Progesterona: o que é e como ela está relacionada à gravidez

Este é um hormônio envolvido no ciclo menstrual da mulher e que tem papel fundamental na gravidez

Escrito por Tais Romanelli

Foto: Thinkstock

Talvez, progesterona não soe como um “nome comum” para você. Mas saiba que este é um hormônio muito importante na vida da mulher, envolvido no seu ciclo menstrual e na gravidez.

Marcello Valle, médico especialista em Reprodução Humana e diretor da Clínica Origen, explica que a progesterona é produzida nos ovários pelo corpo lúteo, após a ovulação, pelas glândulas suprarrenais e pela placenta durante a gestação. “A molécula de progesterona é derivada do colesterol. Ela participa da preparação do endométrio para a nidação (implantação do óvulo fecundado na parede do útero) do embrião e sustenta esse endométrio até o final da gravidez”, diz.

“A progesterona também exerce seu efeito no muco presente no colo do útero e no sistema nervoso”, acrescenta o médico.

Por tudo isso, a progesterona é considerada o hormônio mantenedor da gravidez e, consequentemente, níveis anormais dela podem reduzir significativamente as chances de uma mulher engravidar.

Progesterona X estrogênio

Para entender o importante papel da progesterona é preciso conhecer, também, a atuação do hormônio chamado estrogênio.

Marcello Valle destaca que ambos são chamados de hormônios sexuais. “No ciclo menstrual, o estrogênio participa mais ativamente nos primeiros 15 dias – ou seja, na fase pré ovulatória – espessando o endométrio. Após a ovulação, o corpo lúteo começa a produzir progesterona que irá amadurecer esse endométrio, favorecendo a nidação”, explica.

Caso não ocorra fecundação, o endométrio (camada interna do útero) desabará e os vasos que a irrigam sangrarão por alguns dias (menstruação) e, então, o hipotálamo (área cerebral) dará ordem para iniciar o ciclo menstrual seguinte.

Vale destacar que estrogênios e progesterona não são os únicos hormônios sexuais capazes de influenciar o comportamento feminino, mas são os mais importantes. De forma geral, pode-se dizer que a ação dos estrogênios – liberados na primeira metade do ciclo – é preparar para o sexo; já a ação da progesterona, na segunda metade, é garantir a integridade da gravidez.

Predominância da progesterona X alterações no comportamento da mulher

Foto: Thinkstock

Marcello Valle destaca que alguns estudos relacionam a progesterona com sintomas depressivos e alterações do humor.

Nas duas semanas que antecedem a menstruação, ainda devido à predominância da progesterona, a pele da mulher se torna menos brilhante, ocorre retenção de líquido, dor nas mamas, diminuição da lubrificação vaginal, dificuldade de atingir o orgasmo, aumento do apetite e da temperatura corporal, entre outras alterações.

O que significa progesterona baixa?

Se os níveis de progesterona estiverem baixos, o revestimento do útero não pode ser bem preparado para que a nidação ocorra. E, ainda que ocorra, a baixa progesterona pode contribuir para um aborto, perda ovular, ou microaborto, além de poder causar outros problemas à saúde da mulher.

Marcello Valle explica que as causas da má produção de progesterona não são bem esclarecidas, “mas pode haver relação com má nutrição e estresse, além das doenças ovarianas anovulatórias, ou seja, quando a mulher não ovula adequadamente”.

O especialista em Reprodução Humana destaca que alguns dos sintomas da baixa progesterona são:

  • Mudanças no apetite;
  • Alterações no humor;
  • Ansiedade;
  • Irregularidade menstrual;
  • Perda de libido;
  • Insônia.

Ainda de acordo com Valle, o diagnóstico pode ser feito pela história clínica da paciente e pela dosagem sanguínea da progesterona.

Tratamentos para distúrbios da progesterona

Foto: Thinkstock

Marcello Valle explica que o tratamento depende do objetivo da paciente. “Para aquelas que desejam engravidar ou têm irregularidade menstrual pode ser indicada a reposição do hormônio, através de comprimidos, creme ou géis vaginais”, diz.

Agora você já conhece o importante papel da progesterona na vida de uma mulher, especialmente a partir do momento que ela decide engravidar.

Tudo isso reforça que é muito importante estar sempre em dia com as consultas ao ginecologista, para que, no caso de problemas com a produção de progesterona, por exemplo, ou qualquer outro que possa afetar a gravidez, o profissional possa indicar o melhor tratamento.

Dicas pela Web