6 curiosidades sobre sexo

A ciência vem se esforçando para decifrar os mistérios das relações sexuais

Escrito por Carolina Werneck

Foto: Thinkstock

O sexo, além de fonte incrível de prazer e maneira eficaz de manter a cumplicidade do casal em dia, pode ser um assunto extremamente interessante. A ciência, através de pesquisas e estudos realizados ao redor do mundo, vem comprovando diversos fatos curiosos a respeito do corpo humano durante as relações sexuais, e também do comportamento humano nesses momentos.

1 – Quanto duram os orgasmos?

Uma pesquisa liderada pelo sexólogo alemão Rolf Degen comprovou que o orgasmo masculino dura mais que o feminino. Segundo o estudo, o orgasmo dos homens dura, em média, 12,4 segundos, contra 1,7 segundo das mulheres.

Por outro lado, de acordo com o livro Scared Sh*tless: 1,003 Facts That Will Scare the Sh*t Out of You, a coisa funciona ao contrário: enquanto o orgasmo feminino, em média, 20 segundos, o masculino dura apenas uma média de 6 segundos. O orgasmo, aparentemente, continua sendo um mistério sob muitos aspectos, apesar dos esforços dos cientistas.

2 – A eficácia da camisinha

Não é novidade que a camisinha é fundamental para quem quer evitar uma gravidez e as doenças sexualmente transmissíveis, ou DSTs. Na prevenção da gestação, este recurso chega a atingir 97% de eficácia, quando utilizado da maneira correta. Ao mesmo tempo, ela garante 70% menos chances de contrair enfermidades como o HPV, de acordo com um estudo recente.

3 – Está quente aqui, né?

Não é mera impressão sem fundamento. Segundo o livro Why Do Women Crave More Sex in the Summer? (Por que as mulheres desejam mais sexo no verão?), os meses de calor do ano têm, de fato, influência sobre o desejo feminino. Isso aconteceria, dizem os pesquisadores, porque o homem libera um tipo de “cheiro” diferente quando está sexualmente atraído por uma mulher. O clima do verão e o ar úmido contribuem para que as mulheres se tornem ainda mais sensíveis a esse cheiro e, por isso, sintam mais desejo sexual.

4 – Pés quentes, mais orgasmos

De acordo com uma pesquisa realizada na Universidade de Groningen, na Holanda, as mulheres têm 30% mais chances de alcançar o orgasmo quando estão com os pés aquecidos. Os pesquisadores afirmam que usar uma meia ou massagens com óleos antes da relação sexual são boas maneiras de ajudar a mulher a “chegar lá”.

5 – Contraceptivos podem prejudicar seu prazer sexual

Dependendo do tipo de medicamento que você usa como método contraceptivo, sua vida sexual poderá ser afetada. Um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, mostrou que mulheres que usam a pílula e o adesivo anticoncepcional, por exemplo, apresentam dificuldades de lubrificação, além de problemas para se sentirem excitadas. Elas também reportaram menos orgasmos e até mesmo relações sexuais menos frequentes.

6 – Qual a duração ideal de uma relação sexual?

Um grupo de terapeutas sexuais dos Estados Unidos divulgou um estudo que afirma que a duração adequada de uma relação sexual fica entre três e sete minutos. Cientificamente falando, a informação pode ser verdadeira mas, se considerarmos as preliminares, o sexo oral e mesmo a estimulação manual que precede o sexo em si, naturalmente o tempo de relação será bastante maior que isso.

Dicas pela Web
Comentários