O chocolate estimula a inteligência

Cardiologista faz comparação divertida entre o consumo de chocolate e a conquista de prêmios Nobel

Escrito por Carolina Werneck

Foto: Thinkstock

Que chocolate é bom, todo mundo sabe. Mas essa delícia da culinária pode também trazer benefícios para a saúde. Quanto mais cacau houver na composição do alimento, mais saúde seu consumo representa.

As mulheres utilizam o chocolate para os mais diversos fins. Comer chocolate causa uma sensação de prazer que eleva o bem-estar.

Além disso, o chocolate pode ser útil na prevenção ao câncer de intestino, segundo pesquisa da Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos; no combate aos problemas do coração, como apontou um estudo da Universidade de Linkoping, na Suécia; cuida também da saúde do cérebro, de acordo com cientistas da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos; e ajuda a aliviar dores, como demonstrou uma equipe da Universidade de Chicago. Por fim, o chocolate ainda estimula o fluxo arterial e dá bastante energia para realizarmos as atividades do nosso dia a dia.

Chocolate e os prêmios Nobel

A novidade é que o consumo de chocolate agora está sendo associado aos níveis de inteligência nos seres humanos.

Um cardiologista chamado Franz Messerli começou a relacionar os benefícios do flavonoide do cacau sobre nossas habilidades de cognição com estatísticas históricas. Ele chegou à conclusão de que os países que mais faturaram prêmios Nobel ao longo dos anos são justamente aqueles que possuem um alto consumo de chocolate por pessoa.

A Suíça, por exemplo, tem uma média de consumo de chocolate per capita de cerca de 10 quilos ao ano – e seus cidadãos já conquistaram 29 premiações. No mesmo patamar estão a Suécia e a Alemanha. De acordo com a pesquisa maluca levada a cabo pelo cardiologista, quanto maior a quantidade de chocolate consumida por um país, maior o número de pessoas premiadas com o Nobel, a cada dez milhões de habitantes. A média calculada por Messerli aponta que, se pretende faturar um Nobel, uma nação precisa aumentar em 400 gramas ao ano o consumo de chocolate.

Segundo o professor de bioquímica e metabolismo da Universidade Federal de Minas Gerais, Tasso Moraes e Santos, os nutrientes dos alimentos que ingerimos atuam de fato no funcionamento cerebral, mas estão longe de nos deixar mais inteligentes.

Nesse sentido, o chocolate é, de fato, um importante aliado para quem deseja manter a concentração em dia, já que é fruto de uma combinação entre carboidratos e gordura, contando ainda com uma dose de cafeína, substâncias que mantêm o cérebro atento.

Alimentos para melhorar o funcionamento do cérebro

Se você pretende se tornar mais inteligente contando com uma mãozinha da gastronomia, há outros alimentos, além do chocolate, que podem ser úteis na empreitada. A glicose e a frutose presentes no mel, por exemplo, atuam diretamente sobre os neurônios. Os ovos e as frutas secas também mantêm a mente saudável e são importantes para facilitar a aprendizagem.

Da mesma forma, as sementes de abóbora e o brócolis têm a quantidade de zinco necessária para melhorar a agilidade mental, enquanto o chá verde contribui para a lucidez mental e para conseguir estados de meditação.

No entanto, o alimento que mais contribui para as funções cerebrais é o peixe. Na verdade, o consumo de peixe é importante para todas as funções do organismo, por conter alto nível de proteínas com baixas taxas de gordura. Inclua o peixe na sua dieta e perceba sua saúde melhorar consideravelmente.

Assuntos: Alimentação

Dicas pela Web