Mulheres executivas x TPM

Conciliar o período de tensão pré-menstrual e a vida profissional é o desafio dos tempos modernos para as mulheres trabalhadoras

Escrito por Andressa Dias

Todos os meses, milhares de mulheres ao redor do mundo sofrem com o mesmo mal: a TPM. Atingindo a maioria das mulheres, ela é capaz de provocar danos imensos ao emocional de quem a sente.

Especialistas afirmam que, em geral, o sentimento que existe durante a TPM é algo como se o mundo estivesse prestes a acabar, é um turbilhão de emoções quase incontroláveis.

Sorte tem aquelas mulheres – mais precisamente 40% delas – que nem percebem que estão em um período propenso à tensão pré-menstrual. Porém, infelizes 32% delas apresentam sintomas graves da TPM.

Os sintomas mais comuns da TPM são depressão, pensamentos negativos, ansiedade, nervosismo e irritabilidade, tristeza repentina, mudança brusca de humor, choro fácil, sentimento de rejeição, entre outros. Além disso, a TPM se manifesta no corpo também, pelas dores, inchaço e o cansaço muitas vezes aparente no semblante da mulher.

Viver esses dias dentro de casa em um ambiente de conforto físico e social já não é algo muito agradável. Entretanto, conciliar esses dias e o trabalho é praticamente um desafio à mulher moderna.

Para que a mulher não tenha sua vida profissional afetada pelos terríveis dias da TPM, ela precisa se cuidar e tratar os sintomas. Em alguns casos, os sintomas estão relacionados à ovulação e podem ser controlados com o uso de pílulas anticoncepcionais.

Em outros casos, nos quais a mulher sofre de desordem disfórica pré-menstrual, é necessário fazer uso de medicamentos sozinhos ou associados. De qualquer forma, apenas um médico pode indicar quais medicamentos devem ser administrados. Há situações em que, o uso da Fluoxetina – um antidepressivo – é recomendo em doses mínimas.

O primeiro passo a se tomar para controlar essa situação e minimizar os danos que a TPM pode causar na vida profissional da mulher moderna é tomar nota de tudo o que sente – fisicamente e emocionalmente – antes, durante e depois da menstruação.

Feito isso, o segundo passo é consultar um ginecologista. Com essas informações em mãos, é possível descrever o seu quadro para o profissional, que, conhecendo os detalhes do seu caso, poderá indicar o melhor tratamento disponível. Vale ressaltar que a TPM não se trata de uma doença, ela é, na verdade, uma alteração fisiológica provocada no organismo durante o ciclo menstrual.

Nesse período e especialmente nos momentos mais intensos, evite tomar decisões ou dirigir a palavra à alguém do seu trabalho com quem você já não tem um bom relacionamento. Nesses dias você pode acabar ofendendo alguém mesmo sem ter a intenção, então todo cuidado é pouco. Se você se sentir à vontade para isso, informe os seus colegas de trabalho que você não está em um dia bom do mês e isso poderá ajudá-los a compreender suas atitudes.

Recomenda-se também, durante estes dias terríveis, apostar em uma dieta balanceada, rica em nutrientes e vitaminas, além de praticar exercícios físicos. Manter essa rotina saudável é imprescindível para diminuir os sintomas da TPM.

Tomando essas precauções e se cuidado, é possível passar pela TPM sem ter maiores problemas, especialmente quando se trata da vida pessoal .

Assuntos: Bem-Estar, TPM

Para você