Obstetra esclarece 10 dúvidas comuns sobre ultrassom na gravidez

Exame é 100% seguro e fundamental para acompanhar a saúde da mãe e do bebê

Escrito por Mariana Bueno

Foto: Thinkstock

Fundamental para acompanhar o desenvolvimento do bebê, identificar possíveis doenças ou complicações, além de observar as condições de saúde da gestante, o ultrassom é um exame aparentemente simples, mas que ainda desperta muitas dúvidas nas futuras mamães. O obstetra Alberto D’Auria, diretor médico da Cryopraxis, esclarece os principais questionamentos:

1 – Qual a importância do exame?

O ultrassom é imprescindível porque, sem ele, o acompanhamento pré-natal seria parcial. Ele possibilita saber logo no início se a gestação está dentro do útero ou se é gravidez na trompa, se há alguma deformidade como, por exemplo, mola hidatiforme, ou, ainda, se é gestação múltipla, se tem descolamento do saco gestacional e se o embrião tem vida ou não.

2 – Ele é obrigatório durante a gravidez?

Sim. O ultrassom é uma ferramenta indispensável hoje em obstetrícia e tem ajudado muito no diagnóstico de uma gestação saudável e de outras complicações.

3 – Quando o exame deve ser feito pela primeira vez?

Assim que houver a notícia de possível gravidez o ultrassom deverá ser feito. Lembrando que, na gestação de quatro semanas só aparece o saco gestacional, com cinco semanas um esboço do embrião e, com seis semanas, já aparecem os batimentos cardíacos do embrião, o que tranqüiliza, em parte, o prognóstico da gravidez.

4 – Quantas vezes deve ser feito durante a gestação?

Podemos fazer até quatro ultrassons. O primeiro será feito para saber se a gestação está dentro do útero ou nas trompas e se tem embrião vivo dentro do saco gestacional. O segundo, entre onze semanas e meia e treze semanas, que será o morfológico do primeiro trimestre, para estudar a espessura da nuca do feto para então suspeitar ou não de alguma doença cromossômica. O outro será o morfológico do segundo trimestre, feito entre 19 e 23 semanas. Nesse ultrassom serão procuradas todas alterações morfológicas e, ao terminar o exame, teremos uma segurança de 85% dos resultados.

5 – Existem diferentes tipos de ultrassom?

Sim. Os ultrassons 3D e 4D têm imagem tri e tetra dimensional, respectivamente, e são utilizados para alterações em que exista a necessidade de programação cirúrgica intra útero e outras complicações. Hoje se usa esse recurso também para mostrar o bebê para os pais durante a gravidez.

Há também o recurso do doppler, que é usado para avaliar vasos sanguíneos do útero, da artéria umbilical, artéria cerebral do feto. Essa avaliação é muito importante, pois pode dar sinais de possíveis complicações da gravidez, como bem estar do feto intra-útero, doenças hipertensivas da gravidez, e pode também sinalizar a possibilidade de parto prematuro. Muitas vezes o doppler nos auxilia a decidir por uma cesárea, quando há sofrimento fetal importante.

6 – Quando é possível ver qual o sexo do bebê?

Fazendo o ultra-som próximo de 13 semanas de gestação, se a posição do feto for favorável, já pode-se suspeitar do sexo, porém sem certeza. Com 19 semanas já é possível visualizar o sexo do bebê.

7 – Há alguma contraindicação ou algum caso em que não é recomendado fazer?

Não há contraindicações, uma vez que o aparelho utiliza ondas mecânicas com velocidade acima de 300m por segundo, é por isso, inclusive, que se chama ultrassom. É 100% seguro para a gestante e para o bebê.

8 – Que doenças podem ser identificadas?

O ultrassom pode diagnosticar mais de cem síndromes fetais ou outras mal-formações de membros cardíacos, renais, e muitas outras.

9 – Quando os pais conseguem ouvir o coração do bebê?

É possível escutar os batimentos cardíacos do feto a partir de 11 semanas de gestação, ao fazer o ultrassom que tenha doppler transformado em som.

10 – Mesmo com o ultrassom apontando tudo normal, a criança pode nascer com algum problema que não tenha sido identificado?

Sim. Mesmo com os exames apontando tudo dentro do normal, ainda há uma chance de erro, que fica em torno de 15%.

O ultrassom faz parte do pré-natal, série de exames e cuidados orientados por médicos que não pode ser dispensado. Por isso, se descobrir que está grávida, não deixe de fazer todos exames indicados e seguir as orientações médicas.

Assuntos: Gravidez

Para você