Por que as crianças gritam tanto?

Entenda o que desencadeia as crises histéricas de gritos e saiba como evitar essas situações

Escrito por Andressa Dias
Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Ao contrário de que as pessoas naturalmente pensam, em geral, as crianças não gritam porque desejam aborrecer os pais. O que as crianças querem ao falar mais alto ou gritar é chamar atenção. Outro motivo que pode levar as crianças a gritar é o hábito da família. Se todos em casa gritam, por que ela não pode gritar também?

Também é possível que algumas crianças gritem por birra, porque querem algo insistentemente e os pais estão lhe negando. É normal que, quando os pais reagirem da maneira que a criança espera, esse comportamento seja reforçado. Se toda vez que o seu filho grita pedindo algo, você cede para não passar vergonha e dá o que ele quer você está premiando aquela atitude.

Além destes motivos, algumas crianças gritam para experimentar com os efeitos que a voz consegue fazer em determinados locais. Por exemplo, ao gritar em um banheiro de shopping, provavelmente a criança ouvirá um eco e vai querer fazê-lo também porque as crianças são naturalmente curiosas.

Ainda é provável que a criança aprenda o costume de falar alto ou gritar na escola e no convívio com os colegas de classe e os amigos. Se o professor grita com a criança, ela provavelmente vai querer gritar também em algum momento. E o mesmo vale para os colegas, pois às vezes eles também gritam uns com os outros.

Em vista disso, é necessário tomar algumas atitudes para desestimular esse hábito sem precisar gritar com ele, afinal isso tornaria esse costume ainda mais frequente e não resolveria o problema.

Como fazer as crianças gritarem menos?

1 – Não grite com a criança

Como já mencionado, gritar com a criança encoraja ainda mais este tipo de atitude. Se ele estiver gritando em um local público ou em casa, tente chamar a atenção dele para outra coisa. Por exemplo, você pode pergunta-lo algo de interesse dele ou mostrar alguma coisa que possa distrai-lo.

2 – Escolha a hora certa

Sair com o seu filho quando ele estiver irritado ou cansado não é uma boa ideia. Pior ainda se ele estiver com fome ou querendo dormir. Ele fará de tudo para chamar sua atenção e pode começar a gritar para fazer isso. Neste caso, o melhor é evitar essas situações e passear com ele apenas quando o pequeno estiver de bom humor, bem disposto, alimentado e descansado.

3 – Peça a seu filho para abaixar a voz

Em alguns momentos, as crianças se animam tanto brincando ou contado uma história que para eles é interessante, que eles acabam esquecendo alguns modos, como o de não gritar. Por isso é importante lembra-lo de que deve falar mais baixo.

Combine com ele algum gesto ou frase para que ele lembre que é hora de falar baixo, mas evite fazer “shh”, porque isso pode soar autoritário e agressivo. Combinar um gesto ou frase engraçada para os momentos de silêncio pode ser até divertido e deixar você e seu filho mais próximos. Além disso, você pode premiá-lo cada vez que ele se comportar bem falando baixo tanto em casa quanto em locais públicos.

Outro combinado que vocês podem fazer entre a família é permitir falar mais alto em alguns lugares e situações e determinar em quais delas a criança deve falar baixo ou ficar em silêncio. Você pode praticar isso em casa, fingindo que estão vivendo cada situação, para encorajar o cumprimento da regra. Não esquecendo, é claro, de que os pais também devem cumprir a regra.

4 – Mantenha a criança ocupada

Quando os pequeninos estão ocupados, eles se concentram e não gritam. Então, quando for a um restaurante ou supermercado e seu filho não for ter o que fazer enquanto você está ocupada, leve algo para que ele fique distraído. Pode ser um joguinho, folhas para colorir, você pode também pedir que ele te ajuda, assim além de se comportar ele vai aprender noções de organização e se sentir importante por estar fazendo “coisas de adulto”, como pegar um produto na prateleira do mercado.

Por fim, o importante é sempre manter a calma e não ceder a crises histéricas. Lembre-se, se ele gritar, fale mais baixo. Quando seu filho tiver uma atitude agressiva, reaja de forma mais calma. Assim você o acalma e não estimula a histeria. Também não se preocupe com as pessoas que virem seus filhos gritar em locais públicos, preocupe-se apenas em resolver a situação e não se deixe levar pela vergonha. Seguindo esses passos, fica mais fácil manter os pequenos mais quietinhos.

Para você