Namoro entre funcionários da mesma empresa

Saiba o que fazer para não prejudicar sua imagem profissional ao assumir um relacionamento

Escrito por Gisele Macedo Sá

Foto: Thinkstock

Passamos tanto tempo no local de trabalho que é comum encontrar lá pessoas por quem nos interessamos. Porém, assumir um relacionamento no ambiente profissional pode ser um tanto perigoso para a carreira. A coach Susana Azevedo explica que muitas vezes a preocupação das empresas é que os funcionários confundam a vida pessoa com a vida profissional.

Para o coach Edson De Paula, algumas empresas já mudaram suas políticas e permitem namoro entre seus funcionários. “Essa atitude geralmente visa aumentar a qualidade de vida pessoal e profissional dos empregados”, explica. Mas ele alerta que antes de firmar um relacionamento afetivo dentro do ambiente profissional, o funcionário conheça bem as regras estabelecidas pela empresa neste caso.

“Se o relacionamento acontecer, no inicio, procure ser discreto e analisar se ele será promissor ou apenas passageiro. Desta forma não há necessidade de se expor dentro do ambiente de trabalho”, aconselha De Paula. Porém se o casal perceber que a relação é séria e está dentro dos comportamentos permitidos pela empresa, o ideal é que haja transparência e que a chefia seja informada. “Não há como viver com qualidade refreando os próprios sentimentos”, alerta De Paula.

No caso da corporação manter regras rígidas quanto ao relacionamento afetivo entre seus funcionários, o ideal é que um tome a decisão de se desligar da empresa. “A melhor maneira de evitar que os dois sejam demitidos de uma única vez, é um dos parceiros tomar a atitude primeiro e se demitir”, alerta Susana. De Paula explica que não existem leis específicas para esses casos, então a postura adequada geralmente é ditada internamente pela empresa, através de um código de comportamento e ética.

Amor profissional

Michelle Ocimara Fagundes de 24 anos e Bruno Leonardo de Jesus de 31 anos se conheceram há 3, na empresa de monitoramento de notícias em que trabalhavam. Depois de se tornarem amigos e irem ao cinema, o clima esquentou e eles começaram a namorar. Mas levaram algum tempo para enfim assumir o relacionamento na empresa, pois tinham medo da reação da chefia. “Só depois de três meses namorando escondido, quando houve o casamento de uma colega da corporação, é que definimos que estava na hora de todos saberem do nosso relacionamento”, conta Michelle.

Os dois trabalhavam em setores diferentes, mas deixaram claro para os diretores da empresa que não haveria interferência no rendimento pessoal deles por causa do namoro. “Não foi fácil, mas posso dizer que foi uma grande experiência. Acredito que o perfil profissional e a maturidade foram essenciais para dar certo”, explica a jovem.

Edson De Paula explica que é importante o casal demonstrar que a relação deles não atrapalha o ambiente profissional e dá algumas dicas valiosas. “Trate a todos os colegas da mesma maneira que eram tratados antes do relacionamento e saiba dividir muito bem qual é o seu papel real dentro do ambiente de trabalho”, explica. Outro comportamento que deve ser evitado são os acessos de ciúmes, as fofocas e as intrigas do casal dentro do ambiente corporativo. “Evite excessos como as visitas na mesa um do outro, o envio de e-mails pessoais ou ligações telefônicas no horário de trabalho”, finaliza o coach.

Dicas pela Web