Otoplastia, a cirurgia para acabar com a orelha de abano

A cirurgia pode corrigir e devolver uma aparência normal às orelhas de abano

Escrito por

Foto: Thinkstock

Continua após o anúncio

As pessoas que têm a chamada orelha de abano sofrem muito com elas e geralmente passam a vida toda tentando escondê-las. As orelhas atingem seu tamanho médio entre os cinco e sete anos de idade e é por isso que depois desse período, apesar de continuarem crescendo, não ocorrem mudanças significativas nessa área do corpo.

Existem três tipos de deformidade que são consideradas como orelha de abano: quando o paciente tem a parte interna da orelha (chamada concha) muito grande, quando há ausência da dobra superior ou ainda quando há um ângulo muito aberto entre a cabeça e a orelha.

A orelha de abano é um problema congênito que normalmente incomoda e causa bastante constrangimento, mas pode ser facilmente corrigida com cirurgia plástica. Os especialistas indicam a cirurgia, chamada otoplastia quando o problema causa dificuldades de convívio social, baixa auto-estima, timidez e outros impactos psicológicos.

Como é feita a otoplastia?

A otoplastia é feita com anestesia local ou geral. Em seguida, através de um pequeno corte de cerca de 3 a 4 cm atrás da orelha a cartilagem é tratada e dependendo do caso, retira-se uma parte. Ao terminar a operação já é possível perceber a diferença, apesar do inchaço. Após seis semanas nota-se o resultado definitivo. A cicatriz da otoplastia é quase imperceptível, já que fica atrás da orelha e como se trata de região de pele muito fina, com o tempo tende a não aparecer.

A recuperação da cirurgia para corrigir orelhas de abano envolve poucos cuidados e depois de cinco dias já é possível retomar as atividades normais. É preciso manter as orelhas secas e usar um curativo no local durante um mês para evitar dobrar e manter a orelha na posição desejada. Para deixar o visual mais moderno e disfarçar a cirurgia, uma dica é usar lenços e faixas de cabelo.