Pilates na água

Conheça o poolates, uma adaptação que levou os exercícios do método tradicional do pilates para a piscina

Escrito por Deborah Busko

Se você é do tipo que adora novidades em fitness, deve ficar ligada em uma adaptação do pilates que conquistou adeptos nos Estados Unidos, em diversos países da Europa e em breve deve chegar ao Brasil. A novidade, chamada poolates, levou o método tradicional do pilates para a piscina. Na água, o pilates fica refrescante e divertido, porém o trabalho para garantir músculos tonificados e uma postura mais bonita é mais puxado.

A prática de pilates na água busca trabalhar equilíbrio, flexibilidade, força, postura, concentração e respiração. As aulas são compostas por exercícios de aquecimento, equilíbrio, fortalecimento de pernas e braços, abdominais, costas, torções, alongamentos, relaxamento e soltura muscular, tudo trabalhado com a ajuda de acessórios para flutuação.

Na água, existe uma força chamada empuxo, que é contrária à gravidade e dá a sensação de leveza ao corpo. Isso reduz o impacto sobre as articulações durante os exercícios e diminui o risco de lesões. Apesar de o corpo poder se movimentar de forma mais segura, é preciso ter mais força para enfrentar a flutuabilidade e não desequilibrar.

No poolates, que também é conhecido como hidropilates ou aquapilates, a temperatura da água fica em torno de 30 graus. Com isso, as articulações ficam mais flexíveis e os músculos mais relaxados, permitindo movimentos com maior amplitude. Outra vantagem do poolates é que a pressão exercida pela água promove uma melhora significativa na circulação sanguínea, deixando o coração e pulmão mais irrigados e facilitando a saída de oxigênio para a corrente sanguínea.

Para aproveitar todos os benefícios do poolates, é preciso fazer os exercícios de forma lenta e concentrada, prestando bastante atenção aos músculos trabalhados a cada movimento. Outra orientação importante é manter o abdômen sempre contraído.

Assuntos: Fitness, Pilates

Dicas pela Web