13 coisas que nós sempre quisemos te dizer, mas nunca falamos

Pois é, além do nosso conteúdo diário, nós sempre temos algo a mais para dizer

Escrito por Redação

Imagem: Dicas de Mulher

Nossa redação é formada apenas por mulheres. E todos os dias produzimos e publicamos conteúdo pensando em mulheres. A gente sabe que ser mulher é um desafio, mas também uma delícia.

Neste dia 8, unimos nossas palavras para compartilhar coisas que gostaríamos que as mulheres soubessem (ou tentassem se lembrar sempre).

Que a gente possa refletir e se empoderar. Acreditar em nós mesmas e inspirar outras mulheres a fazer o mesmo. Perceber que sempre podemos mais!

1. Somos mulheres e muito mais


Dani Oliveira, comunicóloga, estressada no trânsito, a louca da Amélie Poulain.

“Os estereótipos nos ajudam a nos comunicar e lidar com todas as coisas que cruzam o nosso caminho. Mas, já reparou em tudo aquilo que faz de você quem você é?

Não é só sua profissão, sua família, ou sua crença. Ou sua raça, sua aparência, seus gostos e atitudes. Tudo o que se vive, faz da gente quem somos.

Leia também: Mulheres inspiradoras: Rachel Maia

Quanta coisa representa você, a sua mãe, sua amiga e até aquela colega de trabalho que você não gosta muito. Somos mulheres e junto com isso muitas outras coisas. Cada uma com a sua lista.

Podemos lidar melhor com nós mesmas, e com as mulheres a nossa volta, lembrando da nossa complexidade e não admitindo uma única definição de alguma coisa ou alguém.”

2. Não espere nada de nós


Beatriz Castells, sagitariana, apaixonada por moda, tentando viver sem açúcar.

“Já reparou como sempre estão esperando algo de nós? Começa na maternidade. Assim que nascemos já colocam brincos em nossas orelhas porque, já que somos mulheres, esperam que sejamos femininas.

Na infância, todos esperam que nossa brincadeira favorita seja brincar de boneca (no máximo de Barbie). Aí alguns anos depois vem a famosa frase “e os namoradinhos?”.

Leia também: 40 fotos que provam que para ser mulher precisa ser feminina

Depois que encontramos um cara, começam as perguntas de quando vamos nos casar. Ainda lá na festa de casamento começam a falar de filhos. Engravidamos. Parimos. O bebê mal nasceu e começam os questionamentos de quando vem um irmãozinho…

Se eu continuasse escrevendo não sobraria espaço para as minhas colegas, porque sempre estão esperando algo de nós. Não esperem nada de nós.”

3. Você merece estar com alguém que te valorize


Raquel Praconi, revisora de textos que gostaria de corrigir a vida também.

“Não vale a pena desperdiçar sua energia entrando em joguinhos emocionais por causa de um parceiro. Existem sim homens que vão gostar de você sem que você tenha que calcular seus próximos passos no intuito de conquistá-los.

Se ele te deixa no vácuo por dias, pare de criar desculpas para justificar esse comportamento. Não há alternativa correta entre mandar uma nova mensagem ou esperar que ele responda: você sempre estará perdendo.

Leia também: 25 coisas que mulheres precisam parar de dizer umas para as outras

Da mesma forma, você não deve perder seu tempo stalkeando todas as mulheres que curtem as fotos dele. Se você não se sente segura, se afastar desse parceiro pode proporcionar uma vida muito mais tranquila. Lembre-se de que o amor é recíproco e não depende de jogos. Você merece estar com alguém que te valorize.”

4. Liberte-se da síndrome do impostor


Ana Kordelos, produtora de conteúdo, curiosa por natureza e sempre buscando conhecimento.

“Você já se sentiu uma fraude? Como se todas as suas conquistas fossem meras obras do acaso ou graças a um bocado de sorte? Este sentimento tem um nome: síndrome do impostor.
Atingindo em sua maioria mulheres, especialmente no ramo profissional, esta síndrome proporciona o sentimento de que a mulher não pertence aquele espaço ou está apta para certa atividade.

Não se deixe paralisar diante do desconhecido, arrisque-se e confie em sua capacidade. Afinal, tudo pode ser aprendido ou aprimorado, e as coisas que mais nos desafiam são as que mais valem a pena.

E lembre-se: competência não está ligada a um cromossomo que determina seu sexo, mas sim às suas aptidões e ao esforço que é aplicado face a determinado desafio.”

Leia também: 12 lições que podemos aprender com vídeos de mulheres incríveis

5. Fuja de piadas e comentários machistas


Tais Romanelli, jornalista apaixonada pela escrita, pela família e por cachorros.

“É essencial nos conscientizarmos e nos posicionarmos em relação a piadas e “rótulos” que tentam nos diminuir frente aos homens e que, muitas vezes, são difundidos pelas próprias mulheres. Por exemplo: “toda mulher é louca para casar e pressiona o homem para isso”; “é da natureza do homem trair e a mulher deve aceitar”; além de piadas que insinuam que amizade de mulher é sempre falsa e somente a de homens é verdadeira.

Piadas e comentários deste tipo podem parecer inofensivos, mas carregam um pensamento machista por trás e não devem ser difundidos (muito menos por mulheres).”

6. Você é mais capaz do que imagina


Sheila Almendros, jornalista, coordenadora de conteúdo, blogueira e multirarefa.

Muitas vezes nos deparamos com desafios que parecem que não daremos conta do recado. E não é por falta de preparo ou de tempo, mas por insegurança mesmo, que nos faz questionar se somos capazes de enfrentar o novo e que nos tira da zona de conforto. Mas já percebeu o quanto funcionamos por intuição?

Conseguimos dar conta das responsabilidades do trabalho, e ainda administrar uma vida pessoal sem ao menos notar que estamos fazendo tudo isso de forma automática. Pensando nisso, a equação da insegurança é muito simples de ser resolvida: se o cronograma permite, por que acreditar que você não é capaz? Mulher, você mata diversos leões por dia sem perceber! Você é mais capaz do que imagina!

7. Empatia, mulheres. Empatia


Priscilla Ázara, escorpiana de alma livre, descarta padrões e sabe que o céu não tem limite.

“Maria é casada, trabalha, estuda, viaja, se diverte e se considera uma pessoa feliz. Optou por não encaixar filhos em seu estilo de vida. Maria não quer ser mãe, mas escuta com frequência: ‘espere até o instinto materno aflorar, toda mulher precisa de um filho para conhecer o amor incondicional’.

Reflita sobre a cultura de impor sua vivência no outro. Ter um filho é, de fato, uma experiência riquíssima, mas não é uma obrigação. A decisão de Maria em não cuidar de uma nova vida não a torna menos mulher.

Permaneçamos unidas diante da liberdade de tomar as rédeas da própria vida. Usando a palavra da vez, tenhamos SORORIDADE.”

8. Nós decidimos do que gostar


Isabella Tamaki, apaixonada por histórias novas, idiomas, cultura pop e estilos autênticos.

“Não importa do que nós mulheres gostamos, sempre tem alguém para nos questionar. Se somos fãs de novela, de filmes românticos ou de ídolos pop, somos tachadas como ingênuas. Se preferimos futebol ou filmes de super heróis, dizem que é só para agradar o público masculino e já surgem mil questões sobre esses universos que não somos obrigadas a saber por simplesmente gostar.

Para mim, os nossos interesses e predileções também fazem parte da nossa personalidade e não tem nada mais divertido do que ser fã! Apesar de questionados, saiba que seus gostos e preferências são mais do que válidos!”

9. A mulher que vive em nós


Camila Mocki, ama maquiagens e a natureza. Adora contar histórias e ver os outros rirem dela.

“Quem nunca ouviu “Ah, mas aquela ali não se dá o respeito. Já passou na mão de todo mundo.”? Eu já ouvi, minha amiga, e, acredite, já reproduzi muito. Mas com o passar do tempo eu comecei a perceber que eu também sofria com comentários desse tipo. E olha como é engraçado, descobri que as mulheres que eu difamei e eu passamos pelas mesmas coisas. O assédio é igual, a violência é igual. E por que eu não deveria tratar você com igual respeito?

Uma das maiores conquistas que eu adquiri ao longo de minha libertação feminina, foi conseguir me enxergar numa outra mulher. Saber que sua dor é a minha e o seu prazer é o meu. Apoiemo-nos umas nas outras! Só quem vai perder algo com essa atitude, minha amiga, é o machismo.”

10. Ame seu corpo (e quem você é por inteiro)


Mariana Bianchini, comunicóloga, mas no fundinho queria ser princesa da Disney.

“A maioria de nós não se sente confortável com o próprio corpo. Passamos muito tempo buscando aceitação por parte de outras pessoas e tentando nos enquadrar em padrões de beleza inalcançáveis, enquanto, no fundo, o que queríamos mesmo era nos sentir bem com quem somos.

Precisamos encontrar um jeito de enxergar as mulheres maravilhosas que existem dentro e fora da gente, para, assim, podermos aprender a amar cada uma das nossas partes.

Colocar isso em prática requer uma prática constante e desafiadora, mas necessária, porque o nosso corpo merece ser respeitado – pelos outros, mas principalmente por nós mesmas.”

11. A culpa não é nossa


Ananda Almeida, jornalista e leonina, mas tímida que só vendo.

“É só surgir uma nova denúncia de assédio para a gente ouvir coisas como: “quando serviu para alavancar a carreira dela ela não reclamou, por que só se pronunciou agora?”.

Acho que nós, mulheres, sempre devemos pensar e propagar que, muito longe de ser uma vantagem, esses abusos colocam as mulheres em uma situação sem saída que, além de colocar a carreira em risco, traz sentimentos muito grandes de medo, de culpa e de vergonha. E isso vale para o nosso ambiente de trabalho, onde cabe a nós apoiar umas às outras para, juntas, criarmos um local seguro em que o assédio traz consequências ao agressor e não às vítimas.”

12. Você não precisa mudar por ninguém


Nicole Dias, produtora de conteúdo, apaixonada pela vida e pelas coisas lindas dela.

“Quem me vê hoje, feliz e confiante em um relacionamento, não imagina o quanto já tentei me moldar para caber no coração de outra pessoa. Mas se tem uma coisa que eu aprendi com o tempo – e com outras mulheres maravilhosas! – é que isso não é necessário.

Você não precisa tentar ser diferente do que é para que alguém goste de você, seja para um romance, seja para uma amizade.

Você pode falar alto, ser mais quietinha, detestar academia ou amar maquiagem, tanto faz. Pode fazer o que quiser. Só não pode se anular ou fingir só para ganhar migalhas de atenção.”

13. Seja dona do seu próprio destino


Mariana Bueno, jornalista, viajante, leitora compulsiva e aprecia dias de sol.

“O mundo é mesmo mais perigoso para mulheres, o que gera insegurança quase o tempo todo. Além disso, aprendemos que somos frágeis, não somos incentivadas a viver novas experiências e crescemos com medo. Mas é preciso ir além e romper com as expectativas criadas sobre nós! Sair da cidade, conhecer outro país, se encontrar verdadeiramente!

Viajar sozinha também é libertador, já fui para vários lugares e incentivo a fazerem isso, independente do que os outros digam ou do que a sociedade definiu como comportamento feminino ideal. O autoconhecimento adquirido na própria companhia fortalece e empodera. E o lugar da mulher é onde cada uma quiser!”

No Dia da Mulher – e em todos os outros dias do ano -, o nosso maior desejo é que todas as mulheres se amem e acreditem que elas podem sempre mais.

Com carinho,

Redação Dicas de Mulher.

Assuntos: Mês da Mulher

Dicas pela Web
Comentários