomendado que você procure uma segunda opinião de outro profissional para consumir medicamentos seguros.

Leia também: Sibutramina: o que é e os cuidados com o uso do emagrecedor

Para você