Perdão: como pedir e dar a si mesma

Após um erro, pedir desculpas é tão importante quanto aprender a se perdoar

Escrito por Carolina Werneck

Foto: Thinkstock

“Errar é humano”. Quem nunca ouviu essa máxima de um amigo logo após pisar na bola? O erro é mesmo um defeito inerente à natureza humana, prova disso é que muitas vezes erramos sem perceber o que estamos fazendo, ou buscando acertar. Pecamos pelo excesso e pela falta.

Se é quase impossível tomar apenas atitudes corretas com relação às outras pessoas, como podemos nos livrar da sensação de mal-estar e consciência pesada que se segue quando nos damos conta do erro? Pedindo desculpas a quem lesamos – é a resposta natural.

O tempo que levamos para perceber o erro e tentar repará-lo é o que realmente conta. Saber reconhecer nossas falhas é uma questão de desenvolvimento pessoal: algumas pessoas têm facilidade para pedir desculpas, enquanto outras são mais orgulhosas e, consequentemente, se sentem menos à vontade para fazê-lo.

Essa atitude, embora relativamente comum, é nociva tanto para quem errou quanto para quem foi eventualmente magoado, porque não permite às partes debater o problema e, posteriormente, superá-lo de maneira apropriada.

“Muitas pessoas têm dificuldades em pedir desculpas porque se sentem diminuídas com o ato. Ao pedir desculpas estamos admitindo que não somos perfeitos e isso fere nosso orgulho”, explica a psicóloga Priscila Gaspar. De acordo com ela, “nada melhor que um diálogo, talvez selado com um abraço e, por que não, algumas lágrimas”.

Reparar o erro é fundamental. Não adianta pedir desculpas e nada fazer para consertar ou amenizar as consequências da falta cometida.

Por outro lado, se uma pessoa apenas repara o erro e nada fala, é porque o orgulho ainda está presente e ela não consegue se sentir à vontade”, afirma.

Ainda que não tenhamos agido com má intenção, o ideal é que saibamos admitir o erro e abordar a outra pessoa com um pedido sincero de desculpas pelo ocorrido. Esse é o primeiro passo para que a consciência se sinta mais aliviada. Depois, é importante aprender a se perdoar. Uma consciência pesada, mesmo após ter pedido perdão a quem foi lesado, pode causar transtornos emocionais como a ansiedade e mesmo leves sintomas de depressão.

Ainda de acordo com Priscila, é necessário entender que a falha é uma característica própria do ser humano. Dessa forma podemos conviver melhor com nossos erros e não nos castigar tanto por eles. Após pedir perdão, é preciso superar o próprio erro para não prejudicar a qualidade de vida. “Se aceitássemos nossas imperfeições, seria mais fácil conviver com nossas faltas e limitações”, finaliza a psicóloga.

Assuntos: Relacionamentos

Para você