Os segredos do orgasmo feminino

O cérebro tem grande influência no momento do orgasmo, dizem cientistas

Escrito por Carolina Werneck

Foto: Thinkstock

O orgasmo feminino ainda guarda muitos mistérios, mesmo com todas as pesquisas já feitas e todos os manuais disponíveis em livros, sites e até em filmes. Por que é tão difícil chegar lá e qual o mecanismo que comanda o prazer feminino? Dúvidas recorrentes, principalmente depois que as mulheres tornaram de conhecimento público o fato de que, muitas vezes, fingem o orgasmo para agradar ao parceiro.

O clitóris é a chave para o orgasmo?

O clitóris é um pequeno órgão, localizado na parte superior da vagina, exatamente onde os pequenos lábios se encontram. Ele é o único órgão do corpo humano inteiramente destinado ao prazer. Isso mesmo: o clitóris não tem nenhuma outra função, exceto proporcionar às mulheres a sensação de prazer.

Quando estimulado, esse órgão, que normalmente possui 0,5cm, se expande e pode chegar a atingir 2 centímetros. Ele possui milhares de terminações nervosas, o que explica sua hipersensibilidade ao toque. Por isso é tão comum ouvir relatos de mulheres que só conseguem atingir o orgasmo por meio da estimulação do clitóris. Por mais maravilhoso que pareça, ele não é, no entanto, o único modo de “chegar lá”.

E o ponto “G”?

O famigerado ponto “G” seria uma área, já no interior da vagina, capaz de proporcionar um prazer ainda mais intenso que o do clitóris. Embora haja diversos estudos sobre o assunto, ainda não se sabe se ele é real ou apenas fruto da imaginação feminina. O fato é que a ciência ainda não conseguiu provas convincentes de sua existência. Mas há vários depoimentos de mulheres que dizem ter alcançado o orgasmo através dele, que estaria localizado na parede “da frente” da vagina.

O que o cérebro tem a ver com isso?

Como é de conhecimento de todos, nosso sistema nervoso é o responsável por enviar ao cérebro as informações correspondentes às mais diversas sensações humanas. Sentir dor, calor ou frio e até mesmo saber a diferença entre “seco” e “molhado” só é possível porque temos terminações nervosas espalhadas pelo corpo, que identificam para o cérebro o que estamos tocando.

Agora, investigadores da Universidade de Groningen, na Holanda, garantem que o cérebro também é responsável pelo orgasmo feminino. O grupo submeteu diversas mulheres a exames de tomografia por emissão de pósitrons, para analisar o fluxo sanguíneo no interior do cérebro durante o clímax.

O que se pode observar foi que esse fluxo era bastante menor na zona orbifrontal do lado esquerdo do cérebro, o que prova que essa área está intimamente ligada ao prazer. Em um segundo teste, a tomografia foi realizada após os pesquisadores solicitarem às voluntárias que fingissem um orgasmo. Desta vez, o fluxo cerebral se manteve em um nível normal.

Aparentemente, as áreas localizadas perto da vagina, dentro dela ou mesmo em nosso cérebro trabalham juntas para que possamos sentir prazer durante a relação sexual. Se você tem dificuldades para atingir o orgasmo, talvez valha a pena consultar um ginecologista para esclarecer dúvidas e te deixar mais segura sobre o assunto. Muitas vezes as barreiras que te impedem de aproveitar as delícias do sexo são muito mais psicológicas que, de fato, clínicas.

Dicas pela Web
Comentários