Leila Diniz: uma mulher livre em meio à ditadura militar

A atriz faria 77 anos hoje e sua história ecoa polêmicas, como amor livre e uso de biquínis pequenos período de repressão

Publicado por                                
Em 25.03.22 às 16:13

Divulgação

Por
Em 25.03.22 às 16:13

A atriz revolucionária Leila Diniz faria 77 anos hoje. Foi uma mulher à frente de seu tempo e tornou-se uma referência para debates sobre liberdade e sexualidade da mulher, rompeu com tabus em plena Ditadura Militar brasileira.

Publicidade

Quem foi Leila Diniz?

Nascida em Niterói em 25 de março de 1945, Leila Diniz foi um símbolo de irreverência e liberdade feminina da sua época. Intitulada por ela mesma como “uma moça livre”, mesmo vivendo no período repressivo do regime militar.

Leila tornou-se conhecida por sua carreira de atriz de novela e cinema, mas se consolidou por sua importância na luta feminista, ainda que não intitulada assim na época. Na década de 1960, Leila Diniz chegou ao estrelato com participações em novelas da Globo mais tarde como “Rainha das Vedetes”, por ser uma atriz também de espetáculo nos teatros.

Uma mulher que quebrou tabus

Divulgação

A atriz deixou seu legado cultural e histórico por falar abertamente sobre assuntos considerados tabus, como sexo, abuso de palavrões e opiniões irreverentes expressas sem o medo da sociedade.

“Transo de manhã, de tarde e de noite” e “Você pode muito bem amar uma pessoa e ir para cama com outra. Já aconteceu comigo” foram declarações públicas de Leila que chocou a sociedade conservadora. No entanto, também encorajava diversas mulheres a terem liberdade de pensamento no período da ditadura.

Além disso, seus atos escandalizaram a sociedade brasileira. Um exemplo foi quando, em pleno período de repressão militar, exibiu sua gravidez de biquíni. Sua liberdade foi criticada e até mesmo invejada entre os anos 60 e 70.

Uma de suas entrevistas mais marcantes foi ao jornal Pasquim, no qual seus palavrões tiveram que ser substituídos por asteriscos e temas como prazer feminino, sexo e infidelidade foram o centro das falas. Com declarações polêmicas como essas, Leila Diniz recebeu até mesmo ordem de prisão, precisando ficar escondida por um tempo.

Morte prematura

Infelizmente, essa mulher histórica teve uma vida breve, morreu acidentalmente aos 27 anos, na volta de uma viagem da Austrália para o Brasil em um avião que caiu em Nova Delhi, na Índia.

Leila poderia ter visto várias de suas lutas tomarem força anos depois, bem como ter presenciado o fim do regime militar. Mesmo com sua partida precoce, a atriz deixou um legado inegável de liberdade, desconstrução e feminismo, como uma mulher à frente do seu tempo.

Publicidade

Símbolos feministas e inspiradores, que enfrentaram o poder e a opressão contra as mulheres, são pilares de uma longa construção de liberdade e igualdade. Que a memória sobre Leia Diniz seja permanente e se torne motivação para a luta continuar!