O que fazer quando o trabalho faz mal?

Pequenas reflexões podem levar a mudanças importantes para sua saúde

Escrito por Luciana Kotaka

Todos nós desempenhamos alguma atividade quando adultos, e normalmente a escolha da profissão se dá muito cedo, e nem sempre acertamos de primeira a função escolhida.

Desde muito jovens tendemos a imaginar qual seria a profissão mais adequada, que vem rechear nosso imaginário de sonhos. Nas meninas a pediatria, nos meninos corredores de formula um, mas com o passar dos anos, vamos mudando o foco e descobrindo um mundo onde temos várias opções. Algumas vezes conseguimos nos focar e trabalhar no que acreditamos ser algo bacana, em outros momentos, fazemos escolhas erradas, que não traz satisfação, causando um grande estresse interno, e muitas vezes, externo.

Mesmo quando a escolha é correta, precisamos avaliar o quanto ele pode nos desgastar no dia a dia, sendo um ponto interessante para refletirmos. Um trabalho que exige muito além do que seria adequado causa uma série de problemas, desde cansaço mental, físico, como pode afetar nossa relação com as pessoas. É fundamental utilizar-se da cautela em relação a essa questão, pois quando damos o sangue em algo, tem que valer a pena. E será que vale a pena realmente?

Recentemente li em no livro: O diário de Suzana para Nicolas uma parábola interessante: Imagine que a vida seja uma brincadeira em que você fica fazendo malabarismo com cinco bolas. As bolas se chamam trabalho, família, saúde, amigos e integridade. Você está mantendo todas as bolas no ar e um dia finalmente se dá conta de que o trabalho é uma bola de borracha. Se você deixar cair, ela vai pular de volta. As outras quatro bolas – família, saúde, amigos e integridade – são feitas de vidro. Se você deixar cair alguma, ela vai ficar arranhada, ou lascada ou vai se quebrar de vez.

Sendo a bola do trabalho de borracha, sabemos a importância de estarmos felizes, e do equilíbrio necessário para não interferir nas outras quatro bolas.

Estabelecer horários para sair no fim do expediente, manter boas relações com amigos e chefe, é essencial para sentir-se bem, e desenvolver o trabalho de forma satisfatória. Executar tarefas que lhe agradem, pois tudo o que é forçado ou desagradável também é ruim para si mesmo.

Nem sempre estamos no local certo, ou desenvolvendo o trabalho que agrada, sendo importante avaliar o porque permanecemos nesse estado, pois mesmo com a crise financeira batendo em nossa porta, é essencial estarmos atualizados, procurando cursos de formação, concursos, ou em outros casos, um outro emprego em outra área.

Quem nunca viveu ou ouviu alguém conhecido contar que está trabalhando além do seu limite, ou enfrentando dificuldades que aborrecem e tiram a energia? Essa situação é muito comum. Porém sabemos que nem sempre temos opções, sendo necessário permanecer durante um tempo aonde se trabalha. Nesse caso, é importante pensar nas atitudes que poderiam ser tomadas, para que não se exponha a situações desagradáveis.

O simples fato de não conseguir confrontar algo que incomoda, poder gerar algumas patologias como dores de cabeça, náuseas, estresse, problemas gástricos, entre outras doenças.

A psicoterapia pode ser uma importante aliada nesse processo, ajudando você a identificar as fontes de insatisfação, fortalecendo para tomadas de decisões que mudarão sua vida.

Para você